Quero-Quero (LJQQ3) levanta R$ 1,94 bilhão em IPO

A Quero-Quero, varejista de materiais de construção e artigos para o lar, precificou sua oferta inicial de ações (IPO) a R$ 12,65 cada, no centro da faixa indicativa de R$ 11,30 a R$ 14 por ação, conforme foi publicado no site da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) na última quinta-feira (6).

A companhia registrou a venda de 154.300.318 ações na oferta secundária, movimentando R$ 1,95 bilhão. Já na oferta primária, em que os recursos captados vão para o caixa da Quero-Quero, foram vendidos  22.123.894 papéis, alcançando mais R$ 280 milhões. Desse modo, a operação movimentou R$ 2,2 bilhões.

A estreia da empresa na Bolsa de Valores de São Paulo (B3) acontecerá na próxima segunda-feira (10). O registro de abertura do capital foi realizado no dia 17 de junho. As ações serão listadas no segmento Novo Mercado da B3, com o código LJQQ3.

Para mais informações sobre o IPO da Lojas Quero-Quero (LJQQ3), baixe o nosso relatório gratuito e saiba se vale a pena investir nas ações da empresa.

A Quero-Quero é controlada pelo fundo de private equity Advent Internacional Corp desde de 2008. O fundo vai vender integralmente 88% de sua fatia da empresa no IPO, se o lote suplementar da oferta for exercido nos primeiros dias de negociação, que será basicamente secundário.

A empresa tinha pedido pela primeira vez o registro para realizar o IPO no início de março. Entretanto, foi forçado a suspender os planos em razão da pandemia do novo coronavírus (covid-19), retomando o pedido somente no segundo semestre.

O Advent escolheu uma de suas empresas para coordenar a oferta: a corretora Easynvest. Além das seguintes instituições financeiras:

Simultaneamente ao IPO na B3, serão também realizados esforços de colocação das ações da Lojas Quero-Quero na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE), exclusivamente para investidores institucionais qualificados (qualified institutional buyers), residentes e domiciliados nos Estados Unidos, conforme definidos na Regra 144A, editada pela U.S. Securities and Exchange Commission dos Estados Unidos (SEC).

Saiba mais sobre a Lojas Quero-Quero

A Lojas Quero-Quero é a maior varejista especializada em materiais de construção do Brasil em número de lojas, com 346 estabelecimentos, e a segunda maior em área de vendas. Sua atuação está direcionada para pequenas e médias cidades, cujo mercado representa 49,7% do Produto Interno Bruto (PIB). Além de produtos de materiais de construção, a empresa vende também eletrodomésticos e móveis, atuando no segmento dos serviços financeiros, com mais de três milhões de cartões de crédito emitidos com a própria bandeira VerdeCard.

receita líquida da Lojas Quero-Quero em 2019 foi de R$ 1,344 bilhões, registrando um crescimento em relação a 2018, quando esse valor tinha sido de R$ 1,180 bilhões.  O lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização (EBITDA) em 2019 foi de R$ 162.460.000, quase o dobro do ano anterior, quando tinha sido de R$ 88.453.000. A Margem EBITDA ajustada foi de 9,3% no ano passado e de 8,3% em 2018.

Fundada em 1967 na cidade de Santo Cristo, no interior do estado do Rio Grande do Sul, como uma pequena empresa de comércio e representações, a empresa cresceu em mais de meio século de atividade. Atualmente, o CEO das Lojas Quero-Quero é Peter Furukawa.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-1.png

Poliana Santos

Compartilhe sua opinião