Patrocinado por:

Bradesco (BBDC4) supera projeções mas qualidade dos ativos acende alerta, afirma XP

Bradesco (BBDC4) supera projeções mas qualidade dos ativos acende alerta, afirma XP
Bradesco (BBDC4). Foto: Divulgação.

O Bradesco (BBDC4) registrou um lucro líquido recorrente de R$ 6,51 bilhões no primeiro trimestre do ano passado. O resultado 73% maior do que o apresentado no mesmo período de 2020 chamou atenção da XP, embora a qualidade dos ativos tenha acendido um alerta para a corretora.

Os números da instituição superaram levemente as projeções do mercado, perfazendo um Retorno sobre Patrimônio Líquido (ROE) de 18% e confirmando a estimativa de que teria o maior ganho dentre os grandes bancos no trimestre. A XP reiterou a recomendação de compra das ações do Bradesco, com preço-alvo de R$ 27.

A corretora chamou atenção para a inadimplência do banco, a qual a administração disse que se deve parcialmente em função da sazonalidade. “O índice de inadimplência acima de 90 dias do banco aumentou 28 pontos base no trimestre (8 pontos base acima de nossas estimativas), significativamente afetado por empréstimos renegociados já provisionados”, disse a XP.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Isso fez com que o Bradesco tenha consumido 50 pontos base do índice de cobertura em 90 dias, que foi para 350%. Embora o patamar atual seja considerado saudável, ele deve ser testado nos próximos meses quando a inadimplência aumentará “consideravelmente”, dizem os analistas Marcelo Campos e Matheus Odaguil.

Por outro lado, o braço de seguros aparenta estar retomando sua força, equivalendo a 25% do lucro do banco, o melhor resultado desde o quarto trimestre de 2019. “Esperamos que o seguro tenha um bom desempenho nos próximos trimestres, assim como o segundo aumento de sinistros da segunda onda de Covid-19 no trimestre.”

Bradesco lidera agenda de corte de custos

Diferentemente do comentado pela corretora acerca do Itaú ontem, o Bradesco parece ter pisado no acelerador em termos de corte de custos de sua operação.

O banco apresentou redução de custos de 5% ano contra ano, melhor do que o guidance mostrava. “As despesas parecem estar caindo em todos os lugares, de pessoal a despesas administrativas específicas”, dizem os analistas, salientando a importância desse movimento frente à acirrada concorrência.

A corretora também comentou que o payout do banco está abaixo do esperado, fazendo com que um pagamento maior de juros sobre o capital próprio ajude no lucro ao longo do ano. Em teleconferência de resultados nesta manhã, o CEO do banco, Octavio de Lazari Júnior, disse que os dividendos da instituições devem voltar ao nível histórico.

Por volta das 12h20 desta quarta-feira, as ações do Bradesco operavam com queda de 0,13%, para R$ 23,77.

Jader Lazarini

Compartilhe sua opinião