Azul (AZUL4): tráfego total de passageiros aumenta 5,7% em dezembro na comparação anual

Azul (AZUL4) informou, em comunicado divulgado ao mercado nessa quarta-feira (10), que o tráfego de passageiros consolidado (RPK) aumentou, em dezembro, 5,7% na comparação anual. A companhia aérea havia anunciado os resultados preliminares do tráfego no mês passado.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/Lead-Magnet-Dkp-1.png

A capacidade (ASK), por sua vez, apresentou um salto de 2,9% no mesmo intervalo de comparação. Por outro lado, a taxa de ocupação da Azul em relação a dezembro de 2022 subiu 2,2 pontos percentuais, passando para 79,8%.

Segundo a Azul, o tráfego de passageiros doméstico cresceu 4,0% em relação a dezembro de 2022, enquanto a capacidade apontou uma expansão de 1,1%.

Isso resultou em uma taxa de ocupação de 79,2%, o que representa um aumento de 2,2 pontos percentuais comparado com o mesmo período de 2022.

“2023 foi outro ano forte para a Azul. A demanda por nossos produtos e serviços permaneceu extremamente forte, nossa capacidade e tráfego aumentaram 11% e 12%, respectivamente, levando à expansão da taxa de ocupação e a um recorde histórico de RASK no 4T23. Mantivemos nosso alto desempenho de pontualidade, sendo a segunda companhia aérea mais pontual do mundo. Por meio de nossas operações sólidas, agora temos a capacidade de nos concentrar em nosso crescimento e expansão de margem para os próximos anos”, diz John Rodgerson, CEO da Azul, em comunicado.

Azul (AZUL4): lucro operacional do 3T23 chega a R$ 957,4 milhões, alta de 137% em um ano

A Azul fechou o terceiro trimestre de 2023 com lucro operacional de R$ 957,4 milhões, aumento de 137,1% na comparação anual, quando registrou ganhos de R$ 403,8 milhões. A empresa divulgou seus resultados preliminares e não auditados do período em novembro.

receita líquida total da Azul chegou a R$ 4,914 bilhões no 3T23, aumento de 12,3% na comparação anual. Em relação ao terceiro trimestre de 2019, antes da pandemia, a receita aumentou 62,1%.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) no terceiro trimestre chegou a R$ 1,551 bilhão, ante R$ 925,1 milhões registrados no mesmo período de 2022. A margem Ebitda também cresceu 10,4 pontos percentuais na comparação anual, alcançando 31,6%.

As despesas operacionais da Azul chegaram a R$ 3,956 bilhões, redução de 0,4% frente aos R$ 3,973 bilhões reportados no 3T22, “impulsionada principalmente por uma redução de 32,9% no preço dos combustível, iniciativas de redução de custos e ganhos de produtividade, parcialmente compensados pela inflação”, disse a Azul.

A Azul encerrou o trimestre com liquidez total de R$ 6,7 bilhões, incluindo investimentos e recebíveis de longo prazo, depósitos de segurança e reservas de manutenção.

liquidez imediata da Azul em 30 de setembro de 2023 foi de R$ 3,5 bilhões, 70,2% acima do 2T23, mesmo após o pagamento de cerca de R$ 3,2 bilhões em arrendamentos de aeronaves, amortizações e juros da dívida, diferimentos e capex.

O balanço da Azul referente ao quarto trimestre de 2023 está marcado para o próximo dia 28 de março.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240.jpg

Desempenho das ações da Azul

Cotação AZUL4

Gráfico gerado em: 10/01/2024
1 Dia

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240-2.png

Giovanni Porfírio Jacomino

Compartilhe sua opinião