Semana do Fiagro

Oi (OIBR3), Magazine Luiza (MGLU3) e Nubank (NUBR33) agitam mercado financeiro

Oi (OIBR3), Magazine Luiza (MGLU3) e Nubank (NUBR33) agitam mercado financeiro
Oi. Foto: Divulgação

Nos destaques do mercado financeiro desta segunda-feira (17), chama a atenção do investidor a Oi (OIBR3)  que divulgará seu balanço do primeiro trimestre deste ano no dia 21 de junho.

Além da Oi, está entre os destaques do mercado financeiro o Magazine Luiza (MGLU3) que reverteu o lucro e teve prejuízo de R$ 161 milhões no período de janeiro a março. O Nubank (NUBR33), por sua vez, reduziu em 9% o prejuízo do primeiro trimestre e o IRB (IRBR3) teve alta de 58% no lucro.

O Banco Inter (BIDI4) lucrou R$ 27,5 milhões e a Eletrobras (ELET3) viu seu lucro crescer 69% no trimestre. A Itaúsa (ITSA4) também viu alta de 59% em seu resultado trimestral.

Veja os destaques do mercado financeiro:

Oi

A Oi informou que irá apresentar o seu balanço do primeiro trimestre de 2022 no dia 21 de junho de 2022, após o fechamento do mercado.

A empresa já havia anunciado duas datas anteriores para a divulgação do seu resultado, mas optou por adiar o evento para concluir a elaboração do Formulário de Informações Trimestrais.

Além disso, o atraso também está relacionado à complexidade dos trabalhos de segregação de ativos nas três SPEs que integram a UPI Ativos Móveis, incluindo a necessidade de elaboração de suas demonstrações financeiras, na data base de fevereiro de 2022.

Magazine Luiza

O Magazine Luiza reverteu o lucro e registrou prejuízo líquido de R$ 161,3 milhões. No quesito ajustado, o prejuízo foi de R$ 98,8 milhões.

O prejuízo, conforme o relatório de resultados da companhia, foi influenciado principalmente pelo aumento das despesas financeiras no período. O resultado veio acima do projetado por analistas do mercado — que estimavam R$ 100 milhões no prejuízo.

Nubank

O Nubank reduziu o prejuízo líquido de US$ 45,1 milhões no 1T22, número que representa uma queda de 9% ante os US$ 49,4 milhões entre janeiro e março de 2021.

O prejuízo líquido do Nubank é consequência, segundo a fintech, do menor aumento das despesas comparado ao crescimento da receita, alavancado pelo crescimento das operações e da base de clientes do banco em todos os países.

IRB

O IRB Brasil obteve lucro líquido de R$ 80,5 milhões, alta de 58% em comparação ao mesmo intervalo no ano passado. No quarto trimestre, a empresa havia registrado prejuízo líquido de R$ 370,9 milhões.

Entre janeiro e março, a resseguradora informa que teve impacto de sinistros maiores nos ramos rural e de vida. Afirmou, no entanto, que os prêmios nos dois segmentos darem saltos em termos anuais, se considerada a operação brasileira. O primeiro trimestre é importante na renovação de contratos dos clientes, acrescenta a companhia.

Banco Inter

O Banco Inter registrou lucro líquido de R$ 27,470 milhões, alta de 31,8% no primeiro trimestre de 2022 (1T22). Em relação ao trimestre imediatamente anterior, o crescimento foi de de 331,2%.

De acordo com o balanço do Banco Inter do 1T22, o resultado antes de tributação sobre o lucro foi de R$ 1,009 milhão, queda de 81% em um ano. Entretanto, o banco anotou resultado contábil de R$ 59,6 milhões com ativo fiscal diferido, alta de 66% em um ano, o que impulsionou o lucro.

Eletrobras

A Eletrobras apurou avanço de 69% no lucro líquido,  ante o mesmo período de 2021, somando no total das operações continuadas R$ 2,716 bilhões.

O comunicado que acompanha os números do desempenho trimestral da estatal explica assim o resultado: “O 1T22 foi impactado, positivamente, pelo desempenho financeiro da companhia, com destaque para o efeito positivo da variação cambial e aumento de 12% da receita bruta.”

Itaúsa

Itaúsa, holding que controla o Itaú (ITUB4), a Dexco (DXCO3) e Alpargatas (ALPA4), divulgou nesta segunda que obteve lucro líquido não-recorrente de R$ 3,179 bilhões no primeiro trimestre de 2022. Essa valor representa aumento de 68,5% em relação ao mesmo período do ano anterior. Já o lucro líquido recorrente subiu 59,1% na mesma base comparativa, para R$ 3,836 bilhões.

A alienação de 2,14% do capital da XP Inc impactou o resultado do primeiro trimestre em R$ 1,1 bilhão e o caixa em R$ 1,8 bilhão.

Os destaques do mercado financeiro do Suno Notícias mostram os principais acontecimentos que prometem movimentar o mercado durante o dia, como a Oi que deve estar no foco dos investidores ao longo do dia.

Poliana Santos

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO