João Beck

Você não tem perfil de investidor

Perfil de investidor não é algo impresso no seu DNA e não faz parte da sua personalidade

“Preciso de rentabilidade por volta de 200% do CDI, mas sou conservador”, diz o investidor.

A frase acima é comum em nossa rotina de assessor. Intuitivamente, ela expressa o desejo de uma rentabilidade alta e a contrapartida de baixa exposição a risco. Incongruente no longo prazo.

Quando se busca rentabilidade, todo investidor é arrojado. Quando se escolhe o risco, todo investidor é conservador. Esse é um pensamento interessante capturado no tweet abaixo.

Portanto, devemos buscar o ponto de intersecção nesse plano cartesiano. É aí que começa o problema. Existe algum perfil de risco registrado na nossa personalidade?

Resposta: não.

E se tivéssemos um perfil de risco definido, os mercados seriam um mar sereno diferente da montanha-russa que conhecemos.

Nosso perfil de risco oscila a todo momento.

Passou pelo trauma de testemunhar um assalto ou uma experiência de quase-morte? Você acorda conservador na primeira manhã..

Venceu seu candidato favorito nas eleições? Assistiu à palestra do Brasil que vira Suíça do economista-chefe da Acme Investimentos? Está feita a conversão para a turma dos arrojados.

Multiplica o efeito por 4 milhões de CPFs na B3 (B3SA3) e você enxerga a psicologia das massas movendo mercados alternadamente para níveis sobrecomprados ou sobrevendidos.

Mas qual, então, o sentido do preenchimento do perfil de risco?

O termo de perfil de risco do investidor (Suitability) que você preenche na corretora é uma exigência regulatória e tem utilidade. É como um termo de responsabilidade para você, investidor, refletir onde está pisando. É o mesmo raciocínio ao assinar o termo de um salto de paraquedas. Preencher o Termo Suitability é uma forma de formalizar a corretora sua ciência dos riscos envolvidos.

Que pesos em cada ativo devo escolher para compor minha carteira?

Vou contribuir com duas – de muitas – opções.

Se comportar como prega o mago, Warren Buffett. “Seja arrojado quando todos estão conservadores. Seja conservador quando todos estiverem arrojados”. É a opção adepta do timing. É um caminho psicologicamente desafiador. Ser contrariado exige um enfrentamento da tese principal do mercado àquele momento. Você se sentirá sozinho, isolado. De toda forma, aumentar a posição em ações e outros ativos de risco quando o mercado está pessimista vai te proporcionar comprar ativos a preços altamente depreciados.

Entender sua capacidade de tomar risco. É diferente do seu perfil de risco. Algumas corretoras no exterior já tratam a ‘capacidade de tomar risco’ como uma informação adicional e separada do perfil de risco. Perfil de risco é mais ligado ao seu comportamento: como você lida com a volatilidade do retorno do seu investimento.

Capacidade de tomar risco engloba fatos concretos relacionados à sua idade, ao prazo do seu objetivo com o dinheiro, ao quanto você já poupou em vida (em que fase de acumulação de capital você se encontra) e quantas pessoas dependem da sua renda (filhos, esposa e outros familiares). São dados técnicos e não comportamentais. Sua capacidade de tomar risco é imutável no curto prazo. Já seu perfil de risco pode mudar no sofá assistindo o Jornal Nacional.

Entendendo sua capacidade de tomar risco, você constrói sua carteira com pesos ideais em renda fixa, multimercados, ações e combina consigo um prazo confortável de rebalanceamento. Semestral, anual ou ainda ajustando conforme for fazendo aportes adicionais e eventuais resgates.

Lembre-se sempre. A melhor carteira é aquela à prova do teste do travesseiro. Perder o sono com investimentos é como bitributar o seu dinheiro. Você já se dedicou e trabalhou duro para ganhar o dinheiro. Investir não deveria lhe trazer as mesmas preocupações que o seu trabalho te impôs.

 

Nota

Os textos e opiniões publicados na área de colunistas são de responsabilidade do autor e não representam, necessariamente, a visão do Suno Notícias ou do Grupo Suno.

João Beck
Mais dos Colunistas
Alan Gandelman Ações de varejo: por que não param de cair

Depois de retumbantes altas das ações de companhias do setor do varejo na B3 (B3SA3) em 2020, neste ano essas mesmas empresas têm sido os ‘patinhos feios‘ do mercado, ...

Alan Gandelman
Lucas Pedrosa Touro da B3 pichado e a falta de compreensão econômica

Nesta terça-feira (16/11) foi inaugurado o Touro de Ouro na frente da B3 no centro de São Paulo, na rua XV de novembro. Já na manhã de quarta-feira (17) a escultura es...

Lucas Pedrosa

Compartilhe sua opinião

Comece 2022 investindo nos melhores Fundos Imobiliários

Baixar agora!