Patrocinado por:

Via (VIIA3) investe em startups em busca de inovação e tecnologia

Via (VIIA3) investe em startups em busca de inovação e tecnologia
Megaloja Casas Bahia, da Via (VIIA3). Foto: Divulgação

Por meio da Via Next, programa de inovação da Via (VIIA3) com a plataforma de startups Distrito, a varejista, dona das Casas Bahia e do Ponto, fez um investimento minoritário no Uffa, fintech de negociação de dívida, solicitação de crédito e abertura de conta.

Sem anunciar o valor da transação ou o percentual adquirido, a Via fechou seu quarto aporte em startups com o Uffa. Em setembro, a varejista já tinha investido nas fintechs GoPublic, Poupa Certo e Byebnk.

De acordo com Helisson Lemos, vice-presidente de marketplace e inovação da Via, a parceria com a Distrito é um caminho aberto à inovação para a varejista. “Estamos com as portas abertas à inovação para destravar valores em nosso ecossistema, gerar negócios que vão além do varejo e em paralelo alavancar muitas startups”, afirma o VP.

O Uffa é uma fintech que proporciona soluções de problemas financeiros, na negociação de uma dívida, solicitação de crédito ou abertura de conta. Com menos de dois anos de atuação, a startup já tem mais de 14 milhões de pessoas em sua base e usará o investimento para alcançar ainda mais pessoas.

O leque de serviços oferecidos pelo Uffa aos seus clientes engloba desde a resolução de dívidas até o acesso ao crédito, com um marketplace que oferece cashback após a negociação de dívida e tem um processo automatizado de consulta do CPF, que simula diferentes cenários e finaliza a jornada do usuário em menos de 3 minutos.

“É uma forma de motivar ainda mais as pessoas a quitarem suas pendências dentro da plataforma. A iniciativa é válida, inclusive, para aqueles que não possuem contas em bancos, o que é uma forma da fintech incluir os milhões de brasileiros desbancarizados”, diz Alexandre Rosa, cofundador do Uffa.

Soluções de startups para megaloja da Via

A nova megaloja das Casas Bahia, inaugurada na semana passada pela Via, conta com uma série de inovações que foram criadas em parceria com as startups investidas pela varejista por meio do Via Next com a Distrito.

Um exemplo são os sensores de calor espalhados pela loja. De acordo com Marcelo Ubriaco, diretor executivo de operações da Via, esses sensores serão utilizados pela varejista para estudar o comportamento dos clientes na visita à loja física.

Sem captação de imagens, os sensores fazem um scanner do mapa de calor de cada setor da loja. Dessa forma é possível entender em qual área os clientes permanecem por mais tempo e quais produtos são mais visados.

“Com isso, entendemos o interesse real dos clientes e podemos aprimorar a loja e evoluir nas ofertas”, disse Ubriaco no evento de apresentação da megaloja à imprensa, na última quinta-feira, dia 18.

Também por meio da parceria com startups, a Via criou uma série de interações entre físico e digital para os clientes explorarem na megaloja da Marginal Tietê, são eles: mapa da loja com QR Code, caça-mascote no aplicativo e sonorização com playlists inéditas.

  • Mapa da loja: por meio de um QR Code, os clientes conseguem acessar um mapa da megaloja – que tem 9 mil m² e três andares – para encontrar qual o setor deseja visitar. O mapa é interativo e permite chamar um vendedor e colocar os produtos visitados no carrinho de compras, ou favoritar;
  • Caça-mascote: também no mapa da megaloja os clientes podem participar da brincadeira de caçar o mascote das Casas Bahia, o CB. Ao todo, 21 mascotes ficam espalhados pela loja. Quando um cliente encontra todos, ele ganha direito a um brinde (que a Via não esclareceu qual seria);
  • Sonorização: cada área da megaloja tem um som ambiente diferente, com playlists inéditas criadas pela startup parceira da Via. Essas playlists podem ser compartilhada com os clientes, por meio de QR Code, para acesso na plataforma de música Spotify.

De olho no crescimento do banQi

Além da megaloja, a Via também está de olho na expansão da sua conta digital banQi. Atualmente, a fintech possui 4 milhões de clientes e já nasceu com a linha de crédito como base.

Segundo o CEO da Via, Roberto Fulcherberguer, metade dos clientes que chegam por meio do banQi não eram clientes de outras marcas da companhia.

Em entrevista ao SUNO Notícias, Fulcherberguer disse que para o próximo ano a Via mira aumentar o portfólio e a base de clientes da conta digital. “O crediário é uma linha importante das Casas Bahia e o banQi já nasceu com esse serviço como base. Agora temos que expandir esse negócio”, afirmou o CEO da Via.

Em sintonia com o banQi, além da negociação, a plataforma do Uffa também funciona como marketplace de crédito pessoal, com ofertas de 11 bancos e instituições financeiras.

“A Via está na vanguarda do BNPL (buy now, pay later/compre agora, pague depois), isso tem total sinergia com a atual plataforma do Uffa e ao que está por vir em breve”, destaca Ana Paula Pisaneschi, cofundadora e CEO do Uffa.

Monique Lima

Compartilhe sua opinião