SNEL11 dá pontapé inicial ao seu primeiro projeto de energia limpa

O fundo imobiliário da Suno Asset, SNEL11, o Suno Energias Limpas FII, deu o pontapé inicial ao seu primeiro projeto de energia limpa, com investimento estimado total de aproximadamente R$ 19,63 milhões.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/Lead-Magnet-Dkp-1.png

Na última quarta-feira (3), o fundo SNEL11 assinou um documento que concede ao fundo 98% do direito real de superfície sobre 12,12% de um imóvel localizado em Minas Gerais.

Os outros 2% foram cedidos à CBIE, uma empresa de consultoria especializada no setor energético.

Nesse imóvel, o FII SNEL11 vai construir duas usinas solares fotovoltaicas, sendo uma com potência instalada de inversores de 1,4 megawatts (MW) e a outra com 3,36 megawatts.

Essas usinas vão utilizar a rede da Cemig (CMIG4) para que o sistema de geração de energia elétrica seja conectado.

A estimativa é de que as obras sejam concluídas em seis meses e, após isso, o fundo imobiliário SNEL11 vai arrendar o empreendimento imobiliário para terceiros, de modo que esses locatários poderão utilizar a energia gerada.

O valor do investimento estimado de R$ 19,63 milhões se refere à soma dos custos envolvidos na concessão do direito de superfície e da implantação do empreendimento imobiliário em questão.

Outras informações sobre a implantação do projeto serão informadas pela gestora e administradora do fundo, conforme destacado em comunicado.

Detalhes sobre o SNEL11

O SNEL11 é um fundo imobiliário da Suno Asset. Seu objetivo é investir em energias limpas e renováveis, sendo o primeiro FII do Brasil que possui essa tese de investimento.

O fundo foi criado em parceria com o Centro Brasileiro de Infra-estrutura (CBIE), uma empresa de consultoria especializada em infraestrutura e energia.

O objetivo do fundo imobiliário SNEL11 é participar do desenvolvimento de projetos de energia desde seu início. Assim que esses projetos estiverem prontos, eles podem gerar ao FII receita por meio da venda de energia elétrica aos seus consumidores.

Além dessa tese de renda, o fundo também poderá gerar ganho de capital com a venda de projetos já prontos, desde que eles tenham um valor agregado maior que o montante investido para seu desenvolvimento.

De acordo com o portal Status Invest, o SNEL11 tem um valor de mercado é de mais de R$ 50 milhões, enquanto o patrimônio líquido do fundo é de R$ 47,27 milhões, equivalente a R$ 94,55 por cota.

O SNEL11 tem uma taxa de administração de 1,25% ao ano, dos quais 1,08% são destinados para gestão e 0,17% para a administração e custódia. Já a taxa de performance é de 20% sobre o que exceder o IPCA + 7% ao ano.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240.jpg

João Vitor Jacintho

Compartilhe sua opinião