Petrobras (PETR4) salta 8,62%: veja as 5 ações que mais subiram em janeiro

O Ibovespa, principal índice de ações da B3, registrou uma queda de 4,79% no acumulado de janeiro, aos 127.752,28 pontos. Na máxima do mês, o índice chegou a bater os 134.194,94 pontos, já mínima foi de 125.875,65 pontos.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/Lead-Magnet-Dkp-1.png

A queda do Ibovespa em janeiro interrompe uma sequência de dois meses positivos para o índice de ações. As movimentações do mercado vieram com investidores ajustando suas posições, ao passo que as perspectivas em relação ao corte de juros nos EUA são revistas.

Enquanto isso, os investidores brasileiros já estavam precificando um possível corte de 0,5 p.p. na taxa básica de juros, a Selic, o que de fato se concretizou ontem (31), em decisão tomada na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central.

Além do cenário macroeconômico, questões micro das empresas e até mesmo o contexto geopolítco influenciaram nas maiores altas e baixas do Ibovespa em janeiro. No campo positivo, por exemplo, a Petrobras (PETR4) foi protagonista, em meio às tensões no Mar Vermelho que vêm mexendo com o preço do petróleo.

Confira abaixo as maiores altas do Ibovespa em janeiro.

  • Petrobras PN (PETR4): +8,62%
  • Petrobras ON (PETR3): +8,16%
  • Cielo (CIEL3): +7,49%
  • Grupo Soma (SOMA3): +6,31%
  • Ultrapar (UGPA3): +6,26%

Petrobras (PETR3/PETR4)

As ações preferenciais da Petrobras (PETR4) lideraram os ganhos do Ibovespa em janeiro, com +8,62%, e as ações ordinárias (PETR3) vieram logo em seguida, com +8,16%. Esse desempenho positivo acontece em meio a alta do petróleo no mercado internacional.

No início de janeiro, o petróleo estava cotado a US$ 75,91. De lá para cá, acumulou alta de 7,64% e encerrou o mês valendo US$ 81,71, o que beneficia as ações de empresas relacionadas à commodity. Inclusive, na sexta posição entre as maiores altas do Ibovespa ficou a PetroReconcavo (RECV3), com +6,12%. Outro assunto de destaque em relação à Petrobras foi a divulgação de que os investimentos na refinaria Abreu e Lima seriam retomados.

Cielo (CIEL3)

As ações da Cielo (CIEL3) também ficaram entre os destaques de alta de janeiro, com uma valorização de 7,49%. Assim, a empresa registra o 4º mês consecutivo de ganhos, sequência positiva que se mantém desde outubro de 2023.

Um novo relatório divulgado pelo Goldman Sachs aponta que os proventos da Cielo podem ser aumentados. Na última quarta-feira (31), inclusive, ela distribuiu R$ 179,3 milhões em juros sobre capital próprio (JCP). O banco mantém uma recomendação neutra para os papéis.

Grupo Soma (SOMA3)

As ações do Grupo Soma (SOMA3) tiveram uma valorização mensal de 6,31%, sendo um dos destaques positivos de janeiro. Apesar de desacelerar o avanço registrado nos dois meses anteriores, que foram de 12,85% em novembro e de 24,79% em dezembro, a companhia se manteve em viés altista.

O desempenho de destaque em janeiro aconteceu principalmente em razão da grande valorização diária de 16,81% registrada no dia 31, diante de uma possível fusão com a Arezzo (ARZZ3).

Ultrapar (UGPA3)

As ações da Ultrapar (UGPA3) registraram uma valorização de 6,26% em janeiro. A empresa vem em uma sequência bastante positiva desde setembro de 2023, com cinco meses consecutivos de alta desde então.

A XP Investimentos, por exemplo, enxerga um cenário positivo para o segmento. Assim, as ações da Ultrapar ficaram entre os principais destaques positivos do Ibovespa no mês, fechando o top 5.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240.jpg

João Vitor Jacintho

Compartilhe sua opinião