AGENDA

Jack Dorsey deixará de ser o CEO do Twitter (TWTR34); ações caem

Jack Dorsey deixará de ser o CEO do Twitter (TWTR34); ações caem
Fundador do Twitter já havia deixado cargo de CEO no passado por conta de insatisfação com a gestão - Foto: Reprodução/Câmara dos Estados Unidos

O co-fundador do Twitter, Jack Dorsey, irá deixar seu cargo de CEO. A informação foi divulgada previamente pela CNBC e, posteriormente, confirmada pelo executivo.

Com a notícia, as ações do Twitter, mas caem 1,4% no intradia da Nasdaq. Antes do recuo, os papéis haviam engatado alta de cerca de 4%, digerindo a notícia.

A decisão foi aprovada pelo conselho de diretores da empresa que, por unanimidade, indicou Parag Agrawal, atual diretor de tecnologia do Twitter, para assumir o cargo de CEO.

O primeiro período de Jack Dorsey à frente do Twitter como diretor-geral foi entre 2007 e 2008, mas ele foi retirado do cargo pelo conselho de administração, à época, insatisfeito com a gestão.

Ele voltou a ficar à frente do empresa em 2015, e foi criticado por não ter deixado o comando de sua outra empresa, a especialista de pagamentos móveis Square, para se concentrar apenas no Twitter.

A pressão veio do Elliott Management Corp, hedge fund que detinha uma fatia de capital social da companhia na época do imbróglio.

Dorsey se defendeu da pressão dando à Elliott e a sua aliada, a firma de aquisições Silver Lake Partners, assentos no conselho de administração do Twitter.

Dorsey tornou-se bilionário com a rede, uma das redes sociais mais acessadas do mundo. Sua fortuna é estimada em cerca de US$ 12 bilhões.

Declaração oficial do fundador do Twitter

Em um post na sua conta oficial, Jack – como é popularmente conhecido – disse: “Não tenho certeza se alguém ouviu, mas eu pedi demissão do Twitter”.

A publicação com mais de 100 mil curtidas replica um memorando interno da empresa, redigido pelo próprio empresário.

“Eu acredito que [a companhia ser liderada pelo fundador] é severamente limitador, e um ponto de falha. Eu tenho trabalhado duro para garantir que essa empresa possa sair [do controle] dos seus fundadores”.

O empresário seguirá no conselho de administração do Twitter até maio de 2022, quando seu mandato terminará e ele deixará o órgão.

“Eu acredito que é importante dar para Parag o espaço que ele precisa para liderar”, afirmou o fundador do Twitter.

Eduardo Vargas

Compartilhe sua opinião

Comece 2022 investindo nos melhores Fundos Imobiliários

Baixar agora!