Banco Inter (BIDI11) reverte prejuízo e lucra R$ 20,8 milhões no 1T21, elevando a receita por cliente

Banco Inter (BIDI11) reverte prejuízo e lucra R$ 20,8 milhões no 1T21, elevando a receita por cliente
Banco Inter (BIDI11). Foto: Divulgação.

O Banco Inter (BIDI11) teve um lucro líquido de R$ 20,83 milhões no primeiro trimestre deste ano, revertendo o prejuízo de R$ 8,44 milhões do mesmo período do ano passado. Os ganhos do banco, segundo o balanço divulgado na noite da última terça-feira (11), foram impulsionados por uma alta na receita por cliente, e vieram em linha com o consenso do mercado.

A receita média por cliente (ARPU) foi de R$ 190,80 entre janeiro e março deste ano, um crescimento de 8,5% na base anualizada. O Banco Inter encerrou março com 10,2 milhões de clientes, avanço de 106% sobre o registrado um ano antes.

As receitas totais do banco quase dobraram na mesma base comparativa, para R$ 541,8 milhões. O resultado foi ainda melhor, com alta de 113%, em receitas de serviços, que somaram R$ 207 milhões ao faturamento total da instituição.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

“Além de um modelo disruptivo e com grande crescimento nas receitas de serviços, a transformação digital do nosso negócio também impacta positivamente as nossas operações de crédito”, disse em comunicado o CEO João Vitor Menin. A carteira ampliada do banco subiu 97,1% de ano para ano, atingindo R$ 11 bilhões.

A originação de crédito também teve forte crescimento, chegando a R$ 3,7 bilhões no primeiro trimestre, avanço de 174% — destaque para o crédito consignado, que registrou uma melhora de 246%. “Hoje, contamos com crescimento exponencial em depósitos e com um custo de funding extremamente baixo.”

Custo de aquisição de clientes do Banco Inter aumenta

No primeiro trimestre deste ano, o Banco Inter atingiu um custo de aquisição de clientes (CAC) de R$ 27,76. O montante equivale a um aumento de 14,4% na comparação anual, e reflete um gasto 50% maior em marketing.

Segundo aponta a instituição, o maior investimento no setor “tem se mostrado positivo para a conversão de clientes“. No primeiro trimestre, foram abertas cerca de 29 mil contas por dia útil. Ao todo, foram abertas 1,76 milhão de contas entre janeiro e março, sendo que no primeiro trimestre de 2020 foram abertas 891,1 mil contas.

A instituição também ressaltou as atividades em serviços bancários, com o montante de R$ 7 bilhões em depósitos à vista, crescimento anual de 174%, com um saldo médio em conta de R$ 1,3 mil por cliente.

As receitas de cartões cresceram 78% em um ano, para R$ 81,7 milhões. O resultado teve como estímulo a alta de 174% no montante total transacionado com os cartões, que chegou a R$ 7,6 bilhões.

Ademais, as receitas totais do banco notaram um crescimento no Inter Shop e Inter Seguros, de R$ 41,2 milhões e R$ 19,6 milhões, respectivamente. Destaques do banco no trimestre, o Shop reportou um volume bruto de mercadorias (GMV) de R$ 676 milhões, alta de 1.648%, enquanto a parte de Seguros alcançou o número de 367 mil segurados, crescimento de 385%.

O patrimônio líquido do Banco Inter encerrou o trimestre em R$ 3,2 bilhões, crescimento de 49,3% em função do follow-on realizado em setembro de 2020. Por conta disso, o Retorno sobre Patrimônio Líquido Médio (ROAE) foi de 0,9% no primeiro trimestre, queda de 2,7 pontos percentuais ano contra ano. O índice de Basileia ficou em 24,1%, recuo de 4,5 pontos percentuais.

Jader Lazarini

Compartilhe sua opinião