Radar: Bradesco (BBDC4) registra alta no lucro no 2T22, AES Brasil (AESB3) paga dividendos milionários, Shopee tem app mais acessado

Radar: Bradesco (BBDC4) registra alta no lucro no 2T22, AES Brasil (AESB3) paga dividendos milionários, Shopee tem app mais acessado
Bradesco - Foto: Reprodução

O Bradesco (BBDC4) fechou o segundo trimestre de 2022 com lucro líquido recorrente de R$ 7,04 bilhões, alta de 11,4% no comparativo anual. A informação foi divulgada no balanço do banco, arquivado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), nesta quinta-feira (4) após o pregão.

lucro contábil do Bradesco atingiu R$ 7,07 bilhões entre abril e junho, o equivalente a um incremento de 18,4% contra mesmo período de 2021.

De acordo com o balanço do Bradesco do 2T22, o resultado veio com o desempenho da margem financeira com clientes, das receitas de prestação de serviços, das operações de seguros, além do controle das despesas operacionais.

O Retorno Anualizado sobre Patrimônio Líquido Médio (ROAE) teve alta de 0,5 ponto percentual e alcançou 18,1% no período. O Retorno Anualizado sobre Ativo Médio (ROAA) foi de 1,6%, apenas 0,1 ponto percentual acima do resultado do 2T21, e em linha sobre o 1T22.

Segundo o balanço do Bradesco, o Índice de Basileia da instituição foi de 15,6%, queda de 0,1 ponto percentual sobre o trimestre imediatamente anterior.

A carteira de crédito expandida apresentou crescimento de 17,7% em 12 meses, chegando a R$ 855,4 bilhões. Na carteira de pessoas jurídicas, as operações de Pequenas e Médias Empresas (PMEs) expandiram 16,6% no ano.

Além do crescimento da carteira de crédito, o Bradesco atribui o avanço ao maior spread (diferença entre custo de captação e juros cobrados dos clientes). A chamada taxa média cresceu 1,1 ponto porcentual em um ano, para 10%.

Por outro lado, a tesouraria do Bradesco, cujo resultado está na chamada margem com mercado, teve perda de R$ 587 milhões no segundo trimestre, ante ganho de R$ 2,267 bilhões no mesmo intervalo de 2021. Segundo o banco, o aumento do CDI impactou as estratégias de gestão de ativos e passivos, embora o capital de giro próprio tenha gerado maior resultado.

As receitas de prestação de serviços tiveram crescimento anual de 6,7% e totalizaram R$ 8,9 bilhões. A despesa de Provisão para Devedores Duvidosos (PDD) Expandida anotou aumento de 52,4% no período e atingiu R$ 5,3 bilhões.

Ao fim do segundo trimestre, o índice de inadimplência total acima de 90 dias aumentou 1 ponto percentual ante o mesmo período de 2021, alcançando 3,5 ponto percentuais.

margem financeira do Bradesco atingiu R$ 16,3 bilhões, com a margem com clientes evoluindo mais de 25,8% no trimestre e atingindo um spread de 10%. O indicador mede os ganhos da instituição com operações que rendem juros. O crescimento veio da margem com clientes, que teve salto de 25,8%, para R$ 16,947 bilhões.

Em base anual, o banco viu sua margem financeira subir 4%, para R$ 16,361 bilhões.

No resultado do Bradesco as despesas operacionais tiveram um aumento de 4,9% em relação ao segundo trimestre de 2021, para R$ 11,5 bilhões

Além da Bradesco, confira outros destaques desta quinta-feira:

Lojas Renner (LREN3): lucro sobe 87% no 2T22, com alta nas vendas

  • A Lojas Renner (LREN3) divulgou seu resultado referente ao segundo trimestre de 2022. A empresa de varejo de moda obteve lucro líquido de R$ 360,4 milhões no 2T22, alta de 86,7% na comparação anual.
  • O Ebitda (lucros antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) total ajustado da Lojas Renner cresceu 47% contra o 2T21, atingindo R$ 702 milhões, com margem de 22,1%. No mesmo período, a receita líquida de varejo atingiu R$ 3,1 bilhões, alta de 40,6% ante o 2T21, segundo o balanço da Lojas Renner.
  • “O segundo trimestre de 2022 apresentou crescimento robusto de vendas de +41% versus 2021 e +57% versus 2019”, explica a Lojas Renner no relatório de divulgação de resultados do 2T22.
  • Segundo a varejista, o período apresentou forte desempenho, impulsionado por um inverno antecipado, mais rigoroso, junto à necessidade de renovação do guarda-roupa, fruto da retomada dos eventos sociais e maior mobilidade. Assim, as vendas da coleção Outono-Inverno aceleraram, de acordo com a Lojas Renner, e o número de transações e tickets atingiu níveis cerca de 10% acima de 2019.
  • Além disso, a forte sazonalidade do período, com eventos de Dias das Mães, Namorados e São João, aliada à consolidação das diversas iniciativas multicanais, favoreceram o desempenho do trimestre.
  • O GMV (volume bruto de mercadorias) da Renner no segundo trimestre totalizou R$ 545,8 milhões, aumento de 27,3% e 387% em relação a 2021 e 2019, respectivamente.  O crescimento das vendas nas mesmas lojas foi de 37,8% no 2T22, um recuo de 270,8 pontos percentuais na comparação com 2T21, em que foi 308,6%.
  • lucro bruto de varejo da Lojas Renner totalizou R$ 1,7 bilhão, crescimento de 43,5% na comparação anual.
  • No 2T22, as despesas operacionais da Renner somaram R$ 1 bilhão, alta de 26,3% em relação ao 2T21. O resultado de serviços financeiros, por outro lado, atingiu R$ 11,9 milhões no segundo trimestre, queda de 77% na comparação o 2T21. 
  • Por fim, o ROIC (retorno sobre capital investido) da Lojas Renner foi 10,6% no segundo trimestre, alta de 6 pontos percentuais na comparação anual.

3R Petroleum (RRRP3): preço das ações deve mais do que triplicar, diz Genial; entenda

  • Nesta semana, a 3R Petroleum (RRRP3) divulgou dois fatos relevantes ao mercado, ambos vinculados aos seus negócios com a Petrobras (PETR4). O primeiro documento anunciou a tomada de um empréstimo de US$ 500 milhões para pagar a aquisição do Polo Potiguar (RN), enquanto o segundo comunicou a conclusão da compra do Polo Peroá (ES).
  • A Genial analisou o impacto das operações na companhia.
  • Os movimentos agradaram os analistas, que recomendam compra a um preço-alvo de R$ 119, valorização de 256%, ou uma alta de mais de 3,6 vezes a cotação atual das ações da 3R Petroleum. Os papéis fecharam esta quinta (4) com leve baixa de 0,18%, negociados a R$ 32,68.
  • Na análise da Genial Investimentos, as operações da 3R Petroleum são movimentos interessantes da companhia, sobretudo porque se alinham à tese da empresa, que, atualmente, negocia seus barris abaixo da média do mercado na América Latina. “À medida que a consolidação de ativos segue nessa toada, a nossa impressão é de que esse desconto tende a ir se fechando gradualmente”, alerta.
  • Os analistas afirmam que os termos do empréstimo para pagar o Polo Potiguar são “razoáveis”, já que é o ativo mais relevante da companhia até o momento. “O custo total seria de aproximadamente 8,5% ao ano – elevado, mas condizente com a atual realidade do mercado. O prazo para pagamento seria de 54-60 meses, que também consideramos apropriado tendo em vista o prazo de maturidade do projeto”, argumentam.
  • Em relação à finalização da compra de Peroá, que envolveu US$ 55 milhões, a visão da empresa é de que, embora positivo, ele não tem tanto significado quanto Potiguar. “É um passo importante, mas longe de ser representativo como deverá ser a conclusão do tão esperado Polo Potiguar”.
  • Segundo dados divulgados pela 3R, em 2021, o Polo Peroá produziu cerca de 763 mil m³ de gás natural por dia, além de mais de 225 barris de petróleo. Já o Polo Potiguar, registrou média de 20,6 mil barris e 58,1 m³ de gás natural por dia.
  • “Para além da mera obtenção do controle das operações, a 3R tem sido bem sucedida em conseguir resultados de curto prazo (aproximadamente 6-12 meses) na revitalização da produção dos polos adquiridos, fator esse que também deve contribuir para a interpretação de mitigação de risco de execução que o mercado tem pela empresa”, conclui a Genial.
  • No acumulado da semana, as ações da 3R Petroleum registram ligeira alta de 0,58%. No ano, caem 2,58%.

Shopee tem app mais acessado do e-commerce

  • Shopee, gigante chinesa do varejo, é o aplicativo mais acessado no segmento de e-commerce, segundo levantamento da Conversion.
  • Dados da consultoria indicam que foram cerca de 120 milhões de acesso sem janeiro deste ano no aplicativo da Shopee, média mantida desde meados de junho de 2021.
  • No segundo lugar do ranking, o Mercado Livre (MELI34) soma uma média de 70 milhões a 75 milhões de acessos ao mês. A companhia é seguida por iFood e Aliexpress.
  • Além disso, a empresa fica bem ranqueada em ‘share of search’ – métrica que se refere à participação nas buscas que uma marca possui dentro da sua categoria.
  • “No setor Marketplace, 28,6% do Share of Search são do MercadoLivre e, no 2° lugar, está Amazon (AMZO34), com 13,5%. Já no 3° lugar temos Shopee, com 10,9% do SoS”, revela a Conversion.

Gol (GOLL4) reporta aumento de 36,3% na demanda por voos em julho

  • Gol (GOLL4) divulgou nesta quinta-feira (4) que registrou aumento de 36,3% na demanda total (RPK) por voos em julho deste ano, comparado ao mesmo mês em 2021.
  • oferta total (ASK) da companhia aumentou em 42,6%, resultando em uma taxa de ocupação de 80,8%. O total de assentos cresceu 41,9% e o número de decolagens evoluiu 44,7%.
  • No mercado doméstico, a oferta da Gol subiu 31% e a demanda avançou 24,1%. A taxa de ocupação doméstica da companhia foi de 80,1%. O volume de decolagens aumentou 40,2% e o total de assentos cresceu 37,5%.
  • No mercado internacional, a oferta foi de 309 milhões, a demanda da Gol, de 275 milhões, e a taxa de ocupação chegou a 88,9%.

AES Brasil (AESB3) pagará R$ 52,8 milhões em dividendos; veja valor por ação

  • A AES Brasil (AESB3) anunciou nesta quinta-feira (4) que vai pagar R$ 52,8 milhões em dividendos aos seus acionistas.
  • O valor dos proventos por ação será de R$ 0,10, que serão pagos em 30 de setembro.
  • Apenas os investidores com ações da AES Brasil no dia 9 de agosto poderão receber os rendimentos. A partir do dia 10 de agosto, as ações serão negociadas sem direito aos dividendos.
  • Segundo documento arquivado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), esses proventos fazem parte dos dividendos obrigatórios do exercício de 2022, referentes ao primeiro semestre do ano.
  • Valor total: R$ 52.877.139,11
  • Valor por ação: R$ 0,10745060195
  • Data de corte: 09 de agosto
  • Data do pagamento: 30 de setembro
  • Rendimento (dividend yield): 0,55%

Sanepar (SAPR11) tem queda de 29,5% no lucro do 2T22, para R$ 233,8 milhões

  • A Sanepar (SAPR11), Companhia de Saneamento do Paraná, divulgou nesta quinta-feira (4) seus resultados do segunda trimestre de 2022 (2T22). A empresa apresentou lucro líquido ajustado de R$ 233,8 milhões, 29,5% menor que o resultado obtido no mesmo trimestre no ano anterior.
  • receita líquida da Sanepar alcançou R$ 1,3 bilhão no trimestre, alta de 6,7% na comparação de base anual.
  • O aumento na receita operacional líquida da Sanepar foi afetado por quatro fatores:
  • Revisão tarifária de 5,77% a partir de 17 de maio de 2021;
  • Reajuste tarifário de 4,96% a partir de 17 de maio de 2022;
  • Crescimento dos volumes faturados de água e esgoto; e
  • Aumento no número de ligações.
  • O Ebitda da Sanepar (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) alcançou R$ 442,9 milhões, baixa de 23,9% em relação ao mesmo período em 2021. Já a margem Ebitda ajustada registrada foi de 32,6%, recuo de 13,1 ponto percentual ante o 2T21.
  • resultado financeiro líquido foi negativo em R$ 63,7 milhões de abril a junho, equivalentes ao aumento de 6,2% sobre as perdas financeiras do mesmo período do ano passado.
  • A Sanepar também informou um crescimento de 2,1% nas ligações de água na comparação anual, chegando a 3,3 milhões, com 69,3 mil novas adições. As de esgoto subiram 2,7% na mesma base comparativa, ao somar 2,4 milhões. No período em questão, foram feitas 62,3 mil novas ligações desse tipo.
  • Até o final de junho de 2022, a dívida líquida da Sanepar era de R$ 3,5 bilhões, alta de 18% contra o 2T21.
  • O índice de alavancagem, medido pela relação entre a dívida líquida/Ebitda ajustado no acumulado de 12 meses subiu 0,1 ponto percentual, para 1,6 vez. Os custos e despesas operacionais aumentaram no ano contra ano, para R$ 371,9 milhões no 2T22, elevação de 36,4%.
  • O volume médio disponível do Sistema de Abastecimento Integrado de Curitiba (SAIC) é composto pelas Barragens Piraquara I, Piraquara II, Iraí e Passaúna. No município de Foz do Iguaçu, a Sanepar utiliza a água da Barragem da Hidrelétrica Itaipu Binacional, do lago de Itaipu, no Rio Paraná.
  • No fechamento do segundo trimestre de 2022, a Sanepar reportou volume de reserva do SAIC em 91%, nível superior ao registrado no mesmo período do ano anterior (54,9%).

AES Brasil (AESB3): lucro líquido recua 65% no 2T22, para R$ 9,3 mi

  • A AES Brasil (AESB3) divulgou nesta quarta-feira (4) seus resultados no segundo trimestre de 2022. A companhia viu seu lucro líquido cair 65% na comparação anual, para R$ 9,3 milhões.
  • O número exclui o ressarcimento de recursos relacionados à repactuação do risco hidrológico (GSF) de 2021 – sem ajustes, o lucro liquido do segundo trimestre de 2021 foi de R$ 80,,223 milhões.
  • Com isso, a margem líquida da AES Brasil resultou em R$ 354,0 milhões ao final de junho, ficando em linha com a margem operacional do 2T21.
  • Por outro lado, a receita líquida da companhia totalizou R$ 620,9 milhões no segundo trimestre deste ano, representando um aumento de 10,6% em comparação com o mesmo período de 2021.
  • Segundo o documento divulgado pela empresa, o resultado foi impactado principalmente pelos maiores custos operacionais, despesas gerais e despesas administrativas, que (excluindo depreciação e amortização) tiveram um crescimento de 18% no período comparado.
  • Houve também maior depreciação e amortização no valor de R$ 41,7 milhões devido à amortização do reconhecimento do GSF no quarto trimestre de 2020.
  • No período, o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) da AES Brasil foi de de R$ 239,4 milhões, uma baixa de 6,4% ante o segundo trimestre do ano anterior.
  • Contudo, As receitas financeiras somaram R$ 76,5 milhões no 2T22. Este aumento tem como seus principais fatores responsáveis o crescimento nos rendimentos de aplicações financeiras decorrentes, uma melhor estratégia de alocação dos recursos disponíveis para aplicação, um maior saldo médio de caixa na comparação entre os períodos, e uma maior taxa média de rentabilidade no trimestre.
  • Já os custos com compra de energia aumentaram 28,1%, para R$ 266,9 milhões, refletindo as compras feitas em 2021, quando a hidrologia desfavorável levou a companhia a buscar se antecipar e proteger de uma potencial manutenção do cenário ruim.
  • O resultado financeiro correspondeu a uma despesa líquida de R$ 106,9 milhões, montante 8,5% inferior aos R$ 116,8 milhões do segundo trimestre do ano passado. Em seis meses, o resultado é negativo em R$ 201,9 milhões, também 8,5% menor.

Totvs (TOTS3) prova ser resiliente com 2T22 acima das expectativas: “Ação atraente”, diz BTG

  • A XP Investimentos e o BTG Pactual (BPAC11) consideraram sólidos e promissores os resultados do 2T22 divulgados na noite de quarta-feira (3) pela Totvs (TOTS3). “A ação deve valorizar e ficar atraente”, diz o BTG, que recomenda compra dos papéis, assim como a XP.
  • Os números do balanço do 2T22 da Totvs superaram as expectativas da XP.
  • receita líquida consolidada ficou em R$ 966 milhões, alta de 29,5% na comparação com mesmo trimestre em 2021 e +2,2% sobre o trimestre imediatamente anterior, acompanhando as estimativas da corretora. A receita recorrente cresceu 35% no ano a ano, com receita recorrente anualizada (ARR) de R$ 3,6 bilhões.
  • “Destacamos a estabilidade da margem de contribuição no trimestre em 57,7%, impulsionada principalmente pela recuperação da margem de contribuição de Techfin e Business Performance no trimestre”, diz o relatório da XP
  • Ainda sobre a receita líquida, os analistas ressaltam que o crescimento de 24% a/a foi consequência de dois pontos:
  • A receita recorrente atingindo recorde de 85% do total (+27% A/A);
  • Receitas não recorrentes +5,5% no 2T22.
  • “Vale ressaltar que a operação da Dimensa cresceu 54% A/A (28% orgânico). Além disso, a empresa mencionou que, excluindo a a receita de licenças do modelo corporativo do 1T22, a margem de contribuição cresceu 1,3 ponto percentual no trimestre”, afirmam.
  • Já o BTG pontua que já destacou em relatórios anteriores o “impressionante nível de adição de ARR”, considerando como ela se compara às receitas anuais de empresas de tecnologia maduras.
  • “Mas achamos que também vale a pena destacar o quão poderoso é para o valor de criação”, afirma o relatório do BTG.
  • “Estimamos que a margem Ebitda de receita recorrente adicional é de cerca de 25%, o que significa que uma adição de ARR de R$ 180 milhões gera R$ 45 milhões de Ebitda anual. Se presumirmos um múltiplo de 10 vezes Ebitda (conservador e inferior ao múltiplo da TOTVS), um trimestre com ARR a adição de R$ 180 milhões deve se traduzir em R$ 450 milhões em criação de valor. Assim, um ano com esse ritmo de adição de ARR gera R$ 1,8 bilhão em valor (11% do valor de mercado da TOTVS)”, explicam.
  • Anteriormente, o BTG Pactual havia reduzido o ritmo de adição trimestral de ARR para os próximos trimestres (cerca de R$ 240 milhões no 4T21 e 1T22), com a expectativa de adição líquida orgânica de R$ 182 milhões (ou seja, a Totvs superou o valor em 2%).

Do Bradesco à Totvs, essas foram as empresas que se destacaram hoje. Para ler todas as matérias clique aqui.

Jorge C. Carrasco

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO