Radar: JBS (JBSS3) entra no mercado de proteína cultivada, BRB (BSLI3) pagará dividendos e Gafisa (GFSA3) fecha no azul

Radar: JBS (JBSS3) entra no mercado de proteína cultivada, BRB (BSLI3) pagará dividendos e Gafisa (GFSA3) fecha no azul
JBS. Foto: Reprodução Site

A JBS Global Luxembourg, controlada da JBS (JBSS3), fechou um acordo para aquisição do controle da sociedade espanhola BioTech Foods. Com isso a companhia ingressa no mercado de proteína cultivada e será a acionista majoritária da BioTech Foods.

A operação inclui o investimento de US$ 41 milhões na construção de uma nova unidade fabril na Espanha para dar escala à produção. Além disso, em fato relevante divulgado  nessa quarta-feira (17), a JBS anunciou a implantação do primeiro Centro de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) em Biotecnologia de Alimentos e de Proteína Cultivada no Brasil.

Ao todo, a companhia destinará US$ 100 milhões às duas iniciativas, alinhadas à sua estratégia de ampliar a sua plataforma de novas formas de produção de proteína.

Contudo, o fechamento da transação está sujeito à aprovação da autoridade de investimento estrangeiro na Espanha.

Além da JBS, veja outras empresas que ficaram no radar nessa quarta-feira:

Wine (WNBR3), startup de vinhos, começa a operar no México

  • A Wine (WNBR3), startup brasileira especializada em venda de vinhos começou a  atuar no México, dando seu primeiro passo rumo à internacionalização.
  • O site wine.com.mx entrou no ar na última segunda-feira (16), com um plano de assinaturas de 299 pesos mexicanos (o equivalente a R$ 79) por mês, com direito a duas garrafas de vinho e uma revista.
  • No começo de 2023, a Wine deve investir também em um e-commerce no México.
  • De acordo com o CEO da startup, Marcelo D’Arienzo, “o México é um mercado muito parecido com o Brasil de cinco anos atrás”.
  • O país ainda tem baixo consumo per capita de vinhos – o consumo de vinhos importados é de 0,56 litro por habitante/ano, enquanto no Brasil este volume é de 0,71 litro, segundo os dados da companhia de vinhos.

Boa Safra (SOJA3) tem alta de 227% no lucro e XP recomenda compra

  • A Boa Safra Sementes (SOJA3) registrou lucro líquido de R$ 88 milhões no terceiro trimestre deste ano, alta de 227,7% na comparação com o mesmo período no ano passado.
  • Na análise da XP, a empresa entregou um trimestre forte e por isso recomenda compra, com preço-alvo de R$ 18.
  • Segundo o balanço da Boa Safra, a receita líquida da companhia totalizou R$ 873,3 milhões no terceiro trimestre, avanço de 55,6% em relação ao período de julho a setembro do ano passado, quando havia registrado R$ 560,9 milhões.
  • O crescimento da receita líquida ocorreu com o forte aumento no volume vendido e com a elevação do preço da soja.
  • O Ebtida (lucro antes de de juros impostos depreciação e amortização) somou R$ 151,7 milhões, aumento de 45,5%.

Gafisa (GFSA3) lucra R$ 6,2 milhões no 3T21 e fecha no azul pela 4ª vez

  • Sem prejuízo em um acumulado de doze meses, a Gafisa (GFSA3) obteve um lucro de R$ 6,2 milhões no terceiro trimestre de 2021.
  • Segundo o balanço da Gafisa, há uma retração de 53% em relação ao trimestre anterior, mas a última linha do balanço reverte um cenário crítico do ano anterior – quando a companhia do segmento imobiliário teve um prejuízo de R$ 56,4 milhões.
  • Em comparação com 2020, a receita líquida cresceu 12%, ante 36% de queda em relação ao trimestre anterior. A companhia registrou uma entrada de R$ 166,7 milhões no terceiro trimestre deste ano, ante R$ 148 milhões no ano anterior.
  • Já a margem bruta passou de 16,4%, de julho a setembro de 2020, para 39,7%.
  • Até este mês, o Valor Geral de Vendas (VGV) lançado chega a R$ 1,68 bilhão, dentro da faixa estimada para este ano de R$ 1,5 bilhão a R$ 1,7 bilhão.

BRB (BSLI3) pagará dividendos de R$ 55 milhões e JCP de R$ 17 milhões

  • O conselho de administração do BRB (BSLI3), o Banco de Brasília, aprovou a antecipação do pagamento de Dividendos e Juros sobre o Capital Próprio (JCP) referentes ao exercício de 2021.
  • O BRB aprovou dividendos do BRB  de R$ 55 milhões, que correspondem a valor unitário de R$ 0,14 por ação ordinária e R$ 0,16 por ação preferencial.
  • A companhia pagará aos investidores R$ 17 milhões em juros sobre capital próprio, o que corresponde ao valor unitário de R$ 0,04 por ação ordinária e R$ 0,05 por ação prioritária.
  • Serão considerados para o recebimento dos dividendos e JCP os investidores detentores de ações do Banco de Brasília até o final do pregão do dia 1° de dezembro, sendo o pagamento realizado no dia 9 do mesmo mês.
  • Além disso, o banco também informou em comunicado que, durante reunião realizada ontem (16), recebeu o pedido de renúncia do diretor executivo de Novos Negócios do BRB, Hugo Andreolly Albuquerque Costa Santos, que entrou em vigor no mesmo dia do recebimento.

Da JBS ao BRB, essas foram as empresas que se destacaram hoje. Para ler todas as matérias clique aqui.

Laura Moutinho

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO