Ações da Ambev (ABEV3) chegam a cair 9% após divulgação do resultado

Ações da Ambev (ABEV3) chegam a cair 9% após divulgação do resultado
A Ambev confirmou a primeira encomenda de caminhões elétricos da Volkswagen

As ações da Ambev (ABEV3) registraram queda de até 9% após a divulgação de seu balanço do quarto trimestre e do ano de 2019. O mercado reagiu negativamente aos números divulgados nesta quinta-feira (27) pela maior fabricante de cervejas da América Latina.

Por volta das 11h30, os papéis ordinários da Ambev registravam queda de 9% sendo negociados a R$ 14,32. Os analistas informaram que os resultados operacionais foram mais fracos do que os projetados.

“Os resultados do quarto trimestre mostram que a Ambev praticou descontos no Brasil e eles foram maiores do que esperávamos. Os desafios permanecem para 2020 porque Heineken e Petrópolis têm aumento da capacidade de produção”, avaliou o Bradesco BBI.

Por sua vez, o Itaú BBA destacou que os resultados foram mais fracos que os projetados para a divisão de cervejas, com um Ebtida 4% abaixo das estimativas do banco.

Além disso, a fabricante divulgou, nesta quarta-feira, um fato relevante que informava ao mercado que seu Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) deve cair entre 17% e 20% no primeiro trimestre de 2020.

Ambev divulga lucro líquido de R$ 12 bilhões em 2019

A Ambev apresentou um lucro líquido ajustado de R$ 12,54 bilhões referente a 2019. O resultado é 8,5% maior do que o acumulado de 2018.

A maior fabricante de cervejas e refrigerantes da América Latina também divulgou seu resultado do quarto trimestre do ano passado. Segundo a Ambev, apenas no intervalo entre outubro e dezembro, o lucro ajustado foi de R$ 4,63 bilhões, crescimento de 24,4% frente ao mesmo período do ano anterior.

A receita líquida consolidada da empresa subiu 7,9% no ano passado, atingindo R$ 52,6 bilhões, enquanto o volume de vendas registrou um crescimento de 2,7%. A companhia destaca o aumento de receita na América Central e Caribe (+9,8%) e América Latina Sul (+13,8%).

Em 2019, o volume de cerveja vendido no País aumentou 3,2%, chegando a 80,3 milhões de hectolitros, enquanto que a receita foi elevada em 5,6%.

“No ano, as marcas premium do portfólio (Stella Artois, Budweiser, Corona e Becks) cresceram dois dígitos, desempenho que faz da Ambev a líder absoluta do segmento no país”, destacou a companhia.

Veja Também: Ambev anuncia instrumento financeiro de R$ 1,5 bi em parceria com bancos

O Ebitda ajustado foi de R$ 21,14 bilhões no acumulado anual, e R$ 6,92 bilhões no quarto trimestre, quedas de 2,5% e 9,3%, respectivamente.

De acordo com a companhia, o fluxo de caixa das atividades operacionais no último trimestre do ano foi de R$ 9,63 bilhões, alta de 9,6% frente o mesmo período de 2018. Já o CAPEX cresceu 48,1%, para R$ 2,003 bilhões.

Em todo o ano passado, a empresa distribuiu R$ 7,7 bilhões na forma de juros sobre capital próprio. Além disso, a posição de caixa da Ambev no último dia de 2019 era de 8,85 bilhões.

Poliana Santos

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO