Bolsonaro: ‘Guedes é 98% da Economia, e eu era 1% e passei para 2’

Bolsonaro: ‘Guedes é 98% da Economia, e eu era 1% e passei para 2’
Bolsonaro disse que Paulo Guedes é "98% da Economia"

O presidente da República, Jair Bolsonaro, reiterou seu apoio à Paulo Guedes neste domingo (29), afirmando que o ministro é “98% da Economia”. As informações são do Estadão Conteúdo.

“Paulo Guedes é 98% da Economia, e eu era 1% e passei para dois. Tem tanta coisa que é igual saltar de paraquedas: o cara te orientando atrás e você tem que ter confiança nele”, comparou Bolsonaro. “A economia está na mão dele, assim como a Agricultura nas mãos da Tereza Cristina”.

No entanto, o presidente disse pretender ser firme nos dois por cento das decisões da Economia que diz passarem por ele. “O que eu falei três meses atrás está valendo. Quem falar em Renda Cidadã, cartão vermelho”, afirmou o mandatário, após votar em uma escola na Vila Militar, na zona oeste do Rio de Janeiro.

Bolsonaro também elogiou a gestão de Roberto Campos Neto à frente do Banco Central (BC). “O Roberto Campos, do Banco Central, quando faz reunião conosco é uma coisa excepcional”, salientou. “O Banco Central vai ser independente, pra não haver risco de interferência política.”

Bolsonaro diz que vai aguardar para parabenizar Biden

Após ser questionado por jornalistas, o presidente da República comentou sobre as eleições presidenciais dos Estados Unidos. O governo brasileiro é um dos poucos que ainda não foram a público reconhecer a vitória do democrata Joe Biden.

“Tenho minhas fontes e elas dizem que teve muita fraude lá”, acrescentando que não sabe se a suposta fraude foi suficiente para mudar o resultado, “mas há indícios de irregularidades”, disse Bolsonaro.

O resultado das eleições norte-americanas foi confirmado no último dia 7. Joe Biden foi considerado vencedor ao conquistar o estado da Pensilvânia e superar os 270 delegados do colégio eleitoral necessários. O republicano Donald Trump, aliado de Bolsonaro, não admitiu a derrota e vem tentando judicializar o processo para barrar sua sucessão.

Arthur Guimarães

Compartilhe sua opinião