Gabriel Diniz Junqueira

O Ciclo da Pecuária: como influencia seus investimentos

O ciclo pecuário ilustra como a rentabilidade da indústria de proteína oscila e isso pode afetar diretamente as expansões e compressões de margem dos principais players listados na bolsa

A atividade pecuária, assim como a produção de grãos, é sujeita a flutuações de preços de seus produtos decorrentes da oferta e da demanda. O fenômeno no campo da criação bovina é influenciado pelo fenômeno conhecido como ciclo pecuário e auxilia a entender a atividade como um todo.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/Lead-Magnet-Dkp-1.png

Para compreender o funcionamento do ciclo, primeiramente deve-se fixar que quem dita o ritmo do movimento é a oferta para abate de fêmeas. Esse processo de maior ou menor abate expande ou contrai a disponibilidade de bezerros e pressiona ou alivia o preço do boi gordo e, por consequência do valor da reposição. O ciclo é composto de 2 fases:

  • i) Acumulação/Retenção, momento no qual o pecuarista estimulado pelos altos preços praticados nas negociações dos bezerros retém o maior número de fêmeas, assim expandindo o seu rebanho e diminuindo o abate de vacas;
  • ii) Liquidação, quando o pecuarista, em um cenário de baixa nos preços praticados pelo mercado em função da alta disponibilidade de bezerros se desfaz de suas matrizes e reduz o rebanho total. A imagem abaixo esquematiza como funciona o ciclo pecuário:
Fonte: Santa Fé Investimentos

Explicadas as idas e vindas e a dinâmica praticada no campo, o investidor deve se perguntar, mas como isso afeta meus investimentos? Basicamente o ciclo pecuário ilustra como a rentabilidade da indústria de proteína oscila e isso pode afetar diretamente as expansões e compressões de margem dos principais players listados na bolsa como JBS (JBSS3), Marfrig (MRFG3) e Minerva (BEEF3).

Do ponto de vista dos frigoríficos, a parte favorável do ciclo é o momento da liquidação. Isso ocorre pelo fato de que grande parte do custo dessas empresas está associado à compra de animais para abate e desta forma, uma maior disponibilidade animais que leva a uma redução nos preços de bezerro e boi gordo favorecendo as expansões de margens por parte dessas empresas.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240.jpg

Por fim, em qual parte do ciclo estamos?

Segundo os últimos dados divulgados pelo IBGE e os indicadores do CEPEA/ESALQ-USP, pode-se concluir segundo o gráfico abaixo:

Fonte: IBGE e CEPEA-ESALQ/USP

Nota-se que nos últimos 2 anos houve um aumento significativo do índice de preços e redução da participação das fêmeas nos abates totais. Porém, em 2022 já é notado uma mudança na tendência com a redução dos preços e aumento do abate de fêmeas, fato que pode indicar uma mudança de fase no ciclo.

Compreender as relações entre os preços e o posicionamento em cada ciclo de cada um dos micro setores que compõem o agronegócio é essencial para entender como será a geração de caixa de cada empresa e consequentemente como isso se refletirá nos preços das suas respectivas ações.

Agro é Top, Agro é Pop, FIAGRO é Agro!

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240-2.png

Nota

Os textos e opiniões publicados na área de colunistas são de responsabilidade do autor e não representam, necessariamente, a visão do Suno Notícias ou do Grupo Suno.

Gabriel Diniz Junqueira
Mais dos Colunistas
Mucio Mattos Crises geopolíticas globais e o impacto no agronegócio brasileiro

As crises geopolíticas globais têm desempenhado um papel cada vez mais significativo no cenário do agronegócio mundial. Nos últimos anos, eventos como tensões comercia...

Mucio Mattos
Sandro César de Alarcão Mudança climática: um alerta aos produtores rurais

O Brasil é um país com uma grande diversidade climática, o que é um fator crucial para o desenvolvimento do agronegócio. No entanto, essa diversidade pode trazer desaf...

Sandro César de Alarcão

Compartilhe sua opinião