UBS prevê cortes de 0,75 ponto percentual a partir de março e Selic a 8% em um ano

Com o corte da taxa básica de juros, a Selic, de 13,25% para 12,75% pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC), surgem muitas especulações sobre as próximas decisões. Em relatório, o UBS BB afirmou que espera que os cortes de 50 pontos-base (pb) “acelerem o ritmo em março do próximo ano para 75 pb por reunião”.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/04/1420x240-Banner-Home-2-1.png

Na análise do banco suíço de investimentos, as reduções da taxa Selic devem ganhar tração ao passo que a inflação se consolida em tendência de baixa. Atualmente, a previsão do UBS BB para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), principal termômetro da inflação no Brasil, é de que ele chegue a 3,0% até o final de 2025, enquanto que a estimativa do BC é de 3,5%.

Além disso, o UBS BB também afirma que podemos ter uma Selic enxuta a 8% até setembro de 2024.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/04/1420x240_TEXTO_CTA_A_V10.jpg

Cortes da Selic podem ajudar a bater meta do PIB

O UBS BB apresentou um tom otimista em seu relatório, avaliando que agora o BC está “indicando a importância de chegar aos seus alvos fiscais”, o que deverá aliviar as preocupações sobre a meta de déficit zero do Produto Interno Bruto (PIB).

As últimas previsões feitas pelo Ministro da Fazenda, Fernando Haddad, em alinhamento com o Congresso, indicaram que zerar o déficit primário em 2024 realmente seria um desafio. Nessa mesma linha, o UBS BB reforça que eles ainda esperam um déficit de até 1% do PIB para 2024, mas que uma revisão nos objetivos não seria tão agradável, visto que “poderia levar os mercados a questionarem o esforço de consolidação fiscal da atual administração”.

Além disso, já com essa a previsão de um déficit mais amplo, é possível que as instituições direcionarem riscos para obter um déficit menor do que o aguardado.

Ainda sobre o cenário doméstico após o corte da Selic, o relatório também avaliou que a reunião do Copom encontrou uma atividade econômica mais resiliente do que esperava, mas que a desaceleração nos próximos trimestres prevista pelo UBS e em consenso com o comitê.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

Camila Paim

Compartilhe sua opinião