Acesso Rápido

    Radar do Mercado: Embraer (EMBR3) e EDP (ENBR3) se unem para desenvolver avião elétrico

    Radar do Mercado: Embraer (EMBR3) e EDP (ENBR3) se unem para desenvolver avião elétrico

    Na sexta-feira (20/11), a Embraer (EMBR3) e a EDP Brasil (ENBR3) anunciaram uma parceria para a pesquisa de aviões elétricos.

    O protótipo do modelo desenvolvido pela Embraer junto à EDP Brasil, que usa o modelo BEM-203 Ipanema como plataforma de testes, já está em desenvolvimento e tem o primeiro voo previsto para 2021.

    Por meio da divisão EDP Smart, a empresa do setor elétrico realizará um aporte visando à aquisição de soluções de tecnologia de armazenamento de energia e recarga para o desenvolvimento de uma aeronave de propulsão 100% elétrica.

    O investimento faz parte do acordo de cooperação que as duas empresas assinaram para avançar no conhecimento de tecnologias de armazenamento de energia e recarga de baterias para a aviação – um dos principais desafios do projeto atualmente.

    A parceria entre as companhias permitirá investigar a aplicabilidade de baterias de alta tensão para o sistema de propulsão elétrica de um avião de pequeno porte, além de avaliar suas principais características de operação, como peso, eficiência e qualidade de energia, controle e gerenciamento térmico, ciclagem de carregamento, descarregamento e segurança de operação.

    Segundo Luís Carlos Affonso, vice-presidente de engenharia e estratégia corporativa da Embraer, “o histórico de realização de parcerias estratégicas por meio de mecanismos ágeis de cooperação faz da Embraer uma das empresas brasileiras que mais estimula redes globais de conhecimento que permitem um significativo aumento de competitividade do país”.

    “A parceria com a Embraer no desenvolvimento do seu primeiro avião demonstrador de tecnologia de propulsão 100% elétrica representa uma nova fronteira que nosso investimento em mobilidade elétrica, contribuindo para posicionar o Brasil como um player de ponta neste mercado”, afirmou Miguel Setas, presidente da EDP no Brasil.

    Por fim, de acordo com a Embraer, esse acordo é uma continuação do projeto de eletrificação aeronáutica iniciado em maio de 2019, quando a fabricante de aviões entrou em cooperação com a WEG (WEGE3).

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *