Radar: Santander (SANB11) anuncia pagamento bilionário de JCP, Petrobras (PETR4) pode pagar até US$ 7 bilhões em dividendos e Prio (PRIO3) pode subir 78%, diz BTG

O Santander (SANB11) vai pagar R$ 1,5 bilhão em juros sobre o capital próprio aos seus acionistas, segundo fato relevante divulgado hoje.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

O valor dos proventos do Santander será de R$ 0,40285562160 por unit, que serão pagos a partir do dia 8 de fevereiro.

Apenas os investidores com ações do Santander no dia 19 de janeiro terão direito de receber os rendimentos. A partir do dia 22 de janeiro, as ações serão negociadas sem direito ao JCP.

Segundo o comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), esses proventos fazem parte dos dividendos obrigatórios do exercício de 2024.

JCP do Santander (SANB11)

  • Valor total: R$ 1,5 bilhão
  • Valor por unit: R$ 0,40285562160
  • Data de corte: 19 de janeiro
  • Data do pagamento: a partir de 8 de fevereiro
  • Rendimento (dividend yield): 5,46% nos últimos 12 meses

No pregão de hoje, a cotação das ações do Santander caiu 0,33%, cotada a R$ 30,51. No ano, o papel acumula queda de 5,54%.

Além de Santander, confira outros destaques desta quinta-feira:

Petrobras (PETR4) pode pagar até US$ 7 bilhões em dividendos extraordinários após resultado do 4T23, diz Goldman Sachs

  • Segundo analistas do Goldman Sachs, a Petrobras (PETR4) tem potencial de pagar cerca de US$ 7 bilhões (R$ 34,10 bi) em dividendos extraordinários no curto prazo.
  • Em relatório, os analistas da casa destacam que esses dividendos da Petrobras podem vir em março, após os resultados do quarto trimestre de 2023 serem divulgados.
  • Com esse pagamento de dividendos de PETR4, a companhia ficaria então com uma posição de caixa no nível mínimo requerido.
  • Além disso, representariam uma retração em relação aos dividendos pagos anteriormente, dado que a companhia chegou a ultrapassar um patamar de 60% de dividend yield (DY) no ano anterior.
  • “Além de vermos a atual política de remuneração aos acionistas a cerca de 11% de dividend yield para 2024 (o que é ligeiramente maior que a média dos pares globais), enxergamos potencial para dividendos extraordinários (suportado por nosso yield de fluxo de caixa livre esperado para 2024 de cerca de 16% e posição de caixa elevada de aproximadamente US$ 17 bilhões em 30 de setembro de 2023″, diz a casa.
  • A recomendação do Goldman Sachs para as ações da Petrobras é de compra, com preço -alvo de R$ 31 para as ações preferenciais e R$ 45,10 para as ordinárias.
  • Já para as American Depositary Receipts (ADRs) da companhia, em Nova York, o preço-alvo é de US$ 18,30.
  • Além disso, recentemente a casa revisou as estimativas de petróleo, cortando as projeções do barril do Brent de US$ 80-100 para US$ 70-90 em 2024.

Prio (PRIO3): banco recomenda compra, vê upside de 78% e coloca ação como preferida entre as junior oils

  • O BTG Pactual reiterou recomendação de compra para as ações da Prio (PRIO3), afirmando que a companhia está em um estágio mais avançado de desenvolvimento de portfólio do que suas concorrentes. Na tarde desta quinta-feira (11), os papéis da Prio lideram as altas no Ibovespa, subindo 2,80% a R$ 45,59.
  • “Está desalavancada e ostenta não apenas o menor custo de extração entre as petrolíferas júnior, mas também o menor custo de equilíbrio, que, em última análise, é o que mais importa”, explica o BTG.
  • Além disso, a equipe do BTG projeta um crescimento da Prio por meio de fusões e aquisições, com projetos de taxa interna de retorno (TIR) acima de 20%.
  • “Embora não seja o objetivo principal, também não descartamos a possibilidade de retornos significativos em dinheiro (dividendos/compras de ações) se negociações adequadas não forem concluídas no futuro próximo”, dizem os analistas.
  • Quanto ao setor em geral, o banco prega cautela após queda de 20% nos preços do petróleo durante os últimos meses. Os analistas acreditam que a assimetria nos preços da commodity seja ascendente, mas as incertezas na oferta e demanda global justificam uma abordagem baseada na capacidade de geração de fluxo de caixa livre no curto prazo.
  • “Essa é uma das razões pelas quais a Prio se destaca como a melhor opção. Os custos de extração da empresa estão atualmente 60% abaixo da média do setor, e a empresa está desalavancada, o que significa que o fluxo de caixa livre para os acionistas (FCFE) da Prio por barril permanecerá mais alto em 2024, mesmo se os preços do petróleo desabarem”, comenta o BTG.
  • Neste contexto, o banco recomenda compra das ações da Prio, com preço-alvo de R$ 79, um potencial de valorização de 78%.

Prio: efeito da paralização do Ibama na produção de Wahoo

  • O BTG destaca a perda de valor de mercado da Prio, após notícias de que as licenças ambientais necessárias para o desenvolvimento de Wahoo provavelmente serão adiadas, devido a uma paralisação nas operações pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).
  • Para os analistas, embora o evento seja negativo do ponto de vista técnico, a reação do mercado foi exagerada.  Nas estimativas do banco, a queda de 4,2% no preço das ações só seria justificada se o ‘first oil’ do campo fosse adiado em 15 meses em comparação com o plano atual (julho-agosto de 2024).
  • “É muito cedo para avaliar quando a paralisação do Ibama terminará, mas achamos justo dizer que isso deve acontecer em um prazo mais curto. Também observamos que a PRIO poderia optar por acelerar os esforços de perfuração em outros campos atualmente não precificados pelo mercado, caso os atrasos do Wahoo se tornem significativos”, conclui o BTG.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/Ebook-Acoes-Desktop.jpg

HGLG11: lucro salta para R$ 33,21 milhões e FII termina 2023 com retorno de 9,22%

  • O fundo imobiliário HGLG11 lucrou R$ 33,21 milhões em dezembro, conforme anunciado em seu novo relatório gerencial, superando o resultado do mês anterior, que tinha sido de R$ 27,758 milhões.
  • O faturamento mensal foi de R$ 41,689 milhões em dezembro. Já as despesas do FII HGLG11 totalizaram R$ 8,476 milhões nesse mesmo período.
  • Os dividendos do HGLG11 permanecem estáveis pelo 6º mês seguido em R$ 1,10 por cota. O montante total a ser distribuído no dia 15 de janeiro é de R$ 37,166 milhões.
  • O fundo distribuiu cerca de 100,9% do resultado registrado no segundo semestre de 2023. O lucro mensal foi influenciado pelas despesas de comissão de comercialização das locações do HGLG Itupeva – G200, que somaram R$ 1,4 milhões, ou R$ 0,04 por cota.
  • Outro fator que impactou o resultado mensal foi o lucro referente a parcela da venda do terreno localizado em Extrema – MG, cujo valor é de R$ 687,8 mil.
  • Por fim, a gestão também destacou o lucro final obtido na parcela da venda do imóvel LASA Uberlândia, de R$ 8,6 milhões, adicionando R$ 0,26 por cota ao resultado do FII.
  • O crescimento da vacância do fundo imobiliário HGLG11 aconteceu em razão da saída da WMB do ativo Betim, o que fará com que o FII receba uma multa rescisória.

Gestão explica retorno do HGLG11 em 2023

  • A gestão aponta que a performance dos fundos imobiliários de logística do IFIX foi de +15,97% no último ano, enquanto o desempenho do IFIX foi positivo em 15,5% nesse período.
  • Considerando a variação do preço da cota do fundo HGLG11 na Bolsa de Valores e os dividendos reinvestidos, o retorno total do HGLG11 em 2023 é de +9,22%. Nesse sentido, a gestão buscou trazer as razões que fizeram com que o retorno total do FII ficasse abaixo da média do setor (dentre os FIIs de logística do IFIX).
  • “O retorno do fundo, abaixo do mercado, é explicado principalmente em função da retomada dos outros fundos, que apresentavam um desconto superior a 15% ao final de 2022 e encerraram 2023 com valor de mercado muito próximo aos seus valores patrimoniais, por outro lado, o HGLG negociou durante todo este período com um prêmio em relação a sua cota patrimonial”, diz a gestão em relatório.
  • Ademais, com os fundos imobiliários terminando o ano de 2023 em alta na Bolsa, o retorno do HGLG11 foi “menos expressivo” em relação ao restante do setor, dado que, na visão da gestora, no começo de 2023 o CSHG Logística já estava “bem precificado”.

VGIA11 anuncia dividendo 24,3% maior; Veja o novo valor

  • O maior Fiagro do Brasil em número de cotistas, VGIA11, anunciou um novo pagamento de dividendos para o mês de janeiro. Dessa vez, o valor é de R$ 0,1242991 por cota.
  • Conforme comunicado nesta quinta-feira (11), os dividendos do VGIA11 serão distribuídos no dia 18 de janeiro de 2024, sendo destinados somente aos que detinham cotas do Fiagro até o final do pregão de hoje da Bolsa de Valores.
  • Em relação ao mês anterior, quando os rendimentos do VGIA11 foram de R$ 0,10 por cota, o novo valor representa um aumento de 24,3%, e é a maior quantia em 4 meses.
  • Nos últimos 12 meses, os proventos do fundo somam R$ 1,56 por cota, segundo o portal Status Invest. Esse montante equivale a um dividend yield (DY) de 17,24% sobre a cotação atual de R$ 9,05.
  • O retorno mensal desse novo rendimento é de 1,37%. O dividend yield mensal anterior foi de 1,15%, considerando o valor de R$ 0,10 por cota dos dividendos, que foi distribuído em 19 de dezembro de 2023.
  • Além disso, vale destacar que a média de dividendos do Valora CRA nos últimos 2 anos é de R$ 0,14168444 por cota ao mês.

Microsoft (MSFT34) deixa Apple (AAPL34) para trás e vira empresa mais valiosa do mundo

  • A Microsoft (MSFT34) conquistou o posto de empresa mais valiosa do mundo nesta quinta-feira (11), superando a Apple (AAPL34). As ações da empresa da maçã enfrentaram um início desafiador em 2024 devido a crescentes preocupações com a demanda.
  • Impulsionadas por uma alta de 1,6%, as ações da Microsoft (MSFT34), negociadas na bolsa de valores americana Nasdaq, atingiram uma avaliação de mercado de US$ 2,875 trilhões (R$ 14,038 trilhões na cotação atual).
  • Um fator que contribuiu para os holofotes da empresa do Vale do Silício foi o desempenho na corrida para capitalizar a inteligência artificial generativa contribuiu significativamente para atrair investidores, destacando a posição de liderança da Microsoft (MSFT34) na vanguarda da inovação tecnológica, conforme relatado pela agência de notícias Reuters.
  • Por outro lado, a Apple (AAPL34) registrou uma queda de 0,9%, resultando em um valor de mercado de US$ 2,871 trilhões (R$ 14,018 trilhões na cotação atual).
  • Este é o primeiro episódio desde 2021 em que o valor de mercado da Apple ficou abaixo da Microsoft, marcando um momento significativo nas dinâmicas competitivas entre as duas gigantes tecnológicas.

Microsoft (MSFT34) avança 57% em 2023

  • Em 2023, as ações da desenvolvedora do Windows subiram até 57%, após consolidar uma parceria com a criadora do ChatGPT, OpenAI. Após a demissão de Sam Altman, chefe-executivo da OpenAI, no final de novembro, a Microsoft aumentou o peso de sua influência sobre a companhia que é destaque no mercado de IA.
  • Na ocasião, Altman quase foi contratado pela Microsoft, mas depois retornou à desenvolvedora do ChatGPT.
  • Desde que a Apple alcançou o patamar de companhia mais bem avaliada, em 2011, foram raros e breves os momentos em que foi ultrapassada por outras empresas.
  • Em 2023, seus papeis cresceram 48%, um número sólido, porém inferior à concorrência. Enquanto isso, a maior aposta da empresa no ano foi o seu headset de realidade virtual, o Apple Vision Pro, que deverá chegar às lojas em fevereiro, por um preço estimado de US$ 3,5 mil (R$ 17,1 mil).

De Santander à Microsoft, essas foram as empresas que se destacaram hoje. Para ler todas as matérias, clique aqui.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

João Vitor Jacintho

Compartilhe sua opinião