Alupar (ALUP11) anuncia dividendos milionários e Casas Bahia (BHIA3) derrete no Ibovespa; Veja as mais lidas da semana

A notícia mais lida da semana do Suno Notícias foi sobre a Alupar (ALUP11), que anunciou um novo pagamento de dividendos milionários. Qual foi o valor por ação?

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/06/Lead-Magnet-1420x240-3.png

Outra matéria que repercutiu entre os investidores foi sobre o pregão da última segunda-feira (25), em que a Casas Bahia (BHIA3), ex-via (VIIA3), entrou em leilão e derreteu no Ibovespa.

Além disso, o dono da SmartFit (SMFT3) se aliou ao influenciador fitness Renato Cariani em um novo empreendimento. Qual seria ele?

Já a Taesa (TAEE11) teve seu preço-alvo cortado por parte dos analistas. Entenda quais são os motivos.

Por fim, a Itaúsa (ITSA4) caiu forte na Bolsa de Valores na semana anterior e essa notícia também repercutiu nesta semana.

Veja a seguir um resumo com as principais notícias desta semana. Para acessar as matérias de maneira completa, basta acessar os links. Bom final de semana!

1.   Alupar (ALUP11) anuncia dividendos milionários; confira o valor por ação

O conselho de administração da Alupar (ALUP11) divulgou novos dividendos, no montante de R$ 36,571 milhões. Os proventos vão ser pagos em 5 de outubro de 2023 e têm o valor de R$ 0,04 por ação ordinária e preferencial da empresa.

Além disso, os dividendos da Alupar têm o valor de R$ 0,12 por unit. Os valores vão ser pagos apenas para os acionistas que estavam comprados nos papéis da empresa até o encerramento da data de corte, que aconteceu em 16 de agosto de 2023.

2.   Sofrimento: Casas Bahia (BHIA3) entra em leilão e derrete no Ibovespa; Magazine Luiza (MGLU3) também cai. Veja por quê

As ações de Casas Bahia (BHIA3), ex-Via (VIIA3), assim como os papéis do Magazine Luiza (MGLU3), tiveram baixa nesta segunda (25), figurando entre as maiores quedas do Ibovespa. Essa desvalorização se deu em meio à pressão do avanço dos juros futuros (DIs).

As ações da Casas Bahia recuaram mais de 13% e acabaram entrando em leilão e, ao final do pregão, tiveram baixa de 11,7%, a R$ 0,60. Enquanto isso, as ações do Magazine Luiza caíram 4,02%, a R$ 2,11.

3.   Dono da SmartFit (SMFT3) se alia a influenciador fitness em novo empreendimento

Nesta semana, Edgard Corona, dono da SmartFit (SMFT3) e Renato Cariani, maior influenciador fitness do Brasil, fecharam uma sociedade e vão abrir uma nova rede de academias. Nas redes sociais, Cariani divulgou que os dois vão ser sócios da Nation CT, um “novo centro de treinamento de alta performance em musculação”.

“Nasce a Nation CT. Obrigado Edgard Corona por me escolher como sócio, por entregar a mim essa responsabilidade de comunicar a alta performance e o fisiculturismo através desta rede de academias que já nasce gigante e cheia de projetos por todo o Brasil”, afirmou Cariani.

4.   Taesa (TAEE11) tem preço-alvo cortado por analistas; entenda os motivos

Os analistas do BB Investimentos cortaram o preço alvo das ações da Taesa (TAEE11), que passou de R$ 44,10 para R$ 39,00. Eles alegam que incorporaram novos dados e projetos da empresa nessa análise. Já a recomendação para os papéis é neutra por parte do banco.

“Apresentamos nossa atualização de modelo e novo preço-alvo para as units da Taesa contemplando o novo ciclo de RAP (Receita Anual Permitida) das transmissoras iniciado em julho de 2023, a inclusão dos dois últimos projetos conquistados no leilão de transmissão #002/2023 (Tangará e Saíra) e projeções atualizadas de variáveis macroeconômicas que impactarão reajustes de receita futuros e custo da dívida”, disse o BB.

5.   Itaúsa (ITSA4) cai forte na Bolsa de Valores nesta semana; o que aconteceu?

As ações da Itaúsa (ITSA4) caíram 1,00% na Bolsa de Valores hoje (22) e fecharam a semana em queda de 2,38%, a R$ 9,01 no Ibovespa. Nesse período, com a proximidade do final de setembro, os papéis têm um desempenho mensal negativo de 1,43%.

Os analistas do BTG se reuniram com o CFO da Itaúsa. Eles acreditam que a empresa não deve ser afetada em um possível fim dos JCP. “Segundo o CFO, o potencial fim do JCP seria positivo para os resultados dos negócios da empresa, eliminando ineficiências fiscais. Recordamos que existe atualmente uma ineficiência fiscal devido a impostos PIS/COFINS sobre JCP recebidos do Itaú (ITUB4)”, disse o BTG.

Assim, da Alupar até Itaúsa, essas são as notícias mais lidas da semana do Suno Notícias.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/12/Ebook-Acoes-Desktop.webp

João Vitor Jacintho

Compartilhe sua opinião