Safra retira BB Seguridade (BBSE3) da carteira recomendada de ações

Safra retira BB Seguridade (BBSE3) da carteira recomendada de ações
O Safra Equity Research retirou as ações da BB Seguridade (BBSE3) da sua carteira recomendada de ações para dezembro.

O Safra Equity Research informou nesta terça-feira (1) que retirou as ações da BB Seguridade (BBSE3) da sua carteira recomendada de ações para dezembro.

Em novembro, a careteira recomendada de ações do Safra variou positivamente 14,38%, contra a variação positiva de 15,11% do Ibovespa.

Apesar dos ativos da BB seguridade terem sido os únicos removidos da carteira para dezembro, essa não foi a única mudança, já que a companhia aumentou a exposição do Itaú.

Além disso, o relatório destaca que “realizamos outros pequenos ajustes como a redução da exposição a Bradesco, B3, Engie e aumentamos Petrobras, Tim e Iguatemi”.

Nesse sentido, a carteira recomendada de ações do Safra para dezembro é composta pelos seguintes papéis:

  • Bradesco (BBDC4), com peso atual de 9%, ante 10%
  • Banco do Brasil (BBAS3), com peso atual de 8%
  • Itaú Unibanco (ITUB4), com peso atual de 9%, ante 4%
  • B3 (B3SA3), com peso atual de 4%, ante 5%
  • Via Varejo (VVAR3), com peso atual de 5%, ante 7%
  • Petrobras (PETR4), com peso atual de 10% , ante 9%
  • Bradespar (BRAP4), com peso atual de 5%
  • Vale (VALE3), com peso atual de 6%
  • Gerdau (GGBR4), com peso atual de 6%
  • Iguatemi (IGTA3), com peso atual de 5%, ante 4%
  • CESP (CESP6), com peso atual de 5%
  • Engie Brasil (EGIE3), com peso atual de 4%, ante 5%
  • Hapvida (HAPV3), com peso atual de 6%
  • H. Pardini (PARD3), com peso atual de 5%
  • Tegma (TGMA3), com peso atual de 3%
  • CCR (CCRO3), com peso atual de 6%
  • TIM Participações (TIMS3), com peso atual de 4%, ante 3%

Safra explica manutenções e alterações

O Safra explicou que retirou a BB Seguridade da carteira recomendada de dezembro pois espera que no resultado do quarto trimestre “a companhia seja impactada pelo descasamento de índices (IGPM: e IPCA), afetando o resultado financeiro da operação de Previdencia”.

Sobre o Itaú, o relatório apontou que o aumento de exposição ocorreu por dois motivos, sendo eles “bom upside do banco em relação a nossa análise fundamentalista e também pela decisão do banco em segregar boa parte da participação detida na XP (41.05% de participação do Itau) em uma nova companhia (NewCo), a qual entendemos ser um bom movimento para destravar valor aos acionistas do banco”.

Além disso, o Safra explicou que manteve a Petrobras em sua carteira recomendada, “pois acreditamos que a expectativa de uma vacina contra Covid-19 beneficia a perspectiva de demanda por derivados de petróleo por conta da recuperação da economia”.

Laura Moutinho

Compartilhe sua opinião