Resultados do 2T22

Governo estuda lançar novos produtos no Tesouro Direto, diz secretário

Governo estuda lançar novos produtos no Tesouro Direto, diz secretário

O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, afirmou, nesta quinta-feira (17), que o governo federal estuda oferecer novos títulos públicos do Tesouro Direto aos investidores no Brasil. Segundo ele, esses títulos de renda fixa de menor risco serão focados em prazos mais longos e com taxas menores.

“Os indexadores serão os mesmos. Mas o foco será no longo prazo e estarão disponíveis, talvez, a partir do próximo ano. A taxa de custódia também será próxima de zero ”, disse Mansueto sobre os novos produtos do Tesouro Direto, durante o evento Brasil Financial Summit, em São Paulo.

Segundo o secretário, os novos produtos ainda estão em estudo pelo Tesouro Nacional e deverão, em breve, ser discutidos também pelo Ministério da Economia, mas não há certeza sobre o período de lançamento. A possibilidade, porém, é para 2020.

“Ainda estamos discutindo novos produtos, que devemos levar para o ministro [Paulo Guedes, da economia], mas possivelmente teremos novos produtos de renda fixa no Tesouro Direto no próximo ano”, disse.

Confira Também: Tesouro Direto supera a marca de 1 milhão de investidores

Apesar do estudo de novos produtos de renda fixa, Mansueto Almeida afirmou que o período de juros altos e rendimento sem risco acabou no Brasil.

Segundo o secretário, o novo ciclo, com a taxa básica de juros (Selic) em patamares historicamente baixos, é o início de uma nova fase onde será necessário tomar riscos em troca de rendimento.

“Título público não vai dar mais o rendimento de três, quatro anos atrás. Se você quer ganhar dinheiro, agora no Brasil, você vai ter que se arriscar”, afirmou.

“Quem quiser ganhar vai ter que olhar essas análises e ver onde alocar seu dinheiro. Aquela fase de NTN-B de 50 anos, com 6% de juro real por ano, que você comprava e ficava no sofá ganhando dinheiro, acabou. Esse país acabou. Agora, se você quiser ganhar dinheiro, vai ter que tomar risco”, completou Almeida.

Vinicius Pereira

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO