Acesso Rápido

    Radar do Mercado: Bradesco (BBDC4) divulga seus resultados para o 1T21

    Radar do Mercado: Bradesco (BBDC4) divulga seus resultados para o 1T21

    Na terça-feira (04/05), o Bradesco divulgou seus resultados do primeiro trimestre de 2021.

    O banco registrou um lucro líquido recorrente de R$ 6,5 bilhões no 1T21, apresentando crescimento de 73,6% em relação ao lucro registrado no mesmo período do ano passado.

    A companhia justificou que essa elevação no lucro aconteceu, majoritariamente, por uma redução nas despesas com Provisões de Devedores Duvidosos (PDD). O banco registrou um total de R$ 3,9 bilhões em PDD expandida no trimestre, apontando uma redução de 41,8% em relação ao registrado no 1T20.

    Também houve melhoria no nível de inadimplência (90 dias), que foi de 2,5% no período, indicando uma redução de 1,2 ponto percentual na comparação com o primeiro trimestre de 2020.

    Apesar do crescimento do lucro observado na comparação com o 1T20, o lucro líquido recorrente teve leve queda no 1T21 em relação ao último trimestre de 2020. Isso porque a companhia havia registrado um lucro líquido recorrente de R$ 6,8 bilhões no 4T20, mas viu uma redução de 4,2% no 1T21.

    E-book: Investindo em Fundos Imobiliários

    Baixe gratuitamente nosso ebook sobre os Fundos Imobiliários e conheça a forma mais simples e efetiva de se investir em imóveis!

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    De acordo com o banco, essa redução se deve a fatores sazonais e à menor atividade econômica observada no início desse ano.

    Os indicadores de rentabilidade do Bradesco Retorno sobre Patrimônio Médio (ROAE) e Retorno sobre Ativos Médio (ROAA) foram de 18,7% e 1,6%, respectivamente, no primeiro trimestre de 2021, destacando-se a melhoria de 7 p.p. do ROAE em comparação com o 1T20.

    Além disso, a carteira de crédito da empresa manteve-se em evolução, registrando crescimento de 2,6% no trimestre e de 7,6% em 12 meses, totalizando R$ 705,2 bilhões.

    O destaque ficou com a carteira de pessoas físicas, que teve um aumento de 3,8% no trimestre e de 13% em 12 meses. De acordo com a companhia, o avanço foi impulsionado majoritariamente pelo crédito pessoal, consignado e financiamento imobiliário.

    Um outro ponto que vale ressaltar é o Índice de Basileia nível 1 do banco, que encerrou o trimestre em 13,6%, em níveis superiores aos limites regulatórios.

    Tags
    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *