Vale (VALE3): minério de ferro deve ser ‘contratempo’ no 1T24, diz Genial

Previsto para ser divulgado na terça-feira (16), após o fechamento do mercado, o relatório de produção e vendas da Vale (VALE3) no 1T24 pode trazer como ‘contratempo’ a curva de preços do minério de ferro, bastante depreciado no acumulado do ano, segundo analistas da Genial Investimentos.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/Lead-Magnet-Dkp-1.png

De acordo com a casa, “ao contrário do que ocorreu no trimestre passado, a depreciação forte de -25% YTD deverá representar um fator negativo no resultado da Vale, compondo uma dinâmica de preço mais fraca para marcar uma receita esperada em queda no 1T24″.

Ainda para a Genial, embora a média de preço da referência 62% Fe desse trimestre não seja muito diferente versus o trimestre passado, com um leve recuo para US$124/t (apenas -3,4% t/t), a diferença está na tendência observada entre os trimestres, que seguiram vetores opostos – enquanto o preço do minério de ferro acelerou forte entre o início e o final do 4T23 (~US$120-US$140/t), já no 1T24 foi o contrário, o preço caiu de maneira voraz (~US$140-103/t).

“Ou seja, embora a média de preço da curva de benchmark tenha ficado basicamente estável comparando os dois trimestres, essa dinâmica de vetores opostos causa uma retração de preço realizado maior pelo sistema de provisionamento de preço futuro, que jogará contra a Vale no 1T24“, diz a Genial em relatório.

Como serão as vendas da Vale no 1T24, segundo a Genial?

Sobre vendas, a Genial lembra que no 1T23, a Vale sofreu com uma grande dificuldade para embarcar a carga de minério de ferro vinda do sistema norte, uma vez que havia danificações causadas pelas fortes chuvas na estrutura do Terminal Ponta da Madeira (MA).

“O terminal ficou fechado por alguns dias para reestabelecimento da operação e interrompeu o fluxo de embarques, afetando drasticamente o volume de vendas e a qualidade do mix. Isso quer dizer que a base a/a, no que tange as vendas, é mais fraca e deve ser facilmente superada no 1T24, visto que esse trimestre parece ter passado ileso de grandes disrupções”, escrevem os analistas Igor Guedes, Lucas Bonventi e Rafael Chamadoira.

Para pelotas, a corretora considera que após comissionamento da barragem de Torto ter acontecido no início do 3T23, as operações na mina de Brucutu (MG) devem ajudar a trazer ramp-up da produção e um volume maior de vendas na base anual.

“Por outro lado, embora a Vale tenha performado muito bem na produção de minério de ferro fino no 4T23, ainda assim, há de se considerar o início do período de sazonalidade mais fraca, onde a temporada de chuvas já havia começado no trimestre passado”, descreve a casa.

Já para a divisão de metais básicos da Vale, a Genial acredita que será mais um trimestre desafiador para a precificação do Níquel, devido ao excesso de oferta vindo da Indonésia, que está empurrando o preço para baixo faz algum tempo.

“Porém, ao contrário dessa tendência, as operações de Cobre devem apurar uma alta a/a (tanto para receita, quanto para a EBITDA), em virtude de melhores dinâmicas de preço t/t e ramp-up de produção a/a”, acrescenta a corretora.

Em linhas gerais, a Genial espera uma produção da Vale com um acréscimo leve, “representando uma alta de +1% a/a para minério de ferro fino, apesar da desaceleração estimada de -24,5% t/t, em razão do efeito sazonal naturalmente ligado as chuvas”.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240.jpg

Genial sobre Vale: quanto a mineradora pagará de dividendos?

A Genial acredita que as premissas mais duras para as condicionantes do acordo de Mariana, bem como as das ferrovias, acabam reduzindo o nível de fluxo de caixa livre para a firma (FCFF) da Vale de tal forma que o pagamento de dividendos deverá ser menor do que a previsão anterior da casa.

“Lembrando que estamos penalizando propositalmente o valuation a companhia com 20% de upfront em ambos os casos. Essa situação afeta diretamente o nível de geração de caixa para 2024E”, pontuam os analistas.

Apesar do cenário, a Genial segue com a recomendação de ‘compra’ para as ações da Vale (VALE3), com preço-alvo a R$ 72,30 e US$ 14,50 para as ADRs da Vale na NYSE.

Desempenho das ações da Vale (VALE3)

No intradia, as ações da Vale subiam 1,15%, cotadas a R$ 62,34. No mês, os papéis da mineradora sobem 2,82% e no acumulado do ano, caem 15,35%.

Cotação VALE3

Gráfico gerado em: 15/04/2024
1 Dia

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240-2.png

Giovanni Porfírio Jacomino

Compartilhe sua opinião