S&P 500 futuro segue no azul com visão do Fed e recuperação da Evergrande

S&P 500 futuro segue no azul com visão do Fed e recuperação da Evergrande
S&P 500. Foto: Pixabay

O S&P 500 avança no mercado futuro na manhã desta quinta-feira (23), com os investidores reagiando a novas informações sobre a recuperação da incorporadora chinesa Evergrande e digerindo o comunicado do Federal Reserve (Fed) após a reunião desta semana.

Por volta das 8h50, o S&P 500 futuro subia 0,55%, para 4.419,60 pontos. A Nasdaq, por sua vez, avançava 0,52%, para 15.254,70 pontos.

Na véspera, o Banco Central norte-americano manteve a taxa de juros entre 0% e 0,25%, como esperado, e disse que o processo de diminuição nos estímulos econômicos, chamado de tapering, deve começar em novembro deste ano. Este processo vem sendo precificado pelo mercado nas últimas semanas.

As estimativas apresentadas no final da reunião de política monetária do Fed mostraram que metade dos 18 integrantes do BC esperam aumentar as taxas de juros até o final do ano que vem, estancando o surto de inflação.

No que se refere à crise do setor imobiliário na China, a visão do mercado é de que a Evergrande será auxiliada pelo governo chinês, mitigando o impacto e dividindo as perdas entre os agentes financeiros.

Contudo, ao que tudo indica, uma das subsidiárias da incorporadora tem US$ 83,5 milhões em pagamento de juros de bonds nesta quinta, e deve cumprir com o compromisso.

Por mais que Pequim esteja relutante em salvar o conglomerado bilionário, uma das saídas enxergadas pelos investidores é a estatização da companhia.

As ações da Evergrande listadas em Hong Kong dispararam 18% no pregão de hoje, embora permaneçam com baixa de 82% no acumulado do ano. O índice Hang Seng de Hong Kong subiu 1,2%, recuperando parte do terreno perdido no início da semana.

No mercado de títulos, o rendimento das Treasuries de 10 anos caiu para 1,330%, de 1,332% na última quarta. O rendimento tem sentido inverso aos preços dos títulos.

“Existe certo alívio em relação à China, com a leitura de que os BCs continuarão injetando liquidez nos mercados. Esse viés foi confirmado pelo Banco Central da Inglaterra nesta manhã”, comentou Roberto Padovani, do BV.

Dados da indústria e serviços vieram mais fracos que o esperado na Alemanha e na zona do euro, retirando um pouco da força das Bolsas do Velho Continente.

S&P 500 e as Bolsas mundiais

Confira o desempenho das principais bolsas mundiais por volta das 9h05:

Os mercados internacionais figuram em setembro com alta volatilidade, com as preocupações que rondam o âmbito econômico. O S&P 500 e as Bolsas ainda digerem o desdobramento das pressões inflacionárias norte-americanas e a retirada de estímulos mundo afora.

Jader Lazarini

Compartilhe sua opinião

Manual 10 passos essenciais para se tornar um investidor de sucesso. Baixe Grátis!

Baixar agora!