Oi (OIBR3) fecha venda da operação de TV via satélite para a Sky

Oi (OIBR3) fecha venda da operação de TV via satélite para a Sky
Oi (OIBR3). Foto: Divulgação

A Oi (OIBR3) anunciou nesta quinta (28), em fato relevante, que fechou acordo com a Sky para a venda da base de clientes pós-pagos de DTH (direct to home), seu negócio de TV por assinatura via satélite. A tele não divulgou ao mercado o valor da transação.

A Oi informou que o acordo com a Sky permite a “transferência da integralidade da base de clientes pós-pagos de DTH, em sua estratégia de desinvestimento do negócio de TV por assinatura com base na tecnologia”.

A tele vai fornecer a infraestrutura de IPTV (internet protocol television, a YV por internet) e compartilhar as receitas da operação com a SKY. “A efetiva conclusão da operação está sujeita, ainda, à autorização do juízo da Recuperação Judicial da companhia para a transferência da case DTH e à provação do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica)”, lembra a Oi.

O documento da empresa sobre a operação com a Sky acrescenta: “[a transação] está em linha com a implementação do Plano Estratégico de transformação das operações das empresas Oi e com o Aditamento ao Plano de Recuperação Judicial da companhia e suas subsidiárias em recuperação judicial, aprovado na Assembleia Geral de Credores e homologado pelo Juízo da 7ª Vara Empresarial da Comarca da Capital do Estado do Rio de Janeiro”.

A plano prevê a alienação de ativos, passivos e direitos relacionados ao negócio de TV por assinatura, incluindo a transferência da base DTH. A Oi explica: “O fechamento da operação garantirá à Oi a execução de sua estratégia de desinvestimento do negócio de TV por assinatura com base na tecnologia DTH.”

E conclui: “Possibilitará a manutenção de uma participação importante na geração de receitas de conteúdo a partir da prestação de serviços de TV por assinatura via protocolo IP, com base em plataformas e equipamentos com tecnologia IPTV que permanecerão de propriedade da companhia e/ou de empresas que detém participação.”

Oi (OIBR3) concluiu venda dos ativos móveis para TIM (TIMS3), Vivo (VIVT3) e Claro

A venda dos ativos móveis da Oi (OIBR3) para as concorrentes TIM (TIMS3)Vivo (VIVT3) e Claro foi  finalizada na última quarta-feira (20). A operadora vendeu a Oi Móvel para o consórcio no valor R$ 16,5 bilhões, durante um leilão que aconteceu em dezembro do ano passado. Mas, segundo a tele, foram acrescidos ajustes positivos — assim, o o valor ficou em R$ 15,92 bilhões.

Conforme o fato relevante, com o fechamento da operação, as compradoras realizaram o pagamento em dinheiro de R$ 14,5 bilhões para a compra da Oi Móvel. As operadoras também pagaram, nesta data, R$ 586 milhões, referentes aos serviços de transição a serem prestados pela Oi, que já refletem o acordo entre a tele e as compradoras para a retirada de determinados custos relacionados aos serviços de transição do escopo dos contratos.

Além disso, foram assinados os Contratos de Fornecimento de Capacidade de Transmissão de Sinais de Telecomunicações em Regime de Exploração Industrial relacionados aos serviços de capacidade de transmissão de dados na modalidade take or pay com valor presente líquido de R$ 819 milhões, a ser pago em parcelas mensais pelas Compradoras durante um período de até 10 anos.

O processo de venda dos ativos móveis da Oi faz parte do processo de recuperação judicial. A aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) levou mais tempo do que era esperado.

A aprovação foi condicionada ao cumprimento de medidas que diminuíssem os riscos concorrenciais, em um Acordo em Controle de Concentrações. A Oi vendeu a rede móvel em 2020 para pagar dívidas e a transação precisava de confirmação pelo órgão antitruste.

Marco Antônio Lopes

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO