AGENDA

Via Varejo (VVAR3) levanta R$ 1 bilhão com debêntures ligadas a sustentabilidade

Via Varejo (VVAR3) levanta R$ 1 bilhão com debêntures ligadas a sustentabilidade
Via - Foto: Divulgação

A Via Varejo (VVAR3) levantará R$ 1 bilhão por meio de uma nova emissão de debêntures, após a aprovação de seu Conselho. Essa será a primeira emissão da companhia com condições ligadas ao cumprimento de metas de sustentabilidade. A informação foi revelada por meio de um comunicado ao mercado na noite do último domingo (18).

Segundo a Via Varejo, a operação será dividida em duas séries. Cada título terá o valor unitário de R$ 1 mil, com remuneração de juros correspondentes à variação acumulada de 100% das taxas médias diárias do DI, com uma sobretaxa de 1,90% para as debêntures da primeira série e de 2,10% para as da segunda.

Caso a companhia não cumpra metas de emprego de energia elétrica renovável, a taxa de prêmio terá acréscimo de 10 pontos-base. As debêntures da primeira série terão prazo de vigência de três anos a partir da emissão, enquanto as da segunda série terão prazo de cinco anos.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Vídeo Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

De acordo com a varejista, os recursos captados serão destinados para o alongamento do perfil da dívida da companhia e para o reforço de caixa na gestão ordinária dos negócios.

A operação ocorrerá no âmbito da Instrução 476 da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), sendo uma oferta restrita a investidores profissionais. Os títulos serão oferecidos para, no máximo, 75 investidores, sendo que até 50 podem aderir a oferta.

S&P fará classificação de risco das notas da Via Varejo

Segundo o comunicado da Via Varejo, a Standard & Poor’s fará a classificação de risco de crédito da emissão, além da atualização uma vez ao ano do rating das debêntures.

Na última semana, a agência elevou o rating da empresa para “brAA”, com perspectiva estável. Para a S&P, a companhia deve apresentar um sólido crescimento de receita nos próximos dois anos.

“Esperamos que a Via Varejo refinancie seus vencimentos de dívida de curto prazo nos próximos meses e mantenha a dívida bancária relativamente estável. Com isso, esperamos certa redução de alavancagem, com índice de dívida sobre Ebitda entre 2,5x – 3,5x entre 2021-2022, sem considerar recebíveis de cartão de crédito”, aponta o relatório.

A S&P também espera que a Via Varejo tenha uma crescente geração de caixa nos próximos anos, à medida que expande suas operações online e offline. O crescimento será resultado do “forte reconhecimento de suas marcas e estratégia omnicanal”.

Com informações do Estadão Conteúdo.

Jader Lazarini

Compartilhe sua opinião