Tarcísio vai a Lula pela privatização do Porto de Santos e diz que presidente está ‘aberto ao diálogo’

O governador de São Paulo, Tarcísio Gomes de Freitas (Republicanos) teve uma reunião presencial com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nesta quarta-feira (11). Uma das pautas da reunião foi a privatização do Porto de Santos, assunto que opõe os dois políticos.

Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo após o encontro, Tarcísio disse que Lula se mostrou aberto ao diálogo em relação à privatização, mas reconheceu dificuldades. “Ele disse que, obviamente, essa questão da privatização é um tema sensível, mas que ele também não está preso a dogmas, a conversar internamente. Sabemos quanto o tema é sensível para eles, temos que tratar com responsabilidade”, afirmou.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-1-1.png

No Twitter, Lula publicou fotos do encontro e relembrou que, durante a campanha, prometeu que “respeitaria e trabalharia com todos os govenadores, pelo bem do Brasil”. “É o que estamos fazendo”, concluiu.

Além de Lula e Tarcísio, também estiveram presentes o Ministro da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência, Alexandre Padilha, e Gilberto Kassab, que é presidente do PSD e Secretário de Relações Institucionais do governo paulista.

Para aliados de Tarcísio, a privatização do Porto de Santos tem capacidade de atrair mais de R$ 20 bilhões em investimentos para o complexo portuário que é o maior da América Latina e o principal porto do Brasil. A iniciativa, no entanto, esbarra em Márcio França, ex-governador de São Paulo e atualmente ministro de Portos e Aeroportos do governo Lula.

O próprio presidente da República também já se opôs diversas vezes à agenda de privatizações que estava em andamento no governo anterior, de Jair Bolsonaro (PL), e prometeu dar fim às concessões. Se dirigindo a investidores estrangeiros, Lula chegou a dizer que eles “não venham aqui para comprar nossas empresas públicas porque elas não estão à venda”.

A reunião acontece em um momento de aproximação entre Lula e Tarcísio, que foi ministro da Infraestrutura de Bolsonaro e é considerado um dos herdeiros políticos do ex-presidente. O governador já esteve em Brasília nesta semana, quando participou na segunda-feira (9) da reunião de Lula com governadores, congressistas e membros do STF um dia após os atos golpistas que vandalizaram as sedes dos Três Poderes.

Na ocasião, Tarcísio chegou a fazer uma deferência a Geraldo Alckmin (PSB), vice-presidente da República que governou São Paulo por quatro mandatos. “Vou cumprimentar todos os senhores ministros na pessoa do vice-presidente Geraldo Alckmin, com quem eu tenho que aprender sobre São Paulo”, disse Tarcísio. Alckmin, além de vice de Lula, é também ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços.

Gregory Prudenciano

Compartilhe sua opinião