Nubank (NUBR33) impulsiona alta de 760 mil novos investidores na B3 (B3SA3) e número pode aumentar com BDRs

Nubank (NUBR33) impulsiona alta de 760 mil novos investidores na B3 (B3SA3) e número pode aumentar com BDRs
Estreia do Nubank na NYSE e na B3 ocorreu nos dias 9 e 10 de dezembro - Foto: Divulgação/B3/Cauê Diniz

Além do aumento da visibilidade do investimento em ações, o Nubank (NUBR33) foi parcialmente responsável por um aumento de investidores pessoa física na bolsa brasileira. Com a oferta pública inicial de ações (IPO, do inglês) na NYSE e a oferta de BDRs na bolsa brasileira, o banco digital contribuiu com o montante de cerca de 760 mil novos investidores na B3 (B3SA3) durante o mês de dezembro, informou a Bolsa.

Os dados do IPO do Nubank demonstram que foram cerca de 815 mil investidores, no montante total, considerando quem também investiu nas ações do Nubank listadas na NYSE.

Com o movimento, o número de investidores ativos na bolsa de valores brasileira, a B3, saltou de 3,4 milhões para 4,2 milhões em um mês, um aumento de cerca de 23,5%.

David Vélez, fundador do Nubank, à época da estreia dos papéis na bolsa brasileira, afirmou que aquele era “um momento histórico para o Nubank, que coroa esses oito anos de trabalho”.

“Desde o primeiro momento em que decidimos fazer o IPO, tínhamos claro que seria uma dupla listagem e fizemos o NuSócios para reconhecer a participação dos nossos clientes nessa trajetória, ajudando a democratizar a bolsa de valores do Brasil com 7,5 milhões de pessoas que pediram um pedacinho do Nubank”, disse.

A alta de investidores vem em meio a uma crescente procura pela renda variável nos últimos anos, em um contexto de uma taxa de juros (a Selic) a patamares historicamente baixos, bem como maior discussão pública sobre finanças e investimentos nas redes sociais.

Hoje, entretanto, o país vive um ciclo altista da taxa básica, o que aumenta a atratividade da renda fixa. Ainda assim, o crescimento nos anos anteriores evidencia o feito do Nubank: entre setembro e novembro de 2021 houve um aumento de 56 mil investidores.

Além do resultado já concretizado, os números podem aumentar ainda mais, considerando que o banco disponibilizou um BDR do Nubank – chamado de “pedacinho” pelo próprio banco – para seus mais de 7 milhões de clientes, com o compromisso de que eles só fossem convertidos totalmente depois de 12 meses.

Já em se tratando do volume financeiro médio diário negociado na B3 no segmento de ações, que contempla o mercado à vista e derivativos sobre ações – que não incluem os papéis do Nubank -, houve queda de 15,7% em dezembro de 2021 em comparação com dezembro de 2020.

Além disso, o número de IPOs na bolsa brasileira, no acumulado de 2021, também movimentou o número de investidores. Foram 47 aberturas de capital no ano, segundo maior volume para o período, perdendo somente para as 59 feitas no ano de 2007.

Foto: Economatica
Foto: Economatica

Segundo levantamento da Economatica, em 2021 os 47 IPOs concentram 6,7% do total do valor de mercado da bolsa e todos os IPOs listados desde 2004 e ainda sendo negociados em sua emissão original representam 31,3% do total do valor de mercado da bolsa brasileira.

Como estão as ações do Nubank

Listados na bolsa de valores de Nova York (a NYSE), os papéis do Nubank registraram quedas sucessivas desde que iniciaram as suas negociações – à época da estreia, em um preço que fazia o banco figurar como o banco mais valioso da América Latina.

Na operação, o banco digital realizou seu IPO nos EUA no dia 9 de dezembro, e, numa operação simultânea, lançou os BDRs na B3, tornando-se a primeira empresa brasileira a realizar dupla listagem no exterior e no Brasil ao mesmo tempo.

Desde o dia 10 de dezembro até então as ações do banco caem 31% em Nova York, cotadas a US$ 8,12, a sua mínima histórica. Na sua oferta inicial, os papéis do banco eram negociados a cerca de US$ 12.

Já os BDRs do Nubank, negociados sob o ticker NUBR33, estão cotados a R$ 7,52, queda de 34% desde as suas primeiras negociações em meados de dezembro.

Com a mudança recente e a marca da mínima histórica, o Nubank acabou perdendo o posto de banco mais valioso na América Latina para o Itaú (ITUB4).

Na data de referência, o Nubank possuía um valor de mercado de US$ 37,42 bilhões, e o Itaú era negociado a US$ 39,05 bilhões.

Segundo uma pesquisa do site MarketWatch, a ação do Nubank tem nove recomendações de “compra”, quatro “neutras” e apenas uma de “venda”. O preço-alvo médio é de US$ 12,22.

Eduardo Vargas

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO