Gabriel Diniz Junqueira

Entre a botina e o sapato: as principais diferenças entre o Fiagro Imobiliário e o FII

Para compreender as diferenças entre investir em imóveis urbanos e imóveis rurais, é preciso, primeiramente, compreender os principais veículos para estes investimentos: FIAGRO Imobiliário e Fundo Imobiliário

A Avenida Brigadeiro Faria Lima é conhecida por ser a principal via do centro financeiro de São Paulo. Nela os mais modernos e requintados edifícios da cidade se localizam, sendo o sonho de consumo de qualquer investidor imobiliário possuir uma laje ali.

O que poucas pessoas sabem é que existe uma outra Faria Lima, igualmente desejada por investidores, mas neste caso os do Agro! Essa é a Rodovia Brigadeiro Faria Lima (SP – 326) que interliga cidades como Araraquara, São Carlos, Matão, Barretos e outras, uma das principais regiões de cultivo de cana de açúcar e laranja do país. Até pouco tempo, o investidor na Bolsa de Valores do Brasil, a B3, só teria acesso à primeira Faria Lima, uma vez que são diversos os FIIs que possuem prédios nesta região. Porém, com o advento do Fiagro, pode-se agora ter acesso à segunda também, desta vez a Rodovia Faria Lima. Mas afinal de contas, quais são as semelhanças e diferenças entre as duas?

Para compreender as diferenças entre investir em imóveis urbanos e imóveis rurais, é preciso, primeiramente, compreender os principais veículos para estes investimentos: FIAGRO Imobiliário e Fundo Imobiliário. De forma geral, a tabela abaixo representa as características entre os dois veículos de investimento.

tabela fiagro e FII

O Fiagro Imobiliário nasce com uma estrutura semelhante ao Fundo Imobiliário, porém amplia o seu escopo para se adequar à realidade dos investimentos rurais. Além dos aspectos da política de investimento, vale destacar 2 diferenças operacionais entre os dois fundos:

1. Não obrigatoriedade de distribuição de 95% do resultado semestral do Fiagro;

2. Diferimento do pagamento de imposto de renda sobre o ganho de capital para o momento de venda de cotas no mercado, no caso de integralização de uma propriedade em troca de cotas do fundo.

Essas diferenças tornam o Fiagro Imobiliário extremamente atrativo no setor agroindustrial e uma possibilidade interessante para construção de veículos de investimento. Em termos tributários, as estruturas são muito semelhantes:

Fiagro Imobiliário

Portanto, analisando os dois casos, é possível entender que existem diversas semelhanças, e as diferenças propostas auxiliam na criação de uma maior atratividade específica do setor. O Fiagro Imobiliário pode ser considerado o “primo da roça” do Fundo Imobiliário, enquanto um usa botina o outro anda de sapato!

Sorte a do investidor, que agora poderá ter tanto a botina quanto o sapato na sua carteira! Poder comprar um pedacinho de uma laje na Avenida Faria Lima e uma porção de terra na Rodovia Faria Lima!

Agro é Top, Agro é Pop, Agro é FIAGRO.

 

 

 

Nota

Os textos e opiniões publicados na área de colunistas são de responsabilidade do autor e não representam, necessariamente, a visão do Suno Notícias ou do Grupo Suno.

Gabriel Diniz Junqueira
Mais dos Colunistas
Gustavo Asdourian FIIs: uma boa opção para se proteger da inflação

Os FIIs (Fundos de Investimento Imobiliário) estão cada mais populares no Brasil. O número de investidores desta classe de ativo na bolsa brasileira vem crescendo com ...

Gustavo Asdourian
Gabriel Diniz Junqueira Fiagro de Terras: como funciona o investimento imobiliário em terras agrícolas

“Quem compra terra não erra.” Esse é, talvez, o mais famoso ditado popular no interior e simboliza de forma clara, sucinta e direta as principais características do in...

Gabriel Diniz Junqueira

Compartilhe sua opinião

Manual 10 passos essenciais para se tornar um investidor de sucesso. Baixe Grátis!

Baixar agora!