Assaí (ASAI3): Genial, BBA e Goldman analisam desempenho da empresa em 2024

O Assaí (ASAI3) revelou ao mercado dados do quarto trimestre de 2023 (4T23), e Genial, Itaú BBA e Goldman Sachs analisaram o desempenho da empresa no período.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/04/1420x240-Banner-Home-1.png

O relatório da Genial destaca a rápida maturação das lojas convertidas como um dos principais impulsionadores do sucesso, resultando em ganhos significativos de alavancagem operacional. “A rápida maturação das lojas convertidas segue gerando ganhos de alavancagem operacional, permitindo a consolidação da maior margem Ebitda dos últimos dois anos e impulsionando a geração de caixa operacional da companhia”, diz.

O Itaú BBA, por sua vez, ressalta o expressivo crescimento do Assaí, com a abertura de 12 novas lojas e um aumento de 27% no número total de unidades em operação. Apesar dos desafios na margem bruta, a desalavancagem foi destacada pelos analistas como o principal destaque do quarto trimestre de 2023, resultando em uma redução sequencial na alavancagem e uma perspectiva promissora para o ano de 2024.

“A alavancagem diminuiu sequencialmente para 3, 80 vezes no 4T23, em comparação com 4, 44 vezes no 3T23 (segundo a metodologia da empresa), com um alívio de caixa de R$ 1 bilhão (delta da dívida líquida ajustada da Assaí)”, pontua o texto.

Já o relatório da Goldman Sachs enfatiza a resiliência da Assaí diante da deflação nos preços dos alimentos, destacando um crescimento positivo de 3% nas vendas nas mesmas lojas. Para os estrategistas, a empresa também apresentou uma perspectiva positiva para 2024, concentrando-se na desalavancagem por meio da geração de fluxo de caixa livre e taxas mais baixas.

Em relação aos resultados do Assaí no quarto trimestre, o relatório destaca o crescimento de SSS — indicador de desempenho utilizado por empresas varejistas — superior ao principal concorrente, o Atacadão. “A relação dívida líquida/Ebitda (excluindo arrendamentos, pré-IFRS, excluindo recebíveis descontados de caixa e incluindo os pagamentos relacionados à aquisição das lojas Extra) atingiu 3, 8 vezes no 4T23, abaixo de 4, 4 vezes no 3T23. As dinâmicas de capital de giro foram um impulso nesse contexto, com uma redução de cinco dias nos estoques em relação ao ano anterior”, afirmam. 

Além dos números considerados positivos, a Genial aponta para o aumento do múltiplo de vendas das lojas convertidas para o formato atacarejo, destacando ganhos de market share e a ocupação das galerias comerciais. No entanto, chama a atenção a decisão de não realizar pagamento de Juros sobre Capital Próprio (JCP) ou distribuição de dividendos referente ao exercício de 2023, devido à constituição de reserva de incentivos fiscais, uma decisão que requer atenção dos investidores, conforme relatório.

A respeito da margem bruta, embora tenha enfrentado desafios devido ao menor ritmo de conversões em comparação ao ano anterior, a capacidade da Assaí de compensar esse cenário através dos ganhos de alavancagem operacional é destacada pela Itaú BBA. A empresa consolidou o maior patamar de margem Ebitda desde o início do projeto de conversões, com uma margem de 7,8% e um Ebitda ajustado totalizando R$ 1, 4 bilhão, um aumento de 22,6% em relação ao ano anterior, segundo dados divulgados pela Assaí.

Com perspectivas favoráveis para 2024, sustentadas por melhores condições macroeconômicas, a continuidade do processo de maturação do projeto de expansão e a trajetória de queda da taxa Selic, a Goldman Sachs pontua que a Assaí encerrou 2023 com uma forte geração de caixa, totalizando R$ 4,6 bilhões. Esse montante, segundo o banco de investimento, proporcionou suporte substancial para os investimentos em expansão, com 83% dos investimentos sendo cobertos pela geração de caixa, indicando uma gestão financeira robusta e uma tendência positiva para o processo de desalavancagem em 2024.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/04/1420x240_TEXTO_CTA_A_V10.jpg

Assaí (ASAI3): Lucro recua 26,8% no 4º tri, mas rede planeja inaugurar mais 15 lojas neste ano

No último trimestre, o Assaí apresentou um lucro líquido de R$ 297 milhões, registrando uma queda de 26,8% em comparação ao mesmo período do ano anterior. No acumulado do ano, o lucro totalizou R$ 710 milhões, refletindo uma redução de 41,8% em relação ao ano anterior.

O trimestre foi impactado por um aumento significativo de 65,4% nas despesas financeiras líquidas, totalizando R$ 736 milhões. Por outro lado, a receita líquida apresentou um avanço positivo de 15,5% no trimestre, alcançando R$ 18,4 bilhões. No ano, a receita líquida atingiu R$ 66,5 bilhões, representando um aumento de 22%.

A empresa atribui o crescimento das receitas ao sucesso da abertura de 27 novas lojas nos últimos 12 meses, um incremento de 13%, e ao desempenho positivo das lojas existentes, evidenciado pelo aumento de 2,9% nas vendas ‘mesmas lojas’ (SSS). A rede  prevê abrir 15 lojas neste ano.

O Ebitda, indicador que considera lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, totalizou R$ 1,43 bilhão no último trimestre, registrando um aumento significativo de 23,8% em relação ao mesmo período do ano anterior. No acumulado do ano, o Ebitda cresceu 24%, atingindo a marca de R$ 4,76 bilhões.

Ao final do trimestre, o Assaí contava com 288 lojas em operação e uma área de vendas de aproximadamente 1,46 milhão de metros quadrados. Em relação às operações denominadas “risco sacado”, a empresa informou que o saldo a pagar era de R$ 1,5 bilhão no final de dezembro, dividido entre R$ 1,1 bilhão em produtos e R$ 389 milhões em ativos imobilizados.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

Murilo Melo

Compartilhe sua opinião