IPO da Track & Field (TFCO4): saiba tudo sobre a operação

A Track & Field fará sua oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) na Bolsa de Valores de São Paulo (B3) no dia 26 de outubro deste ano. Serão distribuídas até 56.540.900 ações preferenciais, fazendo com que a empresa seja listada no Nível 2 de governança corporativa. Os papéis da companhia serão negociados por meio do ticker “TFCO4“.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/Lead-Magnet-Dkp-1.png

Do total de ações da Track & Field, 49.166.000 ações faz parte da oferta base — 40% são papéis primários, ou seja, os recursos vão para o caixa da empresa, enquanto o restante refere-se a uma oferta secundária, quando o capital é convertido em remuneração dos vendedores. O lote suplementar contempla 7.374.900 ações.

A faixa indicativa do preço das ações ficou entre R$ 10,65 e R$ 14,65. Com base no preço médio, de R$ 12,80, a operação pode movimentar R$ 723 milhões, considerando o lote suplementar. Neste cenário, de forma líquida, a empresa contaria com a entrada de R$ 232,5 milhões em caixa. Os recursos seriam utilizados da seguinte forma:

  • Pagamento de dividendos declarados (57%);
  • Pagamento antecipado de contratos financeiros (15%);
  • Investimento na plataforma de wellness (13%);
  • Investimento em inovações tecnológicas (10%);
  • Investimento na cadeia de produção e centro de distribuição (5%).

Vale destacar que os três fundadores da Track & Field, Frederico Wagner, Ricardo Rosset e Alberto Azevedo, detêm 100% das 877.251.375 ações ordinárias da companhia. Esse montante é significativamente maior do que o número de ações preferenciais que ficarão em free float após a operação, mesmo considerando o lote suplementar.

Isso ocorre em razão da adoção do conceito supervoting shares pela Track & Field, algo difundido nos mercados globais mas pouco utilizado no Brasil.

O intuito da empresa é fazer com que os novos investidores possuam direitos econômicos apropriados ao participar da empresa, mas sem diluir o controle dos acionistas atuais. Para isso, todas as ações, tanto as ordinárias como preferenciais, possuem direito a um voto nas assembleias, mas os papéis preferenciais detêm direitos econômicos 10 vezes maiores do que as ordinárias (na distribuição dos proventos, por exemplo).

Vale a pena investir na Track & Field (TFCO4)? Baixe nosso relatório GRATUITO e veja nossa recomendação para o IPO do Track & Field.

Com isso, a Track & Field ofertará um número muito menor de ações preferenciais, mantendo o mesmo poder de decisão nas mãos de seus controladores, mas sem causar distorções econômicas.

Cronograma do IPO da Track & Field

Confira o calendário do IPO da Track & Field:

  • Registro da solicitação na CVM – 14/08/2020
  • Aviso ao mercado e disponibilização do prospecto preliminar – 01/10/2020
  • Início das apresentações a potenciais investidores (roadshow) – 02/10/2020
  • Início do pedido de reserva de ações – 08/10/2020
  • Encerramento do Período de Reserva – 21/10/2020
  • Encerramento do procedimento de bookbuilding e fixação do preço por ação – 22/10/2020
  • Início da negociação em Bolsa – 26/10/2020
  • Liquidação das ações – 27/10/2020

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240.jpg

Histórico e perfil corporativo

Desde que foi fundada, em 1988, a Track & Field sempre esteve voltada à moda esportiva, sobretudo no que se refere à ginástica. Anos depois, a companhia passou a trabalhar com aspectos de sufwear, que também se tornaram grandes atrativos da empresa.

Nos anos seguintes, após dar início às aberturas de lojas em shopping centers, a companhia direcionou suas atenções a produzir peças de visual mais atraente, mas que também tivessem utilidade na prática de esportes, como tecidos com proteção solar e roupas que não absorvem suor.

Atualmente, a companhia se posiciona como uma empresa de wellness (bem-estar). Além disso, ela atua na oferta de artigos esportivos (sportswear), lifestyle e moda praia (beachwear), além de calçados (footwear) e acessórios.

O grande ponte de virada da empresa, nos anos 2000, foi a abertura de seu e-commerce, que é integrado à rede de lojas. Atualmente, a companhia possui uma grande presença digital; um dos destaques é o aplicativo chamado TFSports que tinha mais de 210 mil usuários ao fim do segundo trimestre deste ano e serve como mais uma opção de contato com os clientes.

Em 2011, a companhia iniciou a abertura de franquias, com o intuito de crescer rapidamente e com eficiência. Desde então, o número de lojas mais que quintuplicou. Hoje, a Track & Field possui 234 lojas, presentes em todas as regiões do Brasil: 37 são próprias e 197 franqueadas.

De acordo com dados da Euromonitor Internacional, o segmento em que a Track & Field atual pode movimentar R$ 15 bilhões até 2024 no Brasil, contra cerca de R$ 11 bilhões. O mercado fitness, em que a empresa está inserida, é um dos mais promissores do mundo e está altamente fragmentado no País.

Fonte: Euromonitor/prospecto.

De acordo com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o setor teve um crescimento acima de 20% em sua participação de mercado entre 2011 e 2016, e tem se beneficiado tanto pelo aumento do número de academias quanto pela adoção de vestimentas desta natureza no dia a dia.

No que se refere aos resultados da empresa, a receita líquida passou de R$ 216,61 milhões em 2017 para R$ 276,02 em 2019. O lucro líquido, por sua vez, saiu de R$ 31 milhões em 2017 para R$ 51,9 milhões em 2019, um CAGR de 29,48%.

O Fluxo de Caixa Livre apresentou um CAGR de 63,47% entre 2017 e 2019, saindo de R$ 20,85 milhões para R$ 55,74 milhões. A companhia conseguiu apresentar altas taxas de crescimento ao mesmo tempo em que utiliza pouco capital.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240-2.png

A Track & Field apresentou um Retorno sobre Patrimônio Líquido (ROE) de 33,76% em 2017 e de 34,08% em 2018. Em função da diminuição do Patrimônio Líquido em 2019, devido à diminuição da reserva de lucros (ocasionada pela distribuição de dividendos), o ROE do ano passado ficou distorcido. No entanto, de forma normalizada, fica em torno de 38,11%, acima dos anos anteriores.

A rentabilidade da companhia, dessa forma, permanece acima da maior parte de seus concorrentes, Adidas (29%), Lululemon (33%), e Centauro (27%), ficando apenas atrás da Nike (45%), mesmo com o impacto da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) nos resultados do primeiro semestre deste ano.

Em todo esse processo, a Track & Field apresentou forte crescimento com uma dívida líquida negativa, ou seja, com mais dinheiro em caixa do que dívidas. A companhia terminou encerrou junho com uma dívida bruta de R$ 30,2 milhões e uma posição de caixa de R$ 86,7 milhões, resultando em um caixa líquido de R$ 56,5 milhões, algo relevante no setor de varejo.

Para mais informações sobre o IPO da Track & Field (TFCO4), baixe o nosso relatório gratuito e saiba se vale a pena investir nas ações da empresa.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/1420x240-Controle-de-Investimentos.png

Jader Lazarini

Compartilhe sua opinião