Agenda do Dia: resultado do BB, estreia da Méliuz e precificação da Enjoei

Agenda do Dia: resultado do BB, estreia da Méliuz e precificação da Enjoei
A Agenda do Dia desta quinta-feira (5) repercute os resultados do Banco do Brasil e Banco Pan, além da estreia da Méliuz na B3.

A Agenda do Dia desta quinta-feira (5) repercute os resultados do Banco do Brasil e Banco Pan, além da estreia da Méliuz na Bolsa de Valores de São Paulo (B3) em sua oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês). Nesse sentido, também haverá a precificação as ações da Enjoi.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

lead suno background

Os próximos resultados trimestrais, novidades sobre a recuperação da MMX e os desdobramentos das eleições dos Estados Unidos também chamam a atenção. Confira os destaques da Agenda do Dia:

Resultados trimestrais da Agenda do Dia

Confira os resultados das empresas listadas na B3 marcados para esta quinta-feira:

Banco do Brasil lucra R$ 3,5 bilhões no terceiro trimestre

O Banco do Brasil informou, na manhã desta quinta-feira (5), que teve um lucro líquido ajustado de R$ 3,5 bilhões no terceiro trimestre deste ano. O resultado equivale a uma queda de 23,3% sobre o registrado no mesmo período do ano passado, mas um avanço de 5,2% em comparação ao segundo trimestre deste ano.

O índice de Basiléia atingiu 21,21% em setembro, sendo 13,11% de capital principal. O Retorno sobre Patrimônio Líquido (ROE) do banco no trimestre alcançou 12%.

Banco Pan eleva lucro líquido em 26%

O Banco Pan (BPAN4) apresentou um lucro líquido de R$ 170 milhões auferido no terceiro trimestre, um crescimento de 26% frente ao lucro de R$ 135 milhões do mesmo período de 2019.

De acordo com a divulgação na última quarta-feira, a carteira de crédito encerrou o terceiro trimestre deste ano com saldo de R$ 25.300 milhões, um avanço de 7% em relação ao patamar apurado no mesmo período de 2019. Já a carteira core — composta pelas carteiras de crédito consignado, financiamento de veículos e cartões de crédito — anotou uma expansão de 11% no últimos 12 meses.

Estreia da Méliuz é destaque na Agenda do Dia

Movimentando R$ 583,4 milhões no IPO, a Méliuz estreiará na Bolsa brasileira nesta quinta-feira. A precificação dos papéis da companhia atingiu R$ 10 por ação, piso da faixa indicativa. A companhia fez uma oferta primária e secundária, ou seja, parte do valor levantado irá para o caixa da empresa e parte para o bolso de atuais acionistas.

Fundada em 2011, a empresa opera com a disponibilização, de forma gratuita, cupons de desconto de lojas on-line, devolvendo aos clientes parte do valor gasto em compras diretamente na conta bancária. A empresa possui 800 empresas parceiras, como Lojas Americanas, Via Varejo, Amazon e Aliexpress.

Com cerca de R$ 265,5 milhões em caixa após a oferta, a empresa deve focar em seu plano de expansão. Metade do valor, cerca de R$ 132 milhões, terá como destino futuras aquisições, enquanto outra parte seria em ampliação de participação da companhia no mercado.

Enjoei será precificada

Outro destaque da Agenda do Dia é o dia da precificação do IPO da Enjoei. Em sua abertura de capital, serão distribuídas 96.265.123 ações ordinárias, entre primárias e secundárias, fazendo com que a empresa seja listada no Novo Mercado, mais alto nível de governança corporativa.

A estreia da empresa na B3 está marcada para a próxima segunda-feira (9), e a Enjoei estima a captação líquida de R$ 514 milhões.

A companhia pode ser definida como uma plataforma marketplace C2C (Consumidor para Consumidor) de compra e venda de produtos, principamente usados, com as atenções voltadas à categoria de “moda e lifestyle”. Os fundadores da Enjoei, Ana Luiza e seu marido, Tiê Lima, permanecem na liderança da administração. Ana é presidente do conselho e Tiê é o CEO.

MMX aguarda homologação de delação

A MMX (MMX3) informou que Eike Batista, acionista controlador da empresa, aguarda uma possível homologação de acordo de delação premiada acordado com o Ministério Público Federal, mas que ainda não recebeu nenhuma comunicação oficial confirmando a homologação.

O esclarecimento, enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), ocorre logo depois da divulgação de notícias de que a ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), teria homologado o acordo de delação premiada do empresário no dia 3 de novembro.

Em meados de 2020, o empresário e acionista da MMX foi condenado a oito anos de prisão em regime semiaberto por manipulação do mercado de capitais com a divulgação de informações falsas referentes à operação de sua petroleira OGX.

Eleição presidencial norte-americana

Na corrida pela presidência nos Estados Unidos, Joe Biden figura à frente com 264 votos eleitorais (são necessários 270 para a vitória). Donald Trump possui 214.

Os estados de Nevada e Geórgia podem definir as eleições dos Estados Unidos nesta quinta-feira. Faltam os resultados de cinco estados, mas esses dois podem ser suficientes para definir quem sentará na Sala Oval pelos próximos quatro anos.

Próximo das 9h30, o Departamento do Trabalho dos Estados Unidos apresentará o número de pedidos de seguro-desemprego na semana encerrada no último sábado (31). Outro destaque da Agenda do Dia é a reunião de política monetária do Federal Open Market Committee (Fomc), às 16h.

Jader Lazarini

Compartilhe sua opinião