Estreia da Tesla no S&P 500 deve movimentar mais de US$ 100 bi

Estreia da Tesla no S&P 500 deve movimentar mais de US$ 100 bi
Estreia da Tesla no S&P 500 deve movimentar mais de US$ 100 bi em negociações

A caminhada da Tesla (NASDAQ: TSLA; B3: TSLA34) rumo ao grupo das 500 maiores empresas de capital aberto dos Estados Unidos já é histórica. E sua estreia no S&P 500 promete não ser diferente. Segundo informações do The Wall Street Journal, a inclusão da montadora de veículos elétricos no índice deve movimentar mais de US$ 100 bilhões (isto é, R$ 532 bilhões na cotação atual do dólar) em negociações.

De acordo com o jornal, a adição de uma empresa no S&P 500 normalmente não é motivo para estresse. Mas ninguém nunca buscou incluir uma companhia com valor de mercado superior a US$ 5oo bilhões, sujeita a grandes oscilações de preço, como a Tesla, o que vai acontecer no próximo mês e vem causando dores de cabeça em Wall Street.

Desse modo, a fim de evitar erros, a Standard & Poor’s conversou com grandes gestores sobre se prefeririam incluir o peso da companhia de uma vez só, e 21 de dezembro, ou dividir em dois pregões, um movimento sem precedentes para a S&P. A decisão está prevista para ser anunciada nesta segunda-feira (30).

Independentemente de qual for ela, os investidores esperam mais um forte salto nas ações da Tesla após a adição no índice. Segundo projeções do Goldman Sachs, os papéis da montadora poderiam tocar os US$ 600, depois da inclusão, diz a reportagem.

Adição deve colocar mais de US$ 100 bi em movimento

Com a chegada da Tesla no S&P 500, fundos de índice terão de vender ações menores, algo entre US$ 60 bilhões e US$ 80 bilhões, e utilizar os recursos para comprar ações fabricante de veículos elétricos, informou o jornal, citando gestores de ativos e corretores.

O Goldman Sachs espera que os fundos geridos ativamente com referência ao S&P 500 devem comprar US$ 8 bilhões em ações da Tesla. A mudança também estimularia a negociação em contas gerenciadas separadamente que usam o S&P 500 como referência, bem como a atividade de hedge por empresas de negociação que compram e vendem Exchange-Traded Funds (ETFs).

Tesla seria 6º maior empresa do S&P 500

É esperado que a inclusão da Tesla no índice seja desafiadora, muito em parte porque a companhia será a maior a se juntar ao benchmark. A expectativa é de que a empresa corresponda a pelo 1% do indicador.

Com sua capitalização atual, a montadora seria a sexta maior empresa no S&P 500, pouco acima da Berkshire Hathaway (NYSE: BRK.A; B3: BERK34), de Warren Buffett; e menor do que o Facebook (NASDAQ: FB; B3: FBOK34), de Mark Zuckerberg.

Desde 16 de novembro, quando a S&P anunciou a inclusão no índice, as ações da Tesla acumulam uma valorização de mais de 40% para US$ 585,76.

Arthur Guimarães

Compartilhe sua opinião