Klabin (KLBN11) bonifica investidores com ações e Magazine Luiza (MGLU3) sofre no Ibovespa; veja as mais lidas da semana

A notícia mais lida da semana do Suno Notícias foi sobre a Klabin (KLBN11), que aprovou um novo aumento de capital de R$ 1,6 bilhão e vai bonificar os investidores com ações.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/Lead-Magnet-Dkp-1.png

Outro destaque da semana foi sobre o Magazine Luiza (MGLU3), que acabou penando no Ibovespa na última segunda-feira (15). Mas quais os motivos?

Já a Taesa (TAEE11) vai realizar pagamentos de juros de debêntures nesta segunda-feira (15), no valor total de R$ 36,9 milhões.

Também repercutiu entre os investidores o MXRF11, que vem sumindo de algumas carteiras recomendadas. Mas o que esperar do maior FII da bolsa de valores?

Por fim, o Banco do Brasil (BBAS3) pode registrar alta de 19,5%. Segundo o banco, a operação bancária “está com desconto excessivo”.

Veja abaixo as principais notícias desta semana. Para acessar as matérias completas, basta acessar os links. Bom final de semana!

1.   Klabin (KLBN11) aprova aumento de capital de R$ 1,6 bilhão e bonifica investidores com ações

A Klabin divulgou na última terça-feira (16) que o Conselho de Administração da companhia aprovou um aumento de capital de R$ 1,6 bilhão. Dessa forma, os investidores vão ser bonificados com a emissão de mais de 561,789 milhões de novas ações.

O aumento de capital da Klabin ocorre diante da capitalização de uma parcela do saldo da “Reserva para Investimentos e Capital de Giro” da empresa. Aos que investem na companhia de Papel e Celulose, poderão estar inclusos na bonificação de aproximadamente 208,172 milhões de ações ordinárias e 353,616 milhões de ações preferenciais.

2.   Magazine Luiza (MGLU3) pena no Ibovespa: por que as ações despencaram nesta segunda-feira?

As ações de Magazine Luiza lideraram as perdas do Ibovespa na segunda-feira (15), diante de um mercado dividido sobre o anúncio do resultado da empresa no primeiro trimestre de 2024 (1T24), cuja expectativa é de ser anunciado no começo de maio.

Ao final do pregão, as ações do Magazine Luiza recuaram 7,83%, com a cotação de R$ 1,53. No cenário mensal, as ações acumulam perdas de 14,44%, enquanto no ano de 2024 a baixa é de 28,36%.

3.   Taesa (TAEE11) fará pagamentos de juros de debêntures nesta segunda-feira (15)

A Taesa informou que os investidores que possuem as debêntures da 1ª, 2ª e 3ª séries da 12ª emissão dos ativos receberão um novo pagamento de juros, que ocorrerá na próxima segunda-feira (15), mas somente para aqueles com debêntures nominativas, escriturais, simples e não conversíveis em ações.

O pagamento referente às debêntures da Taesa corresponde a aproximadamente R$ 36,9 milhões, que será dividido em 3 ativos da companhia, sendo eles: ativo TAEEB2: R$ 29,06996533 por unit (630.783 unidades); ativo TAEEC2: R$ 29,83763451 por unit (300.410 unidades); ativo TAEED2: R$ 30,34910478 por unit (318.807 unidades).

4.   Por que o MXRF11 vem sumindo de algumas carteiras recomendadas? Veja o que esperar do maior FII da bolsa

O fundo imobiliário MXRF11 é o mais popular da bolsa de valores, com mais de 1 milhão de investidores, mas andou sendo preterido por uma grande parcela das carteiras recomendadas nos últimos meses.

Apesar do preço da cota ultrapassar raramente a faixa de R$ 10 e R$ 11 nos últimos meses, o FII ainda negocia acima do seu valor patrimonial. Segundo Bruno Viveiros e André Poppe, analistas de investimentos da Warren, e Carolina Borges, analista da EQI Investimentos, o motivo dessa possível lateralização não mostra nenhuma queda na qualidade da gestão dos ativos ou algum outro problema estrutural sério.

5.   Banco do Brasil (BBAS3) pode subir 19,5%, diz BofA: “Operação bancária está com desconto excessivo”

O Bank of America (BofA) anunciou seu novo relatório, com as principais perspectivas sobre o Banco do Brasil (BBAS3). A recomendação do banco é de compra para as ações, colocando um preço-alvo de R$ 69.

A partir desse preço-alvo, as ações do Banco do Brasil têm um potencial de alta de 19,5% na Bolsa de Valores, considerando a cotação de fechamento da empresa. A operação bancária da companhia vem sendo avaliada com um excessivo desconto, conforme destaca o BofA em seu documento de análise.

Assim, da Klabin ao Banco do Brasil, essas são as notícias mais lidas da semana do Suno Notícias.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240.jpg

João Vitor Jacintho

Compartilhe sua opinião