Negócios

Ibovespa cede 0,58% com cautela à espera do Fed; Marfrig (MRFG3) dispara

BRFS3, MRFG3, JBSS3 lideram ganhos, mas Ibovespa cai de novo | ITSA4 vende participação na XP

Fechamento do Dia Ibovespa encerra o dia em queda de 0,58% e perde patamar de 107 mil pontos O principal índice da Bolsa de Valores não consegue manter alta adquirida no começo da manhã
Victória Anhesini
por Victória Anhesini

O Ibovespa encerrou a sessão desta terça-feira (14) em queda de 0,58%, aos 106.759,92 pontos, a segunda baixa consecutiva da semana. O índice reflete mais uma vez o cenário desfavorável no exterior, interrompendo uma recuperação do começo de dezembro.

Apesar da queda de hoje, o Ibovespa mantém alta no mês, de 4,75%. Na semana, contudo, acumula um recuo de 0,93%.

Existe uma perspectiva positiva de que a inflação possa começar a ceder, com o tom firme (“hawkish”) da ata do Copom, mas os dados de atividade mais fraca decepcionaram. Esses fatores chegaram a segurar o Ibovespa nos primeiros momentos do pregão, mas não foram suficientes para sustentar o índice contra as preocupações internacionais.

O Banco Central tem a intenção de manter os juros mais elevados até que os preços e as expectativas de inflação estejam estáveis. O posicionamento levou a reações diferentes dentro do mercado. Se por um lado os bancos sustentaram alta, com as ações ordinárias e preferenciais do Bradesco (BBDC3, BBDC4) subindo, setores dependentes de crédito, como varejo e imobiliário, sofreram.

Fed no radar

Além disso, uma série de pontos foram levados em consideração no radar do investidor hoje. Em especial, a decisão política monetária dos Estados Unidos, que será divulgada na quarta-feira (15) pelo Federal Reserve (Fed). Os resultados do setor de serviços de outubro, o comportamento negativo das commodities hoje, a reiteração do rating brasileiro, mas com perspectiva negativa, pela agência de classificação de risco Fitch Ratings, também foram destaque no dia.

O mercado espera que o Fed anuncie uma mudança a respeito da redução dos estímulos monetários sobre a economia.

“Na reunião de amanhã, existe uma possibilidade de o Fed ser um pouco mais duro. Se ele já entendeu que o termo transitório (em relação à inflação) pode ser aposentado, o impacto prático é a redução de estímulos antes do previsto e num número maior do que o esperado. E, com isso, temos redução da liquidez global. E países emergentes têm uma fuga de capital, uma vez que é investimento de maior risco, mais especulativo”, explica Josias de Matos, especialista em finanças na Toro Investimentos.

O TD Securities afirma que a reunião do Fed, iniciada nesta terça, deve acarretar em uma agenda mais agressiva para o tapering, como é conhecido o processo de redução de estímulos à economia, reiterando as incertezas sobre o fluxo global de investimentos, especialmente em relação aos emergentes.

Além disso, o mercado já está precificando uma alta de juros em maio de 2022, diz o banco, o que favorece a perspectiva de preços para os metais no curto prazo. “Especialmente porque nossos macroestrategistas esperam desaceleração suficiente da inflação e do crescimento para atrasar o início do ciclo de altas nos juros”.

Apesar da tentativa de recuperação no início do pregão, as bolsas europeias fecharam majoritariamente em queda, acompanhando o movimento negativo das bolsas de Nova York. Além da cautela com a Ômicron, a diminuição do apetite ao risco no mercado também se deve ao índice de preços ao produtor (PPI) dos Estados Unidos, que subiu acima do esperado por analistas.

De acordo com Michael Hewson, analista da CMC Markets, “outro relatório quente do PPI dos EUA está levantando preocupações de que a linha em 2022 seja provavelmente de aperto monetário muito mais agressivo pelo Federal Reserve (Fed)”.

Aqui, a indicação do Banco Central e do presidente da instituição, Roberto Campos Neto, de que pretende manter os juros em patamar elevado até que os preços e as expectativas de inflação estejam ancorados teve reações diferentes dentro do mercado. Se por um lado os bancos sustentaram alta, com as ações ON e PN do Bradesco subindo mais de 1%, setores dependentes de crédito, como varejo e imobiliário, sofreram.

O destaque negativo é para as construtoras, com o índice setorial imobiliário derretendo 2,93%. “Se vc tem BC firme, juros mais altos, para o mercado imobiliário isso é complicado. É um setor muito alavancado, precisa muito de crédito para novos financiamentos. E quando a gente fala de Fundos Imobiliários, o juro alto na renda fixa atrapalha e gera uma fuga de capital”, completa Matos, da Toro.

Ibovespa: varejo ainda apanhando

As ações do varejo também seguem sofrendo com a perspectiva de juro alto, sobretudo as ligadas ao e-commerce. Os papéis das Lojas Americanas (LAME4) caíram cerca de 2% e a Magazine Luiza (MGLU3), 5,12%. “As empresas do e-commerce são negociadas com múltiplos altos, isso significa que nessas empresas o valor está muito relacionado ao lucro que ela vai dar no futuro. Mas como você esse lucro tem que ser trazido para valor presente, com juros altos o valor desse lucro é mais baixo. Isso explica porque essas empresas de e-commerce acabam performando mal”, explica Fernando Siqueira, gestor da Infinity Asset.

As ações ligadas a commodities também tiveram desempenho fraco hoje, com o barril de petróleo em novo dia de queda. O valor do óleo responde principalmente ao corte na projeção de crescimento na demanda global pela Agência Internacional de Energia (AIE), por causa das preocupações com a variante ômicron do coronavírus. Com isso, o barril do WTI para janeiro fechou em baixa de 0,79% e o Brent para fevereiro teve queda de 0,93%. A variação negativa teve efeito nos papéis da Petrobras, que caíram mais de 1%, tanto ON quanto PN, impactados também pelo anúncio de redução no preço do combustível feito pela empresa.

A queda no minério na China, de 2,01%, também segurou o avanço das siderúrgicas e metalúrgicas. A Vale (VALE3), ação de maior peso no Ibovespa, fechou estável, em queda de 0,01%.

O dólar encerrou o pregão em alta de 0,35%, cotado a R$ 5,6937, número próximo da máxima do dia (R$ 5,6981). Na mínima, a divisa bateu os R$ 5,6190.

Na esteira papéis de exportadores se valorizaram, caso de Marfrig (MRFG3), JBS (JBSS3) e BRF (BRFS3).

Os contratos do petróleo fecharam em queda no mercado futuro. A maior preocupação continua sendo a variante Ômicron do coronavírus, cujo impacto deve ser moderado sobre o mercado do petróleo, de acordo com a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep).

Porém, a Agência Internacional de Energia (AIE) cortou sua projeção de crescimento da demanda global neste e no próximo ano, por conta da nova cepa.

O barril de Brent para janeiro caiu 0,93%, a US$ 73,70. Já o barril de WTI para janeiro fechou em queda de 0,79%, a US$ 70,73.

O ouro também fechou em queda nesta terça, também aguardando a decisão do Fed de amanhã. O ouro com entrega prevista para fevereiro recuou 0,89%, a US$ 1.772,30 por onça-troy.

Veja as maiores altas do Ibovespa

As empresas do setor frigorífico foram os principais destaques entre as altas do Ibovespa.

  • Marfrig (MRFG3): +6,80% // R$ 23,57
  • JBS (JBSS3): +5,34% // R$ 37,28
  • BRF (BRFS3): +3,58% // R$ 20,26
  • Rumo (RAIL3): +2,92% // R$ 18,54
  • Bradesco (BBDC4): +1,51% // R$ 20,14

Maiores baixas

Notícias que movimentaram a bolsa de valores

Oi (OIBR3) prevê aprovação da venda de ativos até o 1º trimestre de 2022

O presidente da Oi (OIBR3), Rodrigo Abreu, está confiante em relação à aprovação dos processos das vendas de ativos que estão no momento sendo analisados pelos órgãos reguladores. O presidente acredita que as aprovações podem sair ainda este ano ou no começo de 2022.

presidente da Oi explicou que o primeiro processo – que envolve a criação da V.tal (antiga InfraCo) – necessita de aprovações no Brasil e no exterior. No país, o andamento da venda da unidade de fibra ótica da Oi para os fundos geridos pelo BTG Pactual (BPAC11) já foi aprovado pelo Conselho de Administração Econômica (Cade), agora só falta o aval da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), que já sinalizou a recomendação de aprovação da compra.

No exterior, os órgãos reguladores dos Estados Unidos precisam aprovar a incorporação da Globonet, uma necessidade que não tem a ver com operação básica da venda do controle, mas da empresa resultante.

“O leilão do 5G acabou colocando um alongamento no prazo na aprovação da agência, mas basicamente esse processo deverá ser resolvido em 2021, caso contrário no início de 2022, sem nenhuma dúvida. Eu digo comecinho mesmo, começo de janeiro esse processo deve ser completamente aprovado”, disse o presidente durante uma live do BTG Pactual.

Banco do Brasil (BBAS3) entra no Metaverso com operação no servidor de GTA

Banco do Brasil (BBAS3) entrará no Metaverso, universo de realidade virtual e realidade aumentada.

Com o anúncio, o Banco do Brasil terá sua experiência virtual própria no Metaverso, com operação que ocorre na cidade virtual do Complexo, servidor de RolePlay no jogo GTA.

A administração do Banco deve ‘estender’ os seus serviços tradicionais para a realidade virtual, já que o personagem do jogo poderá abrir uma conta corrente e receber benefícios no universo digital.

Além disso, será possível trabalhar como abastecedor de caixa eletrônico no Metaverso, com a responsabilidade de trabalhar com remessas de valores e ficando no comando de um carro forte.

“Esse ambiente virtual que interage com elementos do mundo real, amplia a nossa plataforma de eSports ao tratar de dinheiro, de investimento e de simulação de situações presenciais dentro da realidade virtual. É mais um passo para a construção do futuro de uma instituição bicentenária e ávida pelas inovações que proporcionam experiências colaborativas e imersivas”, afirma Tadeu Figueiró, gerente executivo do Banco do Brasil.

Também haverão produtos voltados para inteligência em investimentos, “que vem de encontro à geração conectada”.

Petrobras (PETR4) anuncia redução de 3,2% no preço da gasolina

Petrobras (PETR4) informou nesta terça-feira (13) que a partir de amanhã o preço da gasolina nas refinarias terá redução de R$ 0,10, passando dos atuais R$ 3,19 para R$ 3,09. A mudança de preços equivale a uma redução de 3,24%.

Segundo a estatal, considerando a mistura obrigatória de 27% de etanol anidro e 73% de gasolina tipo A para a composição da gasolina comercializada nos postos, a parcela da Petrobras no preço da gasolina na bomba passará a ser de R$ 2,26 a cada litro em média. Uma redução de R$ 0,07.

Em comunicado, a Petrobras reiterou o compromisso de praticar “preços competitivos e em equilíbrio com o mercado, ao mesmo tempo em que evita o repasse imediato para os preços internos, das volatilidades externas e da taxa de câmbio causadas por eventos conjunturais”.

Setor de serviços encolhe 1,2% em outubro

O setor de serviços recuou 1,2% na passagem de setembro para outubro, segunda taxa negativa consecutiva, acumulando uma retração de 1,9%. Com o resultado de outubro, o setor ainda ficou 2,1% acima do patamar pré-pandemia, registrado em fevereiro do ano passado, mas está 9,3% abaixo do recorde alcançado em novembro de 2014. Os dados são da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada hoje (12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Quatro das cinco atividades de serviços registraram perdas na passagem de setembro para outubro. Na média global, o volume de serviços prestados encolheu 1,2% em outubro ante setembro.

Desempenho dos principais índices

Além do Ibovespa, confira o fechamento dos principais índices da bolsa hoje:

Ibovespa hoje: -0,58%
IFIX hoje: -0,19%
IBRX hoje: -0,60%
SMLL hoje: -2,18%
IDIV hoje: -0,76%

Cotação do Ibovespa nesta segunda (13)

Na última segunda-feira (13), o Ibovespa fecha o dia em queda de 0,35%, aos 107 mil pontos, após passar o dia entre altas e baixas

(Com informações do Estadão Conteúdo) 

Últimas atualizações
  atualização
14.12.2021 23:55

Encerramos as transmissões de hoje. Leia amanhã mais notícias em tempo real

Confira mais notícias em tempo real nesta quarta (15).

Saiba quais os principais destaques que irão movimentar o cenário econômico: inscreva-se aqui e receba todos os dias notícias, antes da abertura do mercado, na Suno Call.

14.12.2021 18:24

Ibovespa fecha em queda de 0,58%, aos 106.759,92 pontos; Marfrig (MRFG3) e JBS (JBSS3) disparam

O Ibovespa encerrou o pregão em baixa de 0,58%, aos 106.759,92 pontos. Dados fracos de serviço, ata do Copom com comunicado mais duro sobre política monetária e expectativa pela decisão do Federal Reserve sobre a a taxa de juros emperraram o pregão e derrubaram o índice.

14.12.2021 17:56

Ibovespa mantém queda, aos 106 mil pontos; Locaweb (LWSA3) desaba

Perto do fechamento, índice cai 0,48%, aos 106.859,17 pontos.

14.12.2021 17:56

Dólar fecha em alta de 0,35%, a R$ 5,6937

O dólar encerrou o pregão em alta de 0,35%, cotado a R$ 5,6937, número próximo da máxima do dia (R$ 5,6981). Na mínima, a divisa bateu os R$ 5,6190

14.12.2021 17:20

Petróleo fecha em queda, de olho em Ômicron e corte da AIE sobre projeção de demanda

Os contratos do petróleo fecharam em queda no mercado futuro nesta terça-feira, 14. No radar das mesas de operação está a preocupação com a variante Ômicron do coronavírus – cujo impacto deve ser moderado sobre o mercado do petróleo, estima a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep). A Agência Internacional de Energia (AIE), porém, cortou sua projeção de crescimento da demanda global neste e no próximo ano, por conta da nova cepa.

O petróleo WTI com entrega prevista para janeiro fechou em baixa de 0,79% (US$ 0,56), a US$ 70,73 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), enquanto o Brent para o mês seguinte cedeu 0,93% (US$ 0,69), a US$ 73,70 o barril, na Intercontinental Exchange (ICE).

Os ativos da commodity começaram o dia em leve alta, mas viraram para o negativo depois que a AIE reduziu sua previsão de demanda global por petróleo em 100 mil barris por dia (bpd) em 2021 e 2022. A projeção de oferta foi cortada no mesmo nível.

A estimativa da AIE vem após a Opep ter anunciado, ontem, a manutenção de suas projeções. Para a Organização, o impacto da Ômicron não deve ter a força que se temia inicialmente, dada a maior preparação de empresas e governos para lidar com a pandemia.

O Commerzbank observa que a Opep parece não ter levado em consideração a liberação de reservas estratégicas de petróleo pelos Estados Unidos e outros grandes países consumidores da commodity. “Isso, mais o aumento contínuo da produção da OPEP, sugere que o mercado de petróleo terá excesso de oferta no próximo ano”, diz o banco alemão.

14.12.2021 16:50

Maioria das Bolsas da Europa fecha em queda, de olho na inflação dos EUA e BCs

Após ensaiarem recuperação no começo do pregão, as Bolsas da Europa fecharam majoritariamente em queda nesta terça-feira, 14, seguindo novamente o movimento negativo das bolsas de Nova York. Além da cautela com a Ômicron, a diminuição do apetite ao risco no mercado também se deve ao índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) dos Estados Unidos, que subiu acima do esperado por analistas.

De acordo com Michael Hewson, analista da CMC Markets, “outro relatório quente do PPI dos EUA está levantando preocupações de que a linha em 2022 seja provavelmente de aperto monetário muito mais agressivo pelo Federal Reserve (Fed)”.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em baixa de 0,84%, aos 469,56 pontos, enquanto o londrino FTSE 100 recuou 0,18%, aos 7.218,64 pontos, menor nível diário. Ações da Rentokil (-12,30%) e BT Group (-4,29%) puxaram o índice para baixo.

Craig Erlam, analista da Oanda, destaca que a questão nesta semana é se os bancos centrais consideram a inflação ou a cepa ômicron o maior risco. “A visão consensual ainda parece ser que as pressões de preços são impulsionadas por fatores temporários que serão corrigidos em grande parte ao longo do tempo, mas cada mês de inatividade é um risco”, afirmou.

Investidores estão de olho nas decisões monetárias do Fed, na quarta-feira, e do Banco Central Europeu (BCE) e Banco da Inglaterra (BoE), na quinta-feira. O Julius Baer acredita que os bancos centrais de mercados desenvolvidos que definem política monetária nesta semana assumirão posições muito diferentes. “O BCE está seguindo a política de redução gradual do Fed com um atraso considerável, enquanto a relutância em aumentar as taxas de juros é semelhante. O BoE deve atrasar o início da normalização das taxas de juros, anteriormente esperado” para esta semana, analisa o banco suíço.

Sobre a pandemia, um estudo divulgado nesta terça-feira pelo Discovery Health apontou que duas doses da vacina da Pfizer reduzem em apenas 70% a chance de hospitalização contra a nova variante ômicron. O resultado indica uma queda na eficácia para prevenção de casos graves por covid-19.

Em Frankfurt, a queda do DAX foi de 1,08%, aos 15.453,56 pontos. Papéis da HelloFresh e Sartorius estiveram entre as piores quedas.

Já em Milão o índice FTSE MIB aumentou 0,02%, aos 26.556,67 pontos, com a alta de 4,58% do UniCredit dando suporte.

A produção industrial na zona do euro aumentou em outubro, após dois meses consecutivos de quedas devido a atrasos nas entregas de insumos decorrentes de gargalos na cadeia de abastecimento global.

De acordo com o ING, o nível atual da produção industrial ainda está abaixo do nível alcançado no início deste ano. “A nova onda de ômicron pode prejudicar a produção durante o inverno, já que as fábricas são confrontadas com um número crescente de trabalhadores ausentes por motivo de doença ou quarentena”.

Nas praças ibéricas, o PSI 20 fechou em queda de 0,81% em Lisboa, aos 5.443,95 pontos, e o madrilenho Ibex 35 ganhou 0,07%, aos 8.378,50 pontos.

Por fim, em Paris, o índice CAC 40 cedeu 0,69%, aos 6.895,31 pontos.

14.12.2021 16:47

Ouro fecha em queda, às vésperas de decisão do Fed sobre ritmo do tapering

O contrato futuro do ouro fechou em queda nesta terça-feira, 14. Investidores aguardam a decisão do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), a ser divulgada amanhã, sobre uma possível alteração no ritmo de aperto monetário.

Na Comex, divisão para metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o ouro com entrega prevista para fevereiro recuou 0,89%, a US$ 1.772,30 por onça-troy.

O TD Securities afirma que a reunião do Fed, iniciada hoje, deve acarretar em uma agenda mais agressiva para o tapering, como é conhecido o processo de redução de estímulos à economia. Além disso, o mercado já está precificando uma alta de juros em maio de 2022, diz o banco, o que favorece a perspectiva de preços para os metais no curto prazo. “Especialmente porque nossos macroestrategistas esperam desaceleração suficiente da inflação e do crescimento para atrasar o início do ciclo de altas nos juros”.

Apesar do desempenho “fraco” do ouro em 2021, o Commerzbank prevê potencial alta dos preços no próximo ano. “O ouro deve lucrar com um ambiente caracterizado por taxas de juros reais persistentemente negativas, o que deve gerar uma demanda de investimento sólida”, diz o analista Daniel Briesemann.

14.12.2021 16:17

Ibovespa acentua queda; setor frigorífico se descola e sobe forte

O Ibovespa acentuou a queda vista no inicio da tarde, operando às 16h em baixa de 0,82%, aos 106.499 pontos.

O setor de tecnologia e financeiro aparece em peso entre as maiores quedas do Ibovespa. Na ponta positiva, o setor frigorífico avança em bloco.

A percepção, diz Régis Chinchila, da Terra Investimentos, é que o mercado começou a “precificar” o choque nos indicadores de inflação, numa sinalização de que a sequência dos aumentos da Selic estão começando a fazer efeito. “Atividade fraca (PIB, vendas no varejo, serviços, produção industrial) são pontos já precificados na Bolsa”, avalia.

A despeito do recuo no volume prestado de serviços em outubro (-1,2%), pouco acima da mediana negativa de 1,1%, e da manutenção do tom duro da ata do Comitê de Política Monetária (Copom), ambos divulgados hoje, Pedrolin acredita que os investidores devem operar mais em compasso de espera pelo Fed.

“A ata não trouxe grandes novidades. A única questão foi o debate sobre a política monetária, que cogitaram ajuste maior da Selic, mostrando o quanto BC está preocupado com a ancoragem das expectativas”, afirma o líder de mesa de renda variável da Blue3, completando que a indicação de que o BC seguirá buscando a convergênciada inflação para a meta é bem vista pelo mercado.

Além disso, a manutenção do tom ‘hawkish’ (mais duro) na ata Copom, após o BC elevar a Selic de 7,75% para 9,25% ao ano, indicando novo aumento de 1,50 ponto porcentual em fevereiro, de certa forma, já era esperado.

Na ata, o Banco Central afirma que o risco de desancoragem de expectativas, que é derivado dos desenvolvimentos no cenário fiscal, indica viés altista para as projeções de inflação do seu cenário básico. Na semana passada, a Selic subiu de 7,75% para 9,25% ao ano, com o BC indicando novo ajuste desta magnitude em fevereiro.

De todo modo, o BTG Pactual digital avalia que resultado de serviços apresentou dado bastante abaixo das expectativas, apesar da elevação da mobilidade social para patamar acima do observado em fevereiro de 2020.

O setor de frigoríficos, com empresas exportadoras, avança acompanhando a alta do dólar (0,45%, a R$ 5,712)

 

Maiores baixas do Ibovespa:

  • Locaweb (LWSA3): -11%
  • Banco Pan (BPAN4): -10,88%
  • Méliuz (CASH3): -10,41%
  • Banco Inter (BIDI11): -8,32%
  • Banco Inter (BIDI4): -7,67%

 

Maiores altas do Ibovespa:

  • Marfrig (MRFG3): +5,17%
  • JBS (JBSS3): +4,15%
  • BRF (BRFS3): +3,12%
  • CPFL Energia (CPFE3): +1,56%
  • Bradesco (BBDC4): +1,51%
14.12.2021 16:10

Ibovespa repercute o Fitch, que reafirmou rating soberano do Brasil em 'BB-', com perspectiva negativa

A Fitch Ratings reafirmou o rating soberano do Brasil em ‘BB-‘, porém com perspectiva negativa, o que indica a possibilidade de a agência rebaixar a nota de crédito do País no curto prazo. Ao justificar a perspectiva negativa, a agência cita riscos à economia e finanças públicas vindos do aperto das condições financeiras em meio ao aumento das incertezas sobre a credibilidade da regra do teto depois das manobras da PEC dos precatórios que abriram espaço para o governo gastar mais no ano que vem.

Incertezas fiscais, alta inflação, e volatilidade cambial vão pesar na economia no ano que vem e aumentaram o risco de continuidade do quadro de recessão, enquanto o aumento do custo da dívida, somado ao maior déficit primário, leva à deterioração das finanças públicas em 2022, diz a Fitch, que reconhece, por outro lado, avanços da consolidação fiscal em 2021.

A previsão da Fitch é de crescimento de 0,5% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2022, depois da variação de 4,8% projetada para este ano.

14.12.2021 13:59

Ibovespa devolve ganhos do dia e passa a operar no negativo

O índice Bovespa devolveu os ganhos dessa manhã e passou a operar com queda de 0,10%, aos 107.276 pontos.

A queda do Ibovespa hoje acompanha apreensão externa conforme dados dos Estados Unidos apontam avanço da inflação e resposta mais dura do Federal Reserve.

Em dezembro, o índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) registrou alta de de 9,6%  na variação anual, a maior já registrada desde novembro de 2010.

Em Nova York, os principais índices operam todos em queda. Na Europa, as Bolsas de Valores fecharam em sua maioria no negativo. O DAX, da Alemanha, recuou 1,08%, e o FTSE, do Reino Unido, 0,18% e o CAC 40, da França, 0,69%.

 

14.12.2021 13:31

Ibovespa reduz ritmo de alta, mas se mantém no azul aos 107 mil pontos

O índice Bovespa reduziu o ritmo de alta no início desta tarde, mas se mantém no positivo com alta de 0,35% aos 107.757 pontos.

Entre os destaques positivos da Bolsa de Valores nesta tarde, tem peso as ações do setor frigorífico, que sobem em meio a rumores de abertura à importação de proteína animal brasileira na China, e do setor bancário, com divulgação da ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central.

 

14.12.2021 13:11

Petrobras (PETR4) anuncia redução de 3,2% no preço da gasolina a partir de amanhã

A Petrobras (PETR4) informou nesta terça-feira (13) que a partir de amanhã o preço da gasolina nas refinarias terá redução de R$ 0,10, dos atuais R$ 3,19 para R$ 3,09. A mudança de preços equivale a uma redução de 3,24%.

Em comunicado, a Petrobras reiterou o compromisso de praticar “preços competitivos e em equilíbrio com o mercado, ao mesmo tempo em que evita o repasse imediato para os preços internos, das volatilidades externas e da taxa de câmbio causadas por eventos conjunturais”.

Às 13h05, o Ibovespa avançava 0,53%, aos 107.947 pontos. Já as ações da petroleira, subiam 0,17% no caso das ações preferenciais e caiam 0,25% no caso das ordinárias (PETR3).

14.12.2021 12:04

Sem divulgar assunto, presidente Jair Bolsonaro diz que se reúne com equipe econômica nesta tarde

Durante cerimônia de lançamento do programa Rodovida, o presidente Jair Bolsonaro anunciou que deve se reunir na tarde de hoje com a equipe econômica. Bolsonaro, entretanto, não disse qual assunto será tratado, nem há compromissos previstos na agenda do presidente durante o período da tarde.

Vocês [policiais rodoviários federais] estão convidados a participar de uma reunião hoje à tarde com a equipe econômica. Algumas injustiças acontecem nas nossas vidas – reconheço, não quero me eximir de responsabilidade – e temos que buscar corrigi-las. Se Deus quiser, teremos uma reunião bastante profícua hoje à tarde que possamos atender a todos vocês.

14.12.2021 11:15

Bancos e Frigoríficos lideram altas do Ibovespa

Após a divulgação da ata do Copom, as maiores altas do Ibovespa ficam por conta dos bancos e dos frigoríficos.

O Ibovespa hoje opera aos 108 mil pontos e arrefece a alta para 0,85% no intradia.

Maiores altas do Ibovespa:

  • Bradesco (BBDC3): +3,1%
  • Marfrig (MRFG3): +3%
  • JBS (JBSS3): +2,7%
  • Bradesco (BBDC4): +2,6%
  • Suzano (SUZB3): +2,6%

Maiores baixas do Ibovespa:

  • Méliuz (CASH3): -5,2%
  • Banco Pan (BPAN4): 5%
  • Locaweb (LWSA3): -4,5%
  • Ecorodovias (ECOR3): -4,4%
  • Lojas Renner (LREN3): -3,4%
14.12.2021 11:08

Dólar tem queda de 0,78%, negociado a R$ 5,68

dólar subiu de forma pontual à máxima, a R$ 5,67 (+0,06%) na manhã desta terça-feira, mas retomou viés de baixa, que marcou a abertura dos negócios. Na mínima,  recuou a R$ 5,63.

Assim como o Ibovespa, os ajustes do dólar ocorrem em meio as incertezas sobre a variante Ômicron do coronavírus, crescimento de 1,1% da produção industrial na zona do euro e espera da decisão de política monetária do Federal Reserve, na quarta-feira (15).

Às 11h08 desta terça, o dólar à vista caía a 0,77%, a R$ 5,63. O dólar futuro para janeiro de 2022 recuava 0,78%, a R$ 5,68.

14.12.2021 11:00

Setor financeiro avança após divulgação da ata do Copom

As ações dos grandes bancos brasileiros estão entre as principais altas no pregão do Ibovespa hoje, após o Banco Central divulgar ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom). No comunicado, o órgão sinalizou avanço da taxa básica de juros a até o nível de 11,75% em 2022, o que favorece aumento das margens do setor creditício.

Às  11h, as ações do Bradesco (BBDC4) avançavam 2,42% e 2,13%, no caso das ordinárias (BBDC3), as do Santander (SANB11) 2,44% e da Itaúsa (ITSA4)  1,99%.

Mais cedo, a Itaúsa havia anunciado a venda de 17% de sua participação na XP, durante uma oferta secundária na bolsa de valores dos Estados Unidos (Nasdaq), onde a subsidiária é listada, assim como a distribuição de juros sobre capital próprio (JCP) e bonificação aos acionistas.

14.12.2021 10:40

Commodities recuam na sessão de hoje

A cotação do barril de petróleo recua durante sessão de hoje. Às 10h40, o barril de petróleo WTI, negociado na bolsa de Nova York, recuava 1,02%, enquanto o Brent caia 1,10%. Na China, o preço do minério de ferro recuou 0,61%. 

O dólar comercial abriu em queda hoje de 0,60%, cotado a R$ 5,653. Às 10h30 e às 11h30, o Banco Central faz leilão de linha de até US$ 1 bilhão e oferta contratos de swap, o que deve reduzir ainda mais a pressão sobre a alta da moeda.

Na Europa, as bolsas de valores operam com sinais mistos. O índice Stoxx 600, que reúne papeis de empresas de 17 países europeus, opera próximo à estabilidade em alta de 0,01%.

14.12.2021 10:35

Ibovespa abre em alta e retoma os 108 mil pontos, com Copom e no aguardo do Fed

Ibovespa hoje abre em alta de 1,26% aos 108.786 pontos, se recuperando após fechar o pregão anterior no vermelho com aumento da tensão acerca da variante Omicron.

O mercado amanhece com a ata do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC), que sinaliza fim do ciclo altista dos juros em 11,75%, em 2022, movimentando o Ibovespa.

Recentemente, com a nova mudança de elevação da Selic em 1,5 p.p., para 9,25% colocou a taxa de juros no maior nível em pouco mais de quatro anos – desde julho de 2017, quando a Selic estava em 10,25%.

Ainda na frente de política monetária, mercados aguardam decisão do Federal Reserve amanhã. Os dados mais recentes de inflação dos EUA, do Núcleo do IPP, vieram acima do esperado.

A alta foi de 0,8% no mês de novembro, ante expectativa de 0,5% de alta.

Nas commodities, o petróleo devolveu parte dos seus ganhos, puxado por expectativa construtiva da OPEP para a demanda da commodity em 2021 e 2022, que não foi revisada para baixo uma vez que projetam impactos mínimos da variante Ômicron.

Já no radar corporativo, a Itaúsa (ITSA4), holding controladora do Itaú (ITUB4), vendeu 17% de sua posição na XP, o que corresponde a 7,8 milhões de ações.

Segundo o fato relevante da Itaúsa, a operação corresponde 1,39% do capital da corretora e movimentou R$ 1,2 bilhão. A venda foi realizada durante uma oferta secundária na bolsa de valores dos Estados Unidos (Nasdaq), onde a XP é listada.

Apesar da venda, o acordo de acionistas permanece inalterado. Você pode ler mais sobre o movimento aqui.

Além disso, a Petrobras (PETR4) informou que na sexta-feira (10), foi paralisada a produção de gás do campo de Manati, localizado na Bacia de Camamu, na Bahia, em virtude do fechamento de válvula submarina do gasoduto de exportação.

Ainda hoje, movimentando o Ibovespa, a B3 (B3SA3) divulgou ontem os resultados operacionais da bolsa de valores brasileira do mês de novembro.

Dentre as principais estatísticas, destaque para o número de investidores pessoa física que cresceu 29,3% nos últimos 12 meses, com um número total de 3,449 milhões.

14.12.2021 09:35

Ibovespa futuro sinaliza abertura em alta

Ibovespa futuro com vencimento em fevereiro de 2022 abriu as negociações do mercado hoje em alta de 0.37% sinalizando uma abertura positiva do pregão à vista. Ontem (13), o índice fechou a negociação aos 109,315 pontos.

Os contratos futuros do índice Bovespa hoje contrariam o mau humor americano, que, no premarket em Nova York, fez os principais índices futuros caírem nesta manhã, em antecipação à reunião do Federal Reserve que deve definir novos rumos para a política monetária.

Na Ásia, as bolsas de valores fecharam em queda, conforme reavaliação do risco causado pela variante Ômicron e aperto regulatório a empresas de tecnologia chineses.

Já na Europa, os índices caminham mistos, conforme investidores acompanham as notícias sobre o novo coronavírus e as decisões dos bancos centrais.

No Brasil, o mercado hoje segue atento à ata da última reunião do Copom, divulgada nesta terça-feira (13) pelo Banco Central, e à votação de emendas à PEC dos Precatórios, na Câmara.

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO