Semana do ESG

Petróleo fecha em leve alta, após arrefecimento dos temores de recessão

Petróleo fecha em leve alta, após arrefecimento dos temores de recessão
Refinaria de Petróleo. Foto: Pixabay

O petróleo fechou em leve alta nesta sexta-feira (5), mesmo diante da valorização do dólar após um payroll forte.

De acordo com analistas, os dados confirmaram que o Federal Reserve (Fed) deve continuar com sua trajetória hawkish e que a economia dos EUA não está em recessão.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o barril do petróleo WTI para setembro fechou em alta de 0,53% (US$ 0,47), a US$ 89,01, por barril. Na semana, houve queda de 9,74%. Enquanto o do barril de petróleo Brent subiu 0,85% (US$ 0,80) na ICE, a US$ 94,92 por barril, com queda semanal de 8,70%.

Os contratos futuros de óleo se enfraqueceram, durante a manhã, diante da aceleração do dólar no exterior, que reagiu à divulgação do relatório de empregos dos Estados Unidos, conhecido como payroll.

A economia dos Estados Unidos criou 528 mil empregos em julho, em termos líquidos. O resultado ficou bem acima das estimativas de analistas consultados pelo Projeções Broadcast, que variavam de 75 mil a 300 mil vagas, com mediana de 250 mil.

Já a taxa de desemprego dos EUA recuou para 3,5% em julho, ante 3,6% em junho, voltando ao nível de fevereiro de 2020, antes da pandemia de covid-19. Neste caso, a previsão era de que a taxa permaneceria em 3,6%.

A Oxford Economics afirma que o payroll reforça sua expectativa de que o BC americano elevará os juros em 75 pontos-base em setembro. Em relatório a clientes, a consultoria diz que o dado “desafia expectativas de uma perda de fôlego”.

Já o CIBC acredita que os dados mostram que a economia do país não está em recessão. Essa leitura de que a economia americana não está em recessão ajudou o petróleo a superar a valorização do dólar no exterior, que mais cedo derrubou os contratos da commodity no mercado futuro.

Para o economista da Oanda Edward Moya, um dólar em alta e o risco crescente de que o Fed precise ser mais agressivo com o aperto da política monetária está enervando alguns comerciantes de energia.

“Os preços do petróleo estão terminando em alta após uma semana repleta de temores de recessão global que destruíram as perspectivas de demanda por petróleo. Um payroll robusto é uma notícia bem-vinda para a economia dos EUA e está ajudando o petróleo a reduzir algumas das perdas desta semana”, analisa.

Já a Capital Economics destaca que preocupações com as perspectivas de demanda arrastaram o preço do petróleo Brent para US$ 90 por barril esta semana. Mas as preocupações do lado da oferta que elevaram o preço para mais de US$ 120 por barril não muito tempo atrás não desapareceram completamente.

(Com informações do Estadão Conteúdo)

Victória Anhesini

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO