Fundos imobiliários: número de investidores em FIIs supera 1% da população, diz B3

O número de investidores de Fundos de Investimentos Imobiliários (FIIs) aumentou de 2,16 milhões em maio para 2,20 milhões em junho, segundo o último Boletim Mensal de Fundos Imobiliários produzido pela B3, a bolsa brasileira.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-1.png

A evolução no número de investidores nesta classe impressiona. De acordo com o senso do IBGE de 2022/2023, o Brasil tem 203 milhões de habitantes, fazendo com o que o número de investidores supera 1% da população do país.

Esse número aumentou cerca de dez vezes na comparação com dezembro de 2018 e quase quatro vezes na comparação com o período pré-pandemia, em dezembro de 2019.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-2-1.png

O número de FIIs disponíveis também aumentou em junho, totalizando o mês com 825 fundos cadastrados na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e 481 listados na B3.

O patrimônio líquido dos FIIs evoluiu de R$ 198 bilhões em abril de 2023 para R$ 210 bilhões ao fim de maio de 2023. Na comparação com maio de 2022, a evolução foi de 11%.

Os investidores individuais pessoa física correspondem a 74,9% da participação do bolo sob custódia, enquanto 18,7% são investidores institucionais, 4,9% são investidores estrangeiros, 0,5% instituições financeiras e 0,9% classificados como “outros”.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/07/Ebook-Fundos-Imobiliarios-Desktop.jpg

Fundos imobiliários mais negociados em junho

Os fundos mais negociados em junho foram os de maior patrimônio líquido, os conhecidos fundos de papel Kinea Rendimentos Imobiliários (KNCR11) e o Kinea Índice de Preços (KNIP11), que corresponderam a 4,1% e 3,7% do total das negociações no mês. Eles também foram os fundos mais negociados na B3 em 12 meses.

Entre os fundos de tijolo, o mais negociado foi o CSHG Logística (HGLG11), que investe em galpões logísticos em cinco estados brasileiros, mas majoritariamente em São Paulo. Em 12 meses, o fundo acumula 1,79% de desvalorização.

Uma das principais vantagens de se investir em fundos imobiliários é a de poder obter uma renda passiva sem precisar comprar e administrar os imóveis, já que os fundos fazem isso por você. Os FIIs reúnem capital dos investidores, aportam em ativos imobiliários e fazem sua gestão. Assim, 95% dos lucros apurados são distribuídos aos cotistas em forma de dividendos mensais.

O processo para começar a investir em fundos imobiliários é muito simples: basta fazer download e instalar o aplicativo de uma corretora, preencher o questionário do perfil de risco e abrir sua conta, escolher um ou mais fundos, além da quantidade de cotas de cada um, e acompanhar.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/07/Image_20230704_105729_406-1.png

Allan Ravagnani

Compartilhe sua opinião