E-commerce quebra recorde no Brasil com R$ 53 bilhões em vendas no 1º semestre

O e-commerce teve um recorde de de vendas no primeiro semestre de 2021, chegando à marca de R$ 53,4 bilhões em faturamento, segundo dados divulgados pela Ebit Nielsen. O resultado aponta um crescimento de 31% em relação ao mesmo período do ano anterior.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/07/1420x240-Banner-Home.png

De acordo com a pesquisa, o resultado do e-commerce no acumulado destes seis meses foi impulsionado pelo aumento de 22% no ticket médio, que chegou a R$ 534. Além disso, houve alta de 7% no número de pedidos, que chegou à marca de 100 milhões.

O dado é impulsionado pela adesão crescente de varejistas como o Magazine Luiza (MGLu3) e a Americanas (AMER3)

Vale ressaltar que os números são da 44ª edição do Webshoppers, relatório que é elaborado pela Ebit Nielsen e realizado em parceria com o Bexs Banco.

O número de novos consumidores, porém, se estabilizou. Eles somaram 6,2 milhões, abaixo dos 7,3 milhões do mesmo período do ano passado. Esses novos entrantes, por sua vez, têm tíquete médio levemente superior à média total: R$ 556.

A compras por meio de celulares representaram mais da metade do faturamento total do e-commerce e do número de pedidos. No primeiro semestre as vendas por esse canal atingiram R$ 28,2 bilhões, crescimento de 28,4%.

Os segmentos de Departamento e Esportivo se destacaram durante o primeiro semestre, com expansão de 37% e 48% no volume de vendas e 14% e 27% no número de pedidos, respectivamente.

Aparecem ainda os segmentos de Pet Shop, com alta de 56% no faturamento e 48% nos pedidos, e Alimentos, com 34% e 8% de alta. Casa e Decoração teve alta de 155% em vendas e de 67% em pedidos.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

A região Sudeste representou 51% do faturamento total, conforme os dados do estudo. No entanto, as regiões Sul e Norte foram as que mais cresceram durante o primeiro semestre, com altas de 57% e 52%, respectivamente.

PayPal: e-commerce cresce mais do que o dobro do físico

Ao analisar os dados do acumulado do acumulado dos últimos 12 meses, o PayPal, em conjunto com o BigDataCorp, constatou em pesquisa um crescimento de 23% no e-commerce brasileiro contra 10% de crescimento no varejo físico.

O dado foi apresentado na pesquisa “Perfil do E-commerce Brasileiro 2021” divulgada na última quinta-feira (5). O levantamento apontou que, entre julho de 2020 e julho de 2021, foram lançadas 288 mil lojas de comércio online no Brasil. O número equivale à criação diária de 789 e-commerces.

Os e-commerces já representam um volume de 9,4% da Internet brasileira, com um montante total de 1,5 milhões de sites. Na mesma toada, são 372 mil lojas em marketplaces e 611 mil em aplicativos de “every day spending” – em grande parte de delivery, como o iFood e o Rappi.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/Ebook-Acoes-Desktop-1.jpg

A maior parte desse desempenho veio por influência da pandemia. A crise sanitária estabeleceu hábitos de consumo que priorizam compras fora do varejo físico.

Essa tese é verificada na proporção de sites médios (com até 500 mil visitantes por mês), que cresceram para 9,9%, enquanto os grandes (mais de 500 mil visitas) passaram para 6,6%.

Atualmente são 17 milhões de sites ativos, representando uma alta de 1,5 milhão em relação ao ano passado. Em relação ao e-commerce, o Brasil ultrapassou 1,5 milhão de opções disponíveis para o consumidor.

Com informações do Estadão Conteúdo

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/1420x240-Controle-de-Investimentos.png

Eduardo Vargas

Compartilhe sua opinião

Receba atualizações diárias sobre o mercado diretamente no seu celular

WhatsApp Suno