AGENDA

Taesa (TAEE11) pagará R$ 466,57 milhões em proventos

Taesa (TAEE11) pagará R$ 466,57 milhões em proventos
Taesa. Foto: Reprodução Facebook

O conselho de administração da Taesa (TAEE11) aprovou nesta quinta-feira (13) a distribuição de R$ 401.572.852,08 em dividendos intercalares e de R$ 65.003.941,52 em juros sobre o capital próprio (JCP), com base nas demonstrações financeiras apuradas ao final de março desse ano.


Dessa forma, a Taesa pagará pouco mais de R$ 0,388 em dividendos intercalares por ação (TAEE3; TAEE4), e pouco mais de R$ 1,165 por Unit (TAEE11).

Já em relação aos juros sobre o capital próprio, a transmissora de energia elétrica pagará pouco mais de R$ 0,062 por ação (TAEE3; TAEE4), e pouco mais de R$ 0,188 por Unit (TAEE11), sem considerar da dedução do Imposto de Renda na Fonte de 15%.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Vídeo Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

No entanto, apenas o acionistas com ações da companhia ao final do dia 18 de maio terão o direito de receber os dividendos e os JCPs, sendo que a partir do dia 19 de maio os papéis serão negociados “ex-dividendos e JCP”.

Além disso, o pagamento desses proventos acontecerá até o dia 31 de maio.

Taesa tem lucro líquido de R$ 555,9 milhões no 1T21

A Taesa  lucrou de forma líquida R$ 555,9 milhões no primeiro trimestre, alta de 42,1% na base anual. Segundo a companhia, o resultado foi impulsionado pelo avanço do IGP-M, índice macroeconômico a qual parte dos seus contratos são indexados. Sozinhos, os reajustes somaram R$ 241,5 milhões na receita do trimestre.

A receita líquida ficou em R$ 908,4 milhões, alta de 32% na base anual. Além dos reajustes do IGP-M, o faturamento da empresa avançou também com a consolidação das aquisições de São João, São Pedro, Lagoa Nova e da entrada de operação da concessão de Mariana.

A companhia viu os seus custos e despesas, incluindo depreciação e amortização, chegarem a R$ 239,7 milhões, caindo 6,4% na base anual, com destaque para os menores gastos com materiais, uma vez que a companhia entregou obras que pesavam nesse número.

O Ebitda (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização), com isso, ficou em R$ 673,5 milhões, alta de 54,5% na base anual. A margem Ebitda saiu de 63,3% no primeiro trimestre do ano passado para 74,1,1%, alta de 10,8 pontos percentuais.

Última cotação da TAEE11

A ação da Taesa (TAEE11) encerrou o pregão de hoje em alta de 1,65%, valendo R$ 38,10.

Laura Moutinho

Compartilhe sua opinião