Magazine Luiza (MGLU3) vê lucro saltar 739,7% no 1º tri para R$ 258,6 milhões

Magazine Luiza (MGLU3) vê lucro saltar 739,7% no 1º tri para R$ 258,6 milhões
Magazine Luiza. Foto: Divulgação

O Magazine Luiza (MGLU3) apurou um lucro líquido de R$ 258,6 milhões entre janeiro e março deste ano, um salto de 739,7% ante os R$ 30,8 registrados no mesmo período de 2020. Sem considerar ganhos não recorrentes, o resultado ficou em R$ 81,5 milhões, revertendo prejuízo de R$ 8 milhões, na mesma base de comparação.


Na análise da varejista, o crescimento das vendas e a diluição das despesas operacionais contribuíram para a evolução do lucro. No primeiro trimestre de 2021, as vendas totais do Magazine Luiza — incluindo lojas físicas, e-commerce com estoque próprio (1P) e marketplace (3P) — cresceram 62,8%, para R$12,5 bilhões.

O e-commerce mais do que dobrou em percentual de vendas, com um avanço de 114,4%, acima da expansão de 38,2% do mercado, de acordo com dados do E-bit. No segmento com estoque próprio (1P), as vendas evoluíram 121,5% e o marketplace contribuiu com R$ 2,4 bilhões, crescendo 98,0%.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Vídeo Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Por sua vez, as vendas nas lojas físicas aumentaram 4% no total, “mesmo com o fechamento temporário das lojas em função do agravamento da covid-19 no Brasil”. A empresa estima que deixou de vender cerca de R$ 750 milhões nos três primeiros meses do ano.

O Magazine Luiza ganhou 4,7 ponto percentuais de market share no primeiro trimestre, em relação ao mesmo período de 2020, segundo a GFK.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado da companhia atingiu R$427,2 milhões, crescendo 56,0%. A margem Ebitda ajustada foi de 5,2%, estável na comparação anual.

O percentual das despesas operacionais ajustadas em relação à receita líquida atingiu 20,2% no de janeiro a março, um recuo de 1,8 ponto percentual ante um ano antes.

A geração de caixa operacional, ajustado pelos recebíveis, chegou a R$ 2,7 bilhões no período, reflexo de sazonalidade do varejo e do fechamento temporário das lojas.

Nos últimos 12 meses, a posição de caixa líquido ajustado aumentou em R$ 0,4 bilhão, passando de R$3,8 bilhões em março de 2020 para R$4,2 bilhões em março deste ano. A empresa encerrou o mês com uma posição total de caixa de R$ 5,9 bilhões — considerando caixa e aplicações financeiras de R$1,4 bilhão e recebíveis de cartão de crédito disponíveis de R$4,5 bilhões.

Última cotação do Magazine Luiza

Antes da divulgação do balanço trimestral, a ação ordinária do Magazine Luiza fechou o pregão em alta de 2,90%, a R$ 19,13.

Arthur Guimarães

Compartilhe sua opinião