AGENDA

Radar: Eneva (ENEV3) tem alta no lucro do 2TRI21, Engie (EGIE3) anuncia dividendos e Tupy (TUPY3) pagará JCP

Radar: Eneva (ENEV3) tem alta no lucro do 2TRI21, Engie (EGIE3) anuncia dividendos e Tupy (TUPY3) pagará JCP
Eneva. Foto: Reprodução Facebook

A Eneva (ENEV3) anotou um lucro líquido de R$ 118,1 milhões no segundo trimestre desse ano, o que equivale a um salto de 37,7% em comparação com o ganho apurado um ano antes.

Segundo a Eneva, o resultado foi impulsionado pelo melhor resultado financeiro e operacional.

Entre abril e junho desse ano, a receita operacional líquida da companhia somou R$ 962,5 milhões, um avanço de 85,6% na comparação anualizada. A receita foi impulsionada pela maior geração de energia no trimestre, devido à elevação do despacho das usinas a gás, que atingiu 65% ao final do 2T21, ante 12% apurado no 2T20.

Por sua vez, o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado da companhia finalizou o trimestre em R$ 377,5 milhões, um aumento de 35% em relação ao resultado apurado ao final de junho do ano passado.

Veja as outras empresas que se destacaram nesta quinta-feira:

Engie (EGIE3) tem queda de 58,4% no lucro do 2º tri, com aumento no valor das concessões

  • Engie Brasil (EGIE3) anotou um lucro líquido de R$ 319 milhões no segundo trimestre de 2021, o que equivale a uma queda de 58,4% em relação ao lucro apresentado um ano atrás.
  • O lucro continuo foi impactado negativamente pela atualização das concessões públicas, pagas com juros do indicador IGP-M.
  • Por outro lado, a receita operacional líquida avançou 16,6% e somou R$ 3,133 bilhões
  • O Ebitda ajustado do segundo trimestre ficou em R$ 1,532 bilhão, alta de 19,7% frente ao segundo trimestre de 2020.

Engie (EGIE3) anuncia pagamento de R$ 789,5 milhões em dividendos

  • Além de divulgar seu balanço trimestral, a companhia de energia anunciou o pagamento de R$ 789.517.909,13 em dividendos intercalares.
  • O montante total corresponde a pouco mais de R$ 0,96763 por ação.
  • A data de pagamento não foi decidida, mas a data-base é dia 16 de agosto.
  • Esses dividendos correspondem a 100% do lucro líquido ajustado no primeiro semestre desse ano.

Tupy (TUPY3) pagará R$ 19,641 milhões em juros sobre capital próprio

  • A Tupy (TUPY3) aprovou o pagamento de R$ 19,641 milhões em juros sobre capital próprio (JCP).
  • O valor corresponde a pouco mais de R$ 0,1362 por ação.
  • O pagamento acontecerá a partir do dia 26 de agosto, e a data-base é dia 19 de agosto.
  • Além disso, a Tupy anunciou que anotou lucro líquido de R$ 31,49 milhões no segundo trimestre e deixou para trás o prejuízo de R$ 15 milhões anotado um ano antes.

JHSF (JHSF3): Lucro líquido sobe 26,4% no 2T21, para R$ 321,4 milhões

  • A JHSF (JHSF3) viu seu lucro líquido saltar 26,4%, na comparação ano a ano, para R$ R$ 321,4 milhões ao final do segundo trimestre.
  • Ao final de junho, a receita líquida da companhia somava R$ 662,4 milhões, um salto de 162,5% ante o mesmo período em 2020
  • Já o Ebitda da JHSF somou R$ 422,4 milhões, o que equivale a um avanço anual de 22%.

Jalles Machado (JALL3) atualiza valor de dividendos por ação, no total de R$ 40,87 milhões

  • A Jalles Machado (JALL3) fará a distribuição de R$ 40.873.620,17 em dividendos.
  • A companhia atualizou o valor por ação, que passou a ser de R$ 0,13869.
  • O pagamento deve acontecer no dia 24 de agosto, e a dada base é dia 27 de julho desse ano.

Lucro da Hering (HGTX3) encolhe 94,4%, para R$ 7,074 milhões no 2T21

  • A Cia Hering (HGTX3) teve queda de 94,4% no lucro líquido do segundo trimestre de 2021. De R$ 126,850 milhões de lucro entre abril e junho de 2020 para R$ 7,074 milhões no mesmo período deste ano.
  • De acordo com balanço financeiro divulgado nesta quinta-feira (05), a queda se relaciona aos créditos de PIS e Cofins reconhecidos no balanço de um ano atrás, que puxou os números daquele trimestre para cima.
  • A receita líquida de vendas da Hering, entretanto, aumentou 197,2% em um ano, para R$ 353,199 milhões entre abril, maio e junho.
  • As vendas nas mesmas lojas (SSS) reverteram o desempenho negativo do segundo trimestre de 2020, causado pelas medidas de isolamento social que fecharam as unidades. Neste ano, as vendas registraram alta de 58,1% de abril a junho, ante queda de 3,6% um ano antes.

Impacto da pandemia: prejuízo do Burger King (BKBR3) soma R$ 97,1 mi no 2TRI21, 48% menor

  • O Burger King Brasil (BKBR3) ainda sente os efeitos das medidas de restrição e distanciamento social, determinados pelas autoridades para conter a pandemia de Covid-19. Com o avanço da vacinação no país, e as medidas de flexibilização, a rede de lanchonetes viu o movimento aumentar nas lojas e o prejuízo líquido diminuir 48% no segundo trimestre deste ano, segundo balanço divulgado nesta quinta (5). O documento aponta que o prejuízo líquido no segundo trimestre caiu para R$ 97,1 milhões, contra os R$ 186,8 milhões apurados entre abril e junho de 2020.
  • Apesar dos impactos ainda sentidos pela pandemia entre abril e junho, o grupo comemora “progresso expressivo” não só em relação ao mesmo período do ano anterior, mas na melhora operacional significativa do primeiro para o segundo trimestre de 2021.
  • A soma do Ebitda (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização), contudo, foi positiva: R$ 3,1 milhões de abril a junho, desempenho que ajudou a reverter o indicador negativo do mesmo período do ano passado, de R$ 96,3 milhões.
  • A rede de fast-food também apresentou aumento de 94% na receita operacional líquida no último trimestre, somando R$ 567,9 milhões frente aos R$ 292,7 milhões no encerramento do segundo trimestre de 2020. Quando comparada ao desempenho de janeiro a março deste ano, a receita operacional líquida subiu 1%.

Da Eneva à Jalles Machado, essas foram as empresas que se destacaram hoje. Para ler todas as matérias clique aqui.

Laura Moutinho

Compartilhe sua opinião

Manual 10 passos essenciais para se tornar um investidor de sucesso. Baixe Grátis!

Baixar agora!