Fundo imobiliário BRCO11 aluga imóvel para Natura (NTCO3)

O fundo imobiliário Bresco Logística (BRCO11) fechou um acordo para a locação de 8.983,21 metros quadrados do imóvel Bresco Canoas para a Natura Cosméticos (NTCO3). De acordo com o fato relevante divulgado nesta quinta-feira (22), a locação ainda será submetida a aprovação na assembleia geral.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/07/Lead-Magnet-1420x240-2.png

Além da locação do imóvel para a Natura, o fundo imobiliário BRCO11 ainda informou que celebrou a renovação da locação de uma área de 12.488,46 metros quadrados do mesmo imóvel, para a FM Logistic.

Ambas as locações possuem prazo de cinco anos, com início retroativo em 1 de abril desse ano, devido a continuidade das operações das locatárias no imóvel, e serão reajustadas anualmente de acordo com a variação positiva do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Vídeo Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

De acordo com o FII, os novos contratos resultam em uma desocupação parcial de 35,5% do imóvel ou de 2,7% da Área Bruta Locável (ABL) do fundo. Vale destacar que a ABL é um levantamento que mede o todo o espaço bruto disponíveis para locação.

Além disso, o fundo imobiliário explica que os valores dos aluguéis dos contratos devem representar, aproximadamente, R$ 0,03 por cota do BRCO11 ao mês, descontadas eventuais despesas do fundo e taxas.

Veja também:

Natura prevê receita líquida de R$ 49 bi até 2023, alta de 30%

A Natura divulgou na última semana suas projeções para 2023. A companhia espera, no consolidado do ano, ter uma receita líquida de R$ 47 bilhões a R$ 49 bilhões. No ano passado, para fins de comparação, a empresa registrou uma receita de R$ 36,9 bilhões.

Além de melhorar sua receita em mais de 30%, a Natura espera também ver a sua margem Ebitda, que mede a lucratividade na operação, avançando. No último trimestre de 2020, essa margem ficou em 10,4%. Em 2023, a empresa pretende colocá-la entre 14% e 16%.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/07/Lead-Magnet-1420x240-1.png

Com a margem avançando, a Natura ganha um pouco de espaço para captar dinheiro através de dívidas: a empresa pretende manter a sua alanvacagem atual, medida pela relação entre o Ebitda e a dívida líquida (Ebitda/DL) – o plano é deixar o resultado da relação em um ou menos. No final de 2020 esse número era de 0,97. Com o avanço do Ebitda a empresa tem uma folga extra para captações, que pode usar ou não.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/1420x240-Controle-de-Investimentos.png

Laura Moutinho

Compartilhe sua opinião

Receba atualizações diárias sobre o mercado diretamente no seu celular

WhatsApp Suno