Usiminas (USIM5) e CVC Brasil (CVCB3) lideram ganhos do Ibovespa na semana

Usiminas (USIM5) e CVC Brasil (CVCB3) lideram ganhos do Ibovespa na semana
Sede da Usiminas (USIM5). Foto: Divulgação

A semana de recuperação do Ibovespa, que interrompeu uma sequência de três quedas, começou bastante movimentada com a notícia de que a gigante do setor imobiliário chinês Evergrande não conseguiria honrar parte de suas dívidas de US$ 300 bilhões. O temor dos mercados de um contágio entre outras empresas chinesas e bancos globais jogou os mercados para o negativo na segunda-feira e o índice brasileiro não resistiu à pressão vendedora.

No primeiro dia da semana, o Ibovespa recuou 2,3% e chegou a avançar no terreno dos 107 mil pontos no intraday, menor valor desde 3 de março. Os três dias seguintes foram de recuperação com ganhos diários entre 1% e 2%, que levou o índice a encerrar a semana com alta de 1,65% aos 113.283 apesar da queda de 0,69% na sexta-feira.

O destaque entre as 91 ações de 84 empresas que compõem o Ibovespa foi a Usiminas (USIM5), que saltou 17% na semana para alcançar os R$ 16,29. Veja a lista das 5 maiores altas da semana do Ibovespa:

1. Usiminas (USIM5) dispara após forte correção e lidera Ibovespa

A siderúrgica terminou a semana como destaque do Ibovespa com salto de 17%. Sem nenhuma notícia no radar que impulsionasse a Usiminas tão à frente de suas concorrentes, como CSN (CSNA3) e Gerdau (GGBR4), a alta pode ser sinal de uma recuperação após correção nas últimas semanas com a queda do minério de ferro.

A Usiminas, que era negociada no patamar de R$ 21 no começo de agosto foi ladeira abaixo nas semanas seguintes até tocar na mínima de R$ 13,13 na segunda feira, tombo de quase 40%.

Os investidores voltaram com força na ação na quarta-feira e quinta-feira, quando o papel subiu 8,7% e 9,25%, respectivamente.

A confiança aumentou com relatório do BTG Pactual que afirmou que a companhia está “mal avaliada”. Para os analistas do banco, as ações estão “sendo negociadas a 1,6x EV/EBITDA 22 (a avaliação mais barata de nossa cobertura).

2. CVC Brasil (CVCB3) sobe com dados operacionais

A reabertura dos países aos brasileiros com o relaxamento das regras de restrição de mobilidade para combater a pandemia de covid-19 tem deixado os investidores mais otimistas com ações do setor de turismo e viagem.

A CVC Brasil foi destaque do Ibovespa com uma semana inteira no positivo, com ganhos diários entre 0,23% e 6,91%. Na terça-feira, a empresa mostrou seus dados financeiros e operacionais relativos a agosto.

3. Gol (GOLL4) avança com carros voadores, emissões e retomada

A companhia aérea teve uma semana movimentada no noticiário e as ações reagiram positivamente, com ganho de 14,43%.

A empresa informou no começo da semana que sua malha aérea irá contar com 250 aeronaves elétricas eVTOL — também chamada de carros voadores. A Avolon será a fornecedora dos veículos, que terão decolagem e pouso verticais, com início de operação em 2025.

A Gol ainda captou US$ 150 milhões em bonds com vencimento em 2026, juros de 8% ao ano.

4. Embraer (EMBR3) também voa com carros voadores e fica em 4º no Ibovespa

A fabricante de aeronaves tem investido em soluções de mobilidade aérea além dos jatos e os investidores têm aplaudido. O papel EMBR3 subiu quase 14% com mais notícias de acordos para entregar carros voadores e ficou no quarto lugar entre as ações que mais subiram no Ibovespa.

A Embraer fechou acordo para fornecer 100 carros para a Bristow Group, com entregas a partir de 2026. Já a área de inovação EmbraerX assinou parceria com a Pyka, do Vale do Silício, para desenvolver aeronaves autônomas de pulverização para o setor agrícola.

No radar dos investidores, o Goldman Sachs publicou relatório elevando o papel para “compra”, com preço alvo de R$ 23.

5. Ultrapar sobe com plano de sucessão

A Ultrapar disparou 13% na semana após o mercado receber bem o plano de sucessão de posições-chave dentro da holding.

O presidente do colegiado, Pedro Wongtschowski, cujo mandato se encerrará em abril de 2023, será substituído por Marcos Marinho Lutz, atual conselheiro da companhia. Já a vice-presidência ficará com Frederico Fleury Pinheiro Curado, atual diretor presidente, cargo que assumirá em janeiro de 2022. Na Ipiranga, assume Leandro Linden no lugar de Marcelo Araújo, que passa a ser diretor da holding.

No ano, o Ibovespa acumula perdas de 4,69%.

Redação Suno Notícias

Compartilhe sua opinião

Manual 10 passos essenciais para se tornar um investidor de sucesso. Baixe Grátis!

Baixar agora!