Acesso Rápido

    Radar do Mercado: Energias do Brasil (ENBR3) divulga resultados do 4T20

    Radar do Mercado: Energias do Brasil (ENBR3) divulga resultados do 4T20

    Na sexta-feira (19/02), a Energias do Brasil divulgou seus resultados para o 4T20 e para o ano de 2020 inteiro. Destacou-se a questão da pandemia, que fez com que a companhia tivesse que tomar medidas para proteger seus colaboradores, assegurar o fornecimento de energia e minimizar o impacto em seus resultados.

    Segundo destacou seu presidente, a companhia seguiu uma estratégia dividida em três fases, chamada 3Rs: Reação, Recuperação e Reformulação. Tal abordagem possibilitou recuperar o impacto em seu desempenho econômico e financeiro, além de atingir marcas históricas.

    Nesse sentido, 2020 foi finalizado com um Ebitda de R$ 3,4 bilhões, 16% acima do ano anterior, e um Lucro Líquido de R$ 1,5 bilhão, 12,7% acima do valor auferido em 2019.

    Por outro lado, apesar de serem verificados sinais positivos de recuperação da economia, o volume de energia distribuído pela companhia em 2020 teve uma redução de 4,6%.

    Minicurso: Valuation e Precificação de Ativos

    Inscreva-se no nosso minicurso gratuito de Valuation e aprenda os principais conceitos sobre como avaliar ativos e empresas do jeito certo!

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    Isso ocorreu por redução na contratação da produção industrial, redução da atividade comercial e aumento do desemprego, consequências da necessidade de distanciamento social.

    No que diz respeito ao segmento de transmissão, a Energias do Brasil registrou avanços importantes, apesar de uma paralisação temporária nas obras.

    Já no segmento de geração, houve avanços importantes com relação ao Generation Scaling Factor (GSF). “Com a conclusão da Lei 14.052/20 e da Resolução 895/20 foi permitida a repactuação do risco hidrológico, possibilitando a contabilização de R$ 388 milhões no resultado do ano, com a extensão das nossas concessões em pelo menos um ano, na média”, destacou o presidente da companhia.

    Por fim, a companhia encerrou o ano com alavancagem consolidada, excluindo os efeitos não caixa, em 2,4 vezes Dívida Líquida/Ebitda, além de propor o pagamento de R$ 599 milhões em dividendos e JCP.

    Tags
    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    3 comentários

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • Clovis 22 de fevereiro de 2021

      Informações abrangentes em pontos específicos das companhias indicadas,

      Responder
    • luiz 25 de fevereiro de 2021

      O que significa: Por fim, a companhia encerrou o ano com alavancagem consolidada, excluindo os efeitos não caixa, em 2,4 vezes Dívida Líquida/Ebitda, além de propor o pagamento de R$ 599 milhões em dividendos e JCP.

      Responder
      • Suno Research 26 de fevereiro de 2021

        Olá, Luiz! Tudo bem?
        Qual parte especificamente você não entendeu? De forma resumida, isso significa que a companhia encerrou o ano com uma Dívida Líquida 2,4 vezes maior que o seu EBITDA (lucro operacional). Mesmo com esse grau de alavancagem, a companhia ainda anunciou o pagamento de dividendos.
        Atenciosamente, Equipe Suno.

        Responder