Ibovespa abre em queda com Ambev (ABEV3) tombando 5%; JBS (JBSS3) lidera ganhos, Petrobras (PETR4) sobe e dólar avança

O Ibovespa abriu a sessão desta quinta-feira (29) em queda. Por volta das 10h20, o índice recuava 0,48%, aos 129.529 pontos.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/04/1420x240-Banner-Home-2-1.png

O petróleo opera próximo à estabilidade nesta manhã, enquanto a Petrobras figura no positivo: Petrobras ON (PETR3), +0,75% a R$ 41,91 e Petrobras PN (PETR4), +0,62% a R$ 40,68.

O minério de ferro teve leve queda nesta madrugada na China, ao passo que a Vale (VALE3) opera próxima à estabilidade: +0,01% a R$ 66,74.

A Ambev (ABEV3), que divulgou seu balanço nesta manhã, é o destaque na ponta negativa, com -5,06% a R$ 12,77. MRV (MRVE3), que reporta seus números nesta noite, aparece na sequência com -4,20% a R$ 7,51. Petz (PETZ3), -2,21% a R$ 3,99, completa a lista de maiores quedas.

O maior avanço do Ibovespa é de JBS (JBSS3), +3,52% a R$ 23,24. Na sequência aparecem B3 (B3SA3), +1,27% a R$ 12,74, e o já citado papel ordinário da Petrobras.

No radar dos investidores

Após a revisão do PIB dos Estados Unidos divulgada ontem, os investidores agora aguardam a inflação PCE por lá. O PCE é o indicador de inflação preferido do Federal Reserve, e o número deve ajudar a compreender os próximos passos da condução da política monetária nos EUA.

No Brasil, o dia é de agenda esvaziada. O que deve movimentar as negociações é o noticiário corporativo: dividendos da Petrobras, sucessão na Vale, mudança no comando da Suzano (SUZB3) e o mais recente balanço da Ambev (ABEV3) são alguns dos temas que devem concentrar a atenção dos investidores.

Maiores altas e baixas do Ibovespa

Cotação do dólar

A cotação do dólar hoje sobe 0,57% a R$ 4,9946.

O dólar sobe à espera da divulgação do PCE, e em linha com os treasury yields nos Estados Unidos.

China sobe com novas medidas de apoio

As bolsas asiáticas fecharam sem direção única nesta quinta-feira, com algumas demonstrando cautela antes de novos dados de inflação dos EUA e as chinesas avançando após mais iniciativas de Pequim para sustentar os mercados locais.

Esse cenário pode influenciar nas negociações do Ibovespa hoje. Na véspera, o índice fechou em queda de 1,16%, aos 130.155,43 pontos.

Hoje, o índice japonês Nikkei ficou levemente no vermelho em Tóquio pelo segundo dia consecutivo, com baixa de 0,11%, a 39.166,19 pontos, depois de atingir picos históricos nos três pregões anteriores. O Hang Seng caiu 0,15% em Hong Kong, a 16.511,44 pontos, e o sul-coreano Kospi recuou 0,37% em Seul, 2.642,36 pontos.

Nas próximas horas, os EUA divulgam números mensais de sua inflação PCE, medida favorita de preços do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA). Tanto o CPI quanto o PPI dos EUA, que medem preços ao consumidor e ao produtor, vieram acima da expectativas. Diante disso, o Fed vem sinalizando nas últimas semanas que não tem pressa de começar a reduzir juros.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/04/1420x240_TEXTO_CTA_A_V10.jpg

Na China continental, por outro lado, o dia foi de ganhos robustos, após reguladores anunciarem novas medidas para apoiar os mercados acionários, incluindo supervisão mais rigorosa de derivativos financeiros. O Xangai Composto avançou 1,94%, a 3.015,17 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto saltou 3,36%, a 1.706,98 pontos. Já em Taiwan, o Taiex subiu 0,60%, a 18.966,77 pontos.

No fim da noite desta quinta-feira, serão publicados dados de atividade (PMIs) chineses, tanto os oficiais quanto os da S&P Global/Caixin.

Na Oceania, a bolsa australiana se recuperou hoje e ficou bem próxima de estabelecer novo recorde. O S&P/ASX 200 avançou 0,50% em Sydney, a 7.698,70 pontos, a menos de um ponto de nova máxima histórica.

Tom de cautela na Europa

As bolsas europeias operam em leve alta na manhã desta quinta-feira, lideradas por ações do setor de construção, com investidores à espera de novos dados de inflação dos EUA e da Alemanha e apesar de balanços fracos de algumas grandes empresas da região, como AB InBev e Air France-KLM.

Confira o desempenho dos índices por volta das 07h40:

Londres (FTSE100): +0,13% a 7.635 pontos
Frankfurt (DAX): +0,43% a 17.678 pontos
Paris (CAC 40): +0,05% a 7.958 pontos
Madrid (Ibex 35): -0,12% a 10.056 pontos
Europa (Stoxx 600): estável a 4.883 pontos

O foco dos investidores hoje é a pesquisa mensal dos EUA sobre a inflação PCE, medida de preços favorita do Federal Reserve (Fed, o banco central americano). Também é aguardada prévia da inflação ao consumidor (CPI) da Alemanha, um dia antes de a zona do euro divulgar o mesmo dado.

Tanto o Fed quanto o Banco Central Europeu (BCE) vêm relutando em começar a reduzir juros em meio a pressões inflacionárias persistentes.

Em relação à temporada de balanços europeus, os últimos não agradaram.

Air France-KLM sofreu prejuízo no quarto trimestre de 2023, revertendo lucro de um ano antes, e a ação da companhia aérea franco-holandesa tombava mais de 8% em Paris, no horário acima.

Já a AB InBev, controladora da Ambev no Brasil, teve queda no lucro trimestral e decepcionou em receita. Em Bruxelas, a ação da maior cervejaria do mundo recuava mais de 1%.

*Com informações de Dow Jones Newswires e Estadão Conteúdo

Último fechamento do Ibovespa

O Ibovespa encerrou a sessão de quarta-feira (28) em queda de 1,16%, aos 130.155,43 pontos.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

Guilherme Serrano Silva

Compartilhe sua opinião