Vibra Energia (BRDT3), ex-BR, forma joint venture com Copersucar na área de etanol

Vibra Energia (BRDT3), ex-BR, forma joint venture com Copersucar na área de etanol
Vibra Energia - Foto: BR Distribuidora/Divulgação

A Vibra Energia (BRDT3), novo nome da BR Distribuidora, celebrou parceria com a Copersucar para a criação de uma joint venture que atuará como Empresa Comercializadora de Etanol (ECE). A ECE contará com uma gestão independente e governança corporativa própria.

A Vibra Energia irá adquirir da Copersucar ações representativas de 49,99% do capital social da ECE pelo valor de R$ 4,99 milhões.

Os outros 50,01% de participação permanece com a Copersucar, em uma sociedade que será constituída com capital social de R$ 10 milhões, por determinação regulatória.

Após as devidas aprovações da operação pelas autoridades competentes, as acionistas irão aportar na nova sociedade mais R$ 440 milhões, na proporção de suas participações. Não haverá aporte de ativos imobilizados dos sócios, informa a Vibra Energia.

A operação teve aprovação do Conselho de Administração da ex-BR Distribuidora em 27 de agosto de 2021, e não está sujeita às regras contidas no artigo 256 da Lei das Sociedades por Ações.

Para Luis Sales, analista da Guide Investimentos, o impacto da operação é positivo para as ações da Vibra Energia no Ibovespa. “Vemos a criação da JV com bons olhos, pelo potencial sinérgico que deve ser criado. Questões como ganhos com escala e melhores controles operacionais, além de maior capacidade de carregos de estoque”, comenta por relatório aos clientes.

Já Ilan Arbetman, da Ativa Investimentos, acredita que o movimento seja convergente com o novo posicionamento estratégico da companhia. “Deve vir mais novidades nos próximos dias”, diz o analista.

Nova joint venture

Atualmente, a Vibra movimenta entre 6 bilhões e 6,5 bilhões de litros de etanol, em sua atividade de distribuição. Já a Copersucar é responsável por comercializar entre 4,5 bilhões e 5 bilhões de litros de etanol produzidos pelas usinas vinculadas à Cooperativa de Produtores de Cana-de-Açúcar, Açúcar e Álcool do Estado de São Paulo.

Com a entrada em operação da joint venture, esta passará a ser a responsável por adquirir o volume demandado pela Vibra, bem como por escoar a produção das usinas da Cooperativa.

“Com isto, entendemos que os volumes totais de comercialização esperados para a JV a tornarão a maior comercializadora de etanol do Brasil e uma das maiores do mundo”, informa a Vibra Energia.

A ECE será livre para comprar etanol no mercado e não somente das usinas da Cooperativa, bem como poderá vender etanol para outros clientes além da Vibra. Isso inclui outras distribuidoras, de modo a aumentar a sua capilaridade e abrangência no mercado de etanol.

“Esta iniciativa está alinhada à pauta ESG da Vibra, uma vez que essa comercializadora de etanol tem a ambição de desempenhar papel relevante no apoio à transição energética e à descarbonização da frota nacional de veículos leves”, diz a Vibra Energia.

Última cotação da Vibra Energia

Às 11:15, a cotação da Vibra Energia, ex-BR Distribuidora, operava quase estável no Ibovespa. As ações BRDT3 caíam 0,07%, valendo R$ 27,08.

Nos últimos 12 meses, a Vibra Energia acumula uma valorização de 38,33% nas suas ações.

Com informações de Estadão Conteúdo. 

Monique Lima

Compartilhe sua opinião

Comece 2022 investindo nos melhores FIIS

Baixar agora!