Vale (VALE3) mantém meta de produção de minério de ferro

Vale (VALE3) mantém meta de produção de minério de ferro
Vale

O diretor financeiro da Vale (VALE3), Luciano Siani Pires, afirmou que a mineradora mantém sua meta de produção de, aproximadamente, 310 milhões de toneladas de minério de ferro em 2020. O executivo concedeu uma entrevista à ‘Bloomberg Television’ nessa quarta-feira (7).

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

lead suno background

Após o acidente em Brumadinho, Minas Gerais, a Vale perdeu o posto de maior produtora mundial de minério de ferro, entretanto, está retomando os níveis de produção, mesmo em meio à pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Nesse sentido, a companhia busca retornar aos níveis de produção que apresentava antes do acidente. Segundo Pires, no entanto, a meta está sujeita a uma aceleração na segunda metade do ano.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Além disso, o CFO da mineradora apontou que a recuperação de 30% nos preços do minério e a forte demanda da China, estão beneficiando a companhia. O executivo ainda considerou a demanda chinesa como “muito sólida”.

Na ocasião, o diretor também comentou sobre a classificação de crédito atribuída pela agência de classificação de risco Moody’s na última semana.

Moody’s eleva rating da Vale destacando ESG

A Moody’s elevou, na última quinta-feira (1), o rating da Vale para “Baa3”, com perspectiva estável. A agência destacou as melhorias da mineradora em aspectos ambientais, sociais e de governança corporativa (ESG).

De acordo com a Moody’s, a companhia aprimorou a gestão de risco e a supervisão de governança após o acidente de Brumadinho (MG), em janeiro de 2019, que acabou matando 250 pessoas. A agência diz que a Vale atuou na reparação de afetados, “reduzindo materialmente o risco de um acidente similar no futuro”.

A Moody’s salientou que a mineradora criou um novo padrão de gerenciamento de barragens “alinhado às melhores práticas internacionais”. A agência também destacou a criação das diretorias de Segurança, Excelência Operacional, de Compliance e a adoção de metas ESG.

Ademais, apesar das implicações financeiras do acidente com a barragem de rejeitos, a Vale conseguiu manter forte liquidez, disse a agência.

Laura Moutinho

Compartilhe sua opinião