PROVENTOS

Patrocinado por:

Próximo da máxima, S&P 500 prevê recuperação do mercado de trabalho

Próximo da máxima, S&P 500 prevê recuperação do mercado de trabalho
Foto: Pixabay

O S&P 500 futuro opera em alta na manhã desta sexta-feira (7), antes da divulgação de novos dados do mercado de trabalho nos Estados Unidos. Os investidores esperam que os números mostrem um forte avanço na criação de postos de emprego após a desaceleração causada pela pandemia.

Por volta das 8h14, o S&P 500 avançava 0,22%, para 4.203,38 pontos. A Nasdaq, por sua vez, subia 0,23%, a 13.628,62 pontos. O Dow Jones Industrial Average encerrou o útimo pregão com mais uma máxima histórica, demonstrando que o mercado está confiante na recuperação econômica e volta dos setores mais impactados pelo coronavírus.

Os índices norte-americanos caminham para encerrar a semana no azul. Os últimos dias foram menos agitados pelos balanços corporativos, com quase 80% das empresas do S&P já tendo reportado seus números ao mercado, mas com informações relevantes sobre a política monetária adotada pelo Federal Reserve (Fed).

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

As autoridades norte-americanas disseram que não irão retirar a política acomodatícia que estimula a economia até que o mercado de trabalho volte a um patamar confortável.

Entretanto, analistas alertam que o Fed poderá voltar a conversar sobre um reajuste em seu posicionamento nos próximos meses. O relatório semestral de estabilidade financeira do BC norte-americano observou uma elevação por apetite por risco em uma variedade de mercados de ativos, deixando claras as vulnerabilidades no sistema financeiro estadunidense.

Antes da chegada do vírus, os Estados Unidos estavam em pleno emprego, com uma taxa de desocupados que girava em torno de 3,5%. Hoje, essa relação está em 6%. Wall Street espera que a taxa caia 5,8%, com a criação de 1 milhão de empregos em abril. Os dados serão divulgados às 9h30 (horário de Brasília).

No mercado de commodities, chama atenção o recorde histórico atingido pelo cobre, devido às expectativas de que as economias em recuperação devem estimular um boom na demanda global. O minério de ferro ultrapassou a marca de US$ 200 por tonelada na China, enquanto o barril de petróleo Brent continuava a operar próximo de US$ 70.

“O tom dos mercados nesta manhã é positivo em função justamente de indicadores econômicos”, diz o economista do Banco BV, Roberto Padovani. “Os números foram positivos na China e Alemanha e também devem ser nos Estados Unidos. Por mais que as Treasuries estejam em alta, o dia é de busca por risco.”

S&P 500 e as Bolsas mundiais

Confira o desempenho das principais bolsas mundiais por volta das 8h26:

  • S&P 500 futuro: +0,21%
  • Nasdaq futuro: +0,25%
  • DAX 30 (Alemanha): +1,29%
  • FTSE 100 (Inglaterra): +0,60%
  • Euro Stoxx 50: +0,58%
  • SSE Composite (Xangai): -0,65% (fechada)
  • Nikkei 225 (Japão): +0,09% (fechada)

As bolsas mundiais abriram este mês de forma positiva, dando continuidade aos ganhos do trimestre. O S&P 500 e os mercados internacionais também observam o desdobramento dos novos pacotes de estímulos do presidente Joe Biden e o impacto da pandemia no mundo.

Jader Lazarini

Compartilhe sua opinião