ADRs da Vale (VALE3) e Petrobras (PETR4) em alta e turismo em queda: veja o que rolou no Carnaval

ADRs da Vale (VALE3) e Petrobras (PETR4) em alta e turismo em queda: veja o que rolou no Carnaval
Ibovespa hoje - Foto: Pixabay.

Segunda (28) e terça-feira (1º) a bolsa de valores do Brasil, B3 (B3SA3), não abriu por causa do feriado de Carnaval, mas, lá em Nova York, as negociações dos recibos de ações (ADRs) de empresas brasileiras continuaram.

Com a escalada da guerra entre Rússia e Ucrânia, setores ligados a commodities, serviços financeiros e turismo estão sendo impactados e foram eles que tiveram as maiores variações durante os dias de folia do Brasil.

Petrobras e petróleo

As ADRs da Petrobras (PETR4), por exemplo, subiram com a cotação do petróleo. Na terça (1º), o óleo disparou nos mercados internacionais e superou a marca dos US$ 100 o barril. O petróleo WTI para abril fechou em alta de 8,03%, aos US$ 103,41 o barril; e o petróleo Brent para maio avançou 7,15%, para US$ 104,97 o barril.

Com isso, os recibos de ações da Petrobras subiram 2,73% na Nyse, para US$ 14,68. No acumulado dos dois dias, a alta sobe para 3,45%.

A Agência Internacional de Energia (AIE) – que representa os consumidores-chave de petróleo – ainda tentou minimizar a disparada ao anunciar a liberação de 60 milhões de barris do óleo que estavam em estoque para sinalizar que não haverá desabastecimento com a guerra, mas não funciou.

Nesta quarta (02), a Opep+ (Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados) colocou mais lenha na fogueira da cotação do petróleo ao concordar com apenas um ligeiro aumento na produção do petróleo, em linha com o cronograma previsto antes da guerra entre Rússia e Ucrânia.

O aumento será de 400 mil barris por dia (bpd), apesar de os preços terem subido a níveis não vistos em mais de oito anos. Hoje, a elevação do Brent e do WTI já supera 5% de alta, com os preços em US$ 110,5 e US$ 108,5, respectivamento, por volta das 12h30 (horário de Brasília).

ADRs da Vale e minério

Já a Vale (VALE3) viu seus ADRs acompanharem as cotações do minério e do aço na China. Os contratos futuros de aço subiram para uma máxima de mais de duas semanas devido ao conflito no leste europeu. A China é o maior produtor mundial do produto, mas a Rússia e a Ucrânia, juntas, respondem por 15% do comércio global – que deve escoar para a China e aumentar a demanda por aço chinês.

Também ampliou os ganhos durante o Carnaval o contrato de minério de ferro, que atingiu o seu maior nível desde meados de fevereiro. A commodity negociada em Dalian subiu 5,9% nesta quarta.

Com isso, os recibos de ações da Vale, listados na Nyse, acumularam 5,84% de ganhos entre os dias 28 e 1º de março, valendo US$ 18,86, e hoje sobe mais 1,5%.  Também ganharam com o aumento das commodities as ADRs das siderúrgicas CSN (CSNA3), +7,3%, e Gerdau (GGBR4), +5,8%.

Commodities também pesam

Na outra ponta estão as quedas das ADRs de empresas de turismo. Gol (GOLL4), -6,3%, e Azul (AZUL4), -5,7%, perdem com a alta nos preços do petróleo devido ao aumento dos custos para aquisição de querosene de avião, entre outros. Na mesma balança se encontra a Embraer (EMBR3), que caiu 4,4%.

Outras empresas que perdem com o aumento dos custos são Ambev (ABEV3), -4,7%, e BRF (BRFS3), -4,2%.

O aumento no preço de produtos agrícolas como milho e trigo afetam a fabricação de cerveja e criação de frangos, por exemplo. Segundo o Bradesco BBI, os preços de petróleo, gás, alumínio, níquel, trigo e nitrato de amônia são bastante afetados, uma vez que a Rússia representa 11%, 17%, 6%, 5%, 20% e 60% da oferta/comércio global.

Monique Lima

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO