PIB do Brasil vai cair 2,7% em 2020, prevê Oxford Economics

PIB do Brasil vai cair 2,7% em 2020, prevê Oxford Economics
Itaú acredita em uma recuperação do PIB brasileiro

O Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil deveria encolher 2,7% em 2020 por causa da pandemia de coronavírus (covid-19). É essa a previsão realizada pela consultoria britânica Oxford Economics, e divulgada nesta sexta-feira (3).

Segundo Joan Domene, economista da Oxford Economics, a implementação de bloqueios e medidas de isolamento social aumentarão o custo econômico da crise, com uma repercussão negativa sobre o PIB deste ano.

Além do PIB do Brasil, projetado anteriormente em expansão de 0,3%, foram alteradas as previsões do crescimento de toda a América Latina, que deveria sofrer uma redução de 3,4% este ano.

Bolsa em queda livre!? Aproveita as maiores oportunidades da bolsa brasileira com nosso acesso Suno Premium

No caso do México, a Oxford Economics prevê uma contração de 3,9% do PIB, contra uma redução de 0,2% anteriormente prevista.

“As revisões semelhantes devem-se à relutância de ambos os governos em implementar medidas de contenção longas e rigorosas”, explicou Domene.

Segundo o economista, apesar da notícia positiva sobre a produção industrial divulgada essa semana, já em fevereiro os temores dos consumidores eram evidentes nos resultados do varejo. A previsão a Oxford Economics é que o varejo diminua 3% entre janeiro e fevereiro.

Saiba mais: PIB do Brasil deve cair 0,7% em 2020, aponta S&P

“No entanto, achamos que o pior está longe de terminar porque o ‘lockdown’ em março e em abril produzirá contrações agudas no consumo e na produção”, salientou Domene.

Outras instituições também estão revendo suas previsões sobre o PIB

Além da Oxford Economics, outras instituições financeiras estão revendo suas previsões sobre o PIB. Por exemplo, o Bank of America (BofA) informou que o PIB do Brasil deve cair até 3,5% em 2020, devido a pandemia do novo  coronavírus.

Saiba mais: PIB brasileiro pode cair até 3,5% de acordo com BofA

Em contrapartida a retração nesse ano, o BofA estima um avanço, na mesma porcentagem, 3,5% para o PIB brasileiro em 2021. Os economistas informaram “o crescimento deve atingir 3,5% no próximo ano, em relação à nossa previsão anterior de crescimento de 2,5%”.

Por sua vez, o Departamento das Nações Unidas para Assuntos Econômicos e Sociais (DESA, na sigla em inglês) prevê uma contração do PIB do Brasil de pelo menos 0,3% em 2020.

A estimativa da ONU para o PIB brasileiro fica abaixo da projeção do Banco Central (BC), o qual, na semana passada, cortou de 2,2% para zero. Além disso, o documento revelado pela organização alerta que a economia mundial poderá cair até 0,9%.

“Embora as previsões de crescimento nesta fase estejam sujeitas a um alto grau de incerteza, a ONU projeta atualmente uma leve contração do PIB brasileiro (-0,3%) em 2020, seguida de uma recuperação em 2021”, indicou o departamento econômico da organização internacional.

Saiba mais: PIB do Brasil poderá cair 0,3% em 2020, informa ONU

Por sua vez, a agência de classificação de risco S&P Global Ratings informou que o PIB deverá cair 0,7% em 2020. Em contrapartida a retração neste ano, a S&P prevê um avanço de 2,9% da economia brasileira em 2021. Já para 2022, a projeção é que o Brasil País cresça 2,5%.

Carlo Cauti

Compartilhe sua opinião